Featured Slider

Crítica | Aquaman (2018)

Data de lançamento 13 de dezembro de 2018 (2h 24min)
Direção: James Wan
Elenco: Jason Momoa, Amber Heard, Willem Dafoe mais
Gêneros Ação, Aventura, Fantasia
Nacionalidade EUA

Arthur Curry (Jason Momoa), mais conhecido como Aquaman, ainda é um homem solitário, mas quando ele começa uma jornada com Mera (Amber Heard), em busca de um algo muito importante para o futuro de Atlantis, ele aprende que não pode fazer tudo sozinho.



"A DC não é só Batman". Diga adeus a era sombria e escura dos filmes da DC Comics. O Rei Arthur, também conhecido como Aquaman, chegou para reiniciar uma nova era para os filmes baseados em quadrinhos da mesma casa do Superman, Batman e Mulher Maravilha.



Aqui vemos Arthur Curry (Jason Momoa), já apresentado no filme da Liga da Justiça (2017), um meio-sangue (metade humano, metade atlante), que está sendo pressionado a ocupar o trono como rei de Atlântis e impedir a guerra entre os seres aquáticos e os seres da superfície. 


Para isso, Arthur precisa aceitar sua origem e destronar seu meio irmão ORM/Mestre dos Oceanos (Patrick Wilson) que está criando alianças com outros seres aquáticos para atacar os seres da terra. Mas Curry não está sozinho, pois Mera (Amber Heard) e o conselheiro de Atlantis Vulko (Willem Dafoe) estão do seu lado para apoiar e ensinar sobre seu legado, pois era o desejo de Atlanna (Nicole Kidman) que seu primogênito herdasse o trono de Atlantis.


Com um ritmo fluido e boas doses de aventura, Aquaman foge do atual padrão de filme de super-heróis e traz elementos do tipo Indiana Jones e Star Wars, e funciona de uma forma incrível associado a lindas cenas de luta com uma fotografia de tirar o fôlego.


Dirigido por James Wan (Invocação do Mal), Aquaman tem diálogos diretos e funcionais, ou seja, vai ser fácil a compreensão da história e da mitologia do personagem em si. 


Se você nunca leu uma HQ do Aquaman, ou assistiu a nenhum desenho da Liga da Justiça, não se preocupe, o filme é redondinho. Mas agora se você é leitor, a felicidade vai ser sua companheira, pois as referencias aos gibis estão lá (procure os encadernados do Aquaman dos Novos 52). 


Com 2h22m de duração, Aquaman estréia no Brasil dia 13 de Dezembro no cinemas e é um filme que vale o ingresso. E só mais um aviso, há uma cena pós crédito.

Eddy Silva

Resenha | Delícia, Delícia (Donna Kauffman) Cupcake Club #01

Delícia, Delícia
Cupcake Club # 1
Donna Kauffman
R$ 12,99 até R$ 44,90
ISBN-13: 9788565859967
ISBN-10: 8565859967
Ano: 2016 / Páginas: 296
Idioma: português

Editora: Valentina

Quando a extraordinária confeiteira Leilani Trusdale trocou a agitação de Nova York pela pacata e doce Ilha de Sugarberry, não esperava que seu passado a seguisse. Seu antigo chefe, Baxter Dunne, também conhecido como Chef Hot Cakes, o homem que ensinou a ela que o creme compensa, reaparece desejando filmar seu famoso programa de culinária. O problema é que ele escolheu filmar na Cakes by The Cup, a minúscula e aconchegante confeitaria de Leilani. Com seu olhar de brigadeiro de colher e aquele irresistível sotaque britânico -- que faz a moça babar e seu rosto corar como calda de cereja --, ele fez as fofocas de cozinha rolarem soltas. 
Lani, lá no fundo, só deseja que algumas sejam deliciosamente verdadeiras... Os amigos estão convencidos de que o ex-chefe é o ingrediente que falta para a definitiva receita de felicidade dela. Porém, Baxter terá que botar a mão na massa se quiser tirar do forno um grande, verdadeiro, quentinho e saboroso amor. No Clube do Cupcake, cozinhar é apenas um detalhe. Entre altos papos e doces lambidas, amizades crescem como pão quentinho e a vida vai ficando, hummmm, mais saborosa. Mas quando é preciso decidir entre a vida que você sempre sonhou e o amor da sua vida, só as melhores amigas, as melhores receitas e uma caixa cheia de Red Velvets podem ajudar. É hora de praticar boloterapia!!!


Delícia, delícia foi lançado em 2016 pela editora Valentina, mas essa capa nunca despertou meu interesse e eu sempre deixava ele de lado. Até que um belo dia eu resolvi ler a sinopse e achei bem divertida. Ele furou a fila porque eu estava curiosa pra conhecer o Chef Hot Cakes e procurava uma leitura mais leve.

Devo dizer que é uma provação ler esse livro, porque são tantas coisas deliciosas descritas que me faziam passar vontade. Queria uma Cakes by The Cup perto de mim.

Cakes by The Cup é a confeitaria da Chef Leilani localizada na ilha de Sugarberry. Lani trabalhou no renomado restaurante do Chef Baxter Dunne, em Nova York, durante 5 anos. Ela sempre foi muito aplicada e cumpriu sua função no restaurante maravilhosamente bem e aprendeu muito com o Baxter, juntando seu talento e dedