Resenha: Escândalo do Cetim (Loretta Chase)

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017



Título: Escândalo de Cetim
Autor: Loretta Chase
Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580416398
Ano: 2016
Páginas: 272
Tradutor: Simone Reisner



Sinopse: Irmã do meio entre as três proprietárias de um refinado ateliê de Londres, Sophia Noirot tem um talento inato para desenhar chapéus luxuosos e um dom notável para planos infalíveis. A loura de olhos azuis e jeito inocente é na verdade uma raposa, capaz de vender areia a beduínos. Assim, quando a ingênua lady Clara Fairfax, a cliente mais importante da Maison Noirot, é seduzida por um lorde mal-intencionado diante de toda a alta sociedade londrina, Sophia é a pessoa mais indicada para reverter a situação. Nessa tarefa, ela terá o auxílio do irmão cabeça-dura de lady Clara, o conde de Longmore. Alto, musculoso e sem um pingo de sutileza, Longmore não poderia ser mais diferente de Sophia. Se a jovem modista ilude as damas para conseguir vesti-las, ele as seduz com o intuito de despi-las. Unidos para salvar lady Clara da desonra, esses charmosos trapaceiros podem dar início a uma escandalosa história de amor... se sobreviverem um ao outro.Em Escândalo de Cetim, segundo livro da série As Modistas, Loretta Chase nos presenteia com um dos casais mais deliciosos já descritos. Além de terem uma inegável química, Sophia e Longmore são divertidos como o rodopiar de uma valsa e sensuais como um corpete bem desenhado.


Resenha: E Viveram Felizes Para Sempre (Julia Quinn)

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017



Título: E Viveram Felizes Para Sempre
Autor: Julia Quinn
Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580416374
Ano: 2016
Páginas: 256
Tradutor: Viviane Diniz


Sinopse: Alguns finais são apenas o começo...
Era uma vez uma família criada por uma autora de romances históricos... Mas não era uma família comum. Oito irmãos e irmãs, seus maridos e esposas, filhos e filhas, sobrinhas e sobrinhos, além de uma irresistível matriarca. Esses são os Bridgertons: mais que uma família, uma força da natureza.Ao longo de oito romances que foram sucesso de vendas, os leitores riram, choraram e se apaixonaram. Só que eles queriam mais. Então começaram a questionar a autora: O que aconteceu depois? Simon leu as cartas deixadas pelo pai? Francesca e Michael tiveram filhos? O que foi feito dos terríveis enteados de Eloise? Hyacinth finalmente encontrou os diamantes?A última página de um livro realmente tem que ser o fim da história? Julia Quinn acha que não e, em E viveram felizes para sempre, oferece oito epílogos extras, todos sensuais, engraçados e reconfortantes, e responde aos anseios dos leitores trazendo, ainda, um drama inesperado, um final feliz para um personagem muito merecedor e um delicioso conto no qual ficamos conhecendo melhor ninguém menos que a sábia e espirituosa matriarca Violet Bridgerton.
Veja como tudo começou e descubra o que veio depois do fim desta série que encantou leitores no mundo inteiro.


Resenha: Jantar Secreto (Raphael Montes)

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Jantar Secreto
Raphael Montes
R$ 29,10 até R$ 35,91
ISBN-13: 9788535928358
ISBN-10: 8535928359
Ano: 2016 / Páginas: 360
Idioma: português
Editora: Companhia das Letras

Um grupo de jovens deixa uma pequena cidade no Paraná para viver no Rio de Janeiro. Eles alugam um apartamento em Copacabana e fazem o possível para pagar a faculdade e manter vivos seus sonhos de sucesso na capital fluminense. Mas o dinheiro está curto e o aluguel está vencido. Para sair do buraco e manter o apartamento, os amigos adotam uma estratégia heterodoxa: arrecadar fundos por meio de jantares secretos, divulgados pela internet para uma clientela exclusiva da elite carioca. No cardápio: carne humana. A partir daí, eles se envolvem numa espiral de crimes, descobrem uma rede de contrabando de corpos, matadouros clandestinos, grã-finos excêntricos e levam ao limite uma índole perversa que jamais imaginaram existir em cada um deles.

Antes de tudo eu queria dizer uma coisa sobre esse livro: ABAIXA QUE É TIRO!!!

Mais uma vez Raphael Montes nos presenteia com uma de suas histórias chocantes. Eu nunca tinha lido sobre canibalismo, nunca tinha sequer pensado nisso e esse livro me perturbou profundamente em algumas cenas. Mas eu gosto disso, gosto desse incômodo, gosto dessa sensação que fica após o fim da leitura, provocando reflexões inimagináveis.

A sinopse não poderia ser mais clara: jovens quebrados que resolvem ganhar dinheiro de uma forma perigosa e inusitada. Quem nos narra a história é Dante, um rapaz que vem de uma família razoavelmente bem de vida, no interior do Paraná, mas que foi estudar no Rio de Janeiro e mesmo após o fim da faculdade, Dante não pensa em retornar à Pingo D'Agua, tudo que ele quer é se estabelecer de vez na Cidade Maravilhosa e trabalhar na sua área. No entanto, a única coisa que Dante consegue é um emprego de vendedor de livros. 

Ele mora com três amigos: Miguel, Hugo e Leitão. Quando o aluguel atrasa por seis meses, eles tem uma divida de quase vinte e seis mil reais e Dante se recusa terminantemente a pedir ajuda à família, afirmando que pode lidar com seus próprios problemas. Mas infelizmente o prazo para pagar a dívida está acabando, caso não paguem, serão despejados. 

Após se recordar de um antigo enigma que ouviu na faculdade, o rapaz propõe realizarem jantares secretos para arrecadar dinheiro para saldar a dívida com a imobiliária. E assim nasce a Equipe Carne de Gaivota. Tudo começou como uma brincadeira de Leitão, colocando na internet que os jantares seriam de carne humana. A coisa saiu de controle e de repente começaram a chegar inúmeros e-mails solicitando reserva e em meia hora os rapazes já tinham 30 mil reais na conta. Agora não dava mais para voltar atrás. O primeiro corpo foi roubado do hospital em que Miguel trabalha, foi uma adrenalina tremenda e ali eles souberam que não dava mais para voltar atrás. O jantar foi um sucesso! Políticos, empresários, socialites, artistas, etc, gente com muito dinheiro e tédio sobrando, dispostos a vivenciar a experiência gastronômica mais incrível de suas vidas.

Gente, na boa, eu não consegui largar este livro enquanto não terminei, li em 24 horas e há tempos não lia um livro tão rápido. Esta leitura me incomodou bastante pois apesar de saber que eu jamais faria algo assim, retalhar um ser humano friamente e servir como se fosse um filé, eu me peguei imaginando se eu estivesse no lugar dos rapazes e pensando nas justificativas que o autor apresentou: que a gente é mesmo muito hipócrita, temos pena dos animais, mas depois de mortos, comemos a galinha, o cordeiro, o boi, o porco... 


"-Você não se incomoda nem um pouco de fazer isso com um ser humano?
Ela me encarou com uma expressão de "What the fuck?", enquanto carregava alguns sacos para o canto.
-Deixa de ser besta... A mulher já tava morta. Depois de morto, todo bicho é igual. Você é engraçado, sabia? Se a carne vem naquele pacote, coberto no plástico transparente, você não se importa. Pega, frita e come sem nem pensar de onde veio. Agora fica aí, cheio de mimimi. Quer saber? A única diferença é que não sou hipócrita como você."
Página 125


No começo Dante era um cara centrado, certinho, gente boa, mas ao passar das páginas e do tempo na história, vemos como ele vai perdendo aos poucos a noção e ficando cada vez mais fora de si e inescrupuloso. O jovem se afunda em drogas e orgias para tentar esquecer todo o terror e atrocidades que comete. Apesar de pessoalmente nunca ter matado ninguém, Dante está enfiado até o pescoço nesta história e mesmo que queira parar com a prática, agora não pode mais, alguém muito poderoso e influente parece saber de cada passo que ele dá e o ameaça constantemente.

Os quatro rapazes são completamente diferentes e a única coisa que faz com que eles ainda sejam amigos são os laços que os ligam desde a infância. Hugo é um chef de cozinha que por causa de seu comportamento machista com uma ex chefe, ficou mal falado no meio e agora não consegue trabalho, trabalhava para um bufê fazendo um tipo de freelance. Quando Hugo recebeu os elogios do primeiro jantar eu soube que ele ia ser um problema. Hugo não mede esforços para alcançar o que quer e seu temperamento difícil pode colocá-los em risco.

Miguel é o médico, certinho e que nunca concordou com essa história de jantares canibais. Miguel foi forçado pelo destino a participar, mesmo sendo contra sua vontade e índole. Miguel foi o personagem que menos apareceu na história mas tem grande importãncia. Leitão tem uma história de vida que é uma tragédia e o rapaz guarda um grande trauma por causa do que aconteceu em seu passado. Ele é obeso mórbido, pesa mais de 170kg e desistiu da faculdade, passa os dias comendo, jogando vídeo-games ou na internet. Leitão ganha a vida aplicando pequenos golpes online. A ideia do jantar de carne humana partiu dele.

Sério, eu não sei nem o que falar mais desse livro pois estou muito chocada até agora e não estou conseguindo organizar meus pensamentos. É uma coisa completamente bizarra e eu me recuso a acreditar que tem gente capaz de coisas assim, mas em se tratando de seres humanos, nada mais me surpreende. E ainda por cima quando envolve dinheiro, muito dinheiro.

Raphael criou personagens totalmente diferentes e os colocou juntos e é muito legal ver como ele é habilidoso em dar vozes e personalidades aos seus personagens. Existem livros em que você tem personagens parecidíssimos e que se não estiver atento nem sabe quem é quem na história se não estiver identificado. Não aqui. Aqui a gente consegue distinguir completamente os personagens, quase sendo possível prever suas atitudes.

Jantar Secreto é um livro que agradará aos fãs de terror e gore, apesar do livro não ser propriamente um terror, existem cenas em que você quase consegue sentir o sangue respingando na sua cara e os miolos caindo no seu colo. Tem cenas MUITO nojentas, muito mesmo. Então se você for uma pessoa que não aguenta cenas muito fortes e nojentas, evite este livro. Apesar da temática polêmica e intensa, o livro tem muitas passagens engraçadas e você vai se pegar rindo sozinho das tiradas do Raphael Montes. O livro está cheio de referências aos outros livros do autor e até a escritores como Charles Bukowski, que é o apelido do carro dos rapazes.

Repito, se você não gosta de cenas nojentas NÃO LEIA. No mais, recomendo demais este livro que já se tornou um dos meus favoritos. A revisão está impecável, a diagramação é linda, contém elementos como receitas, e-mails e um capítulo inteiro narrado através de uma conversa de Whatsapp. Eu adoro esses recursos, pessoalmente acho que eles dinamizam mais ainda a leitura. A leitura é super rápida! Pode pegar sem medo, você vai amar!

Resenha: Becky Bloom ao resgate (Sophie Kinsella) Becky Bloom #08

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Becky Bloom ao resgate
Becky Bloom, # 8
Sophie Kinsella
 R$ 24,90 até R$ 39,90
ISBN-13: 9788501089618
ISBN-10: 8501089613
Ano: 2016 / Páginas: 400
Idioma: português
Editora: Record
A consumista mais carismática de todos os tempos está de volta em uma missão de resgate - com muitas encrencas e confusões, claro!

Hollywood se mostrou cheia de surpresas, mas agora Becky Brandon (nascida Bloomwood), Luke e a filhinha deles, Minnie, junto com Suze, sua nova melhor amiga (só que não), Alicia, sua mãe, Jane, e a melhor amiga dela, Janice, resolveram embarcar em uma road trip até Las Vegas (em um trailer, porque a tarefa deles é muito importante, então eles precisam ficar o tempo todo juntos, para facilitar a comunicação). Isso tudo porque o pai de Becky sumiu deixando apenas um bilhete dizendo que precisava “consertar uma coisa” e reparar uma injustiça causada a um velho amigo. Jane, é claro, está histérica. Suze também não fica atrás. Ela surtou porque Tarquin, seu marido, foi junto, e agora ela acha que o Lorde de Letherby Hall corre um grande perigo, pois Bryce – o bonitão do Golden Peace, de Los Angeles – está tentando fazer uma lavagem cerebral nele para arrancar o dinheiro da família. Determinada a descobrir o paradeiro do pai, a consumista mais querida de todos os tempos apostará todas as suas fichas em um plano ousado, que poderá trazer à tona um grande mistério do passado. Mas será que essa estratégia mirabolante será capaz de salvar sua família e seus amigos quando eles mais precisam dela?

Oitavo livro de uma das séries mais vendidas de todo o mundo, Becky Bloom ao resgate é a sequência direta de Becky Bloom em Hollywood, nesta história Becky reúne todos os seus amigos - e até inimigos - em uma road trip maluca em um trailer, de Los Angeles a Las Vegas, em busca de seu pai, Graham, e Tarquin, marido de sua melhor amiga Suze, que desapareceram no livro anterior. Becky e Suze estão meio afastadas e Suze agora é melhor amiga de Alicia, arqui-inimiga de Becky Brandon, ex Bloom. 

Graham apenas disse que precisava consertar uma injustiça do passado e que todos fiquem em casa até ele voltar. Mas é claro que a Becky não vai ficar em casa, né? Afinal ela precisa se reconectar com Suze e até acha que tudo que está acontecendo é culpa dela, afinal seu pai lhe pediu ajuda para resolver um problema do passado, em Hollywood, e ela não ajudou. Então todo mundo embarca neste trailer dirigido por Luke Brandon, marido de Becky, rumo à Las Vegas. 

Ah gente, mesmo o primeiro livro da série ter sido escrito há mais de dez anos, Sophie Kinsella nunca decepciona quando resolve trazer Becky Bloom à tona novamente. Mesmo a personagem, que é conhecida por sua compulsão por compras, vai amadurecendo, ainda assim conseguimos enxergar e sentir a essência da shopaholic e suas ideias malucas. Mesmo Becky estando tão diferente neste livro, vocês vão ver quando lerem, ainda assim ela vive diversas situações inusitadas, como serem parados pela polícia sob suspeita de tráfico de drogas, é hilário. 

Esse livro se passa basicamente em um trailer, lotado de pessoas diferentes e com diferentes graus de parentesco, amigos, mãe, marido, filha, inimigos, etc. e é bacana quando o leitor vê que até os outros personagens estão estranhando o comportamento de Rebecca, mas ao mesmo tempo, conseguimos ver que tudo faz parte do processo de amadurecimento que Becky vem passando ao longo desses doze anos. Luke é o marido dos sonhos e é lindo quando você entende a ligação que eles tem.

É um livro que fala sobre amor, amizade e confiança. Que não importa o que aconteça, tudo vai se resolver, desde que se esteja junto com as pessoas queridas, os amigos e a família. Não quero contar muito a respeito porque é um livro tão bom, tão divertido e ainda assim cheio de reflexões, que quero que você, leitor, consiga passar pela divertida experiência de lê-lo, e se surpreender da mesma forma que eu me surpreendi. 

Recomendo para os fãs de chick lit, fãs da Sophie ou pra quem tá com saudade da nossa compulsiva por compras preferida. É um livro que apesar de ser sequência direta de outro, ainda assim dá pra entender se você tiver uma noção dos personagens, mas recomendo ler na ordem. A capa é linda e segue o padrão dos outros livros, o único problema é que as páginas são brancas, mas entendo que é para seguir o padrão dos outros, mesmo assim dá pra ler super rápido porque a escrita da Sophie Kinsella é incrivelmente deliciosa e com certeza vai deixar saudades até o próximo livro, que eu espero que venha logo! 


Resenha: Boo (Neil Smith)

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Boo
Minha Vida Após A Morte
Neil Smith
R$ 25,70 até R$ 39,50
ISBN-13: 9788568432822
ISBN-10: 8568432824
Ano: 2016 / Páginas: 336
Idioma: português
Editora: Fábrica 231

Oliver Dalrymple é o típico “looser” americano: aos 13 anos, magro e pálido como um fantasma, está mais interessado em biologia e química do que em esportes e vida social. Um dia, enquanto se recupera de um dos frequentes episódios de bullying de que é vítima recitando a tabela periódica em frente a seu armário, ele desfalece para sempre. E é aí que sua verdadeira vida começa. O “céu” onde Oliver acorda depois do que acredita ter sido uma parada cardíaca em função de um problema congênito chama-se Cidade e é povoado por pessoas que morreram aos 13 anos, como ele e seu colega de escola Johnny Henzel, que chega dias depois de Boo à Cidade, trazendo notícias perturbadoras sobre a causa da morte deles. Notícias que mudam para sempre a percepção de Oliver Boo sobre sua personalidade e seu lugar no mundo. Elogiado pela crítica e adorado pelos leitores, Boo é um romance cativante sobre amizade, confiança, bullying e a difícil tarefa de ser adolescente.


Oliver é um garoto de treze anos. Franzino, muito branquinho, cabelo meio espetadinho e com dificuldades de relacionamento, acaba ganhando das outras crianças da escola, o apelido de Boo. 
O único garoto com quem Boo tinha amizade era Johnny, o skatista, descolado e popular.

Oliver tem uma obsessão: decorar todos os 106 elementos da tabela periódica. No dia em que ele finalmente recita em voz alta todos os elementos, ele morre. Como assiiiiim? Pois é, ele morre e acorda num lugar estranho, diferente e onde todos tem treze anos. É como se fosse o céu, mas onde Boo está só tem pessoas de treze anos e lá eles vivem por 50 anos, depois desaparecem e ninguém sabe o que acontece.

Boo acha que ele morreu de "coração furado". O garoto já tinha uma doença cardíaca e seus pais já haviam sido alertados de que ele poderia morrer de forma precoce. Então Oliver acha que ele simplesmente morreu de um ataque cardíaco. Passados alguns dias um novo garoto chega à "Cidade" (é assim que eles chamam o lugar onde Boo está), e não é que Boo o reconhece! O garoto é Johnny! Mas como assim? Johnny está morto?? Como? Quando? Onde? Por quê?

Johnny reconhece Boo e dá uma notícia bombástica ao garoto: ambos foram assassinados. Na escola tinha um atirador que atirou nos dois. Johnny ficou em coma por alguns dias enquanto Boo morreu na hora. Johnny fala para Boo que viu o rosto do atirador e afirma que ele está la na Cidade. E então eles começam uma aventura à procura do misterioso atirador.

Ai gente... eu sabia que ia ficar mal quando lesse esse livro. Apesar de ter uma linguagem bem tranquila e leve, ainda assim se trata de crianças que morreram. Toda hora eu fico me lembrando disso. Boo queria muito conseguir enviar uma carta aos seus pais contando de sua vida após a morte e isso me cortou o coração. Mas a Cidade é também um lugar diferente e nada nunca está fora de lugar. Se uma janela se quebra, ela se regenera. Se alguém se fere, o ferimento sara. Os estoques de comida se abastecem sozinhos. O lugar é comandado por Zig, que é meio que o "Deus" de lá e tem alguns outros personagens que aparecem lá que são bem legais de acompanhar, como as "almas caridosas". 

A história é basicamente sobre bullying, perdão, amizade, etc. Será que você é capaz de perdoar alguém que te fez muito mal? Será que o Boo é capaz? Gostei muito da narrativa do Neil Smith e do plot do livro, que é bem diferente e não vemos todos os dias por aí. O livro traz várias mensagens bacanas e pode ser lido por qualquer pessoa de qualquer idade, mas principalmente por adolescentes, pois tem muitas coisas que fazem a gente refletir. É um livro muito criativo e recomendo principalmente para quem curte fantasia.

A capa é vazada, maravilhosa de tão criativa e a diagramação também foi bem caprichada. O livro tem 106 capítulos e cada um deles é marcado por um elemento da tabela periódica. A revisão está ótima, não encontrei erros. O papel é amarelo, o que contribui para um conforto na hora de ler. Apesar da temática, é um livro leve e que vai te render boas horas de diversão. Recomendo demais!!!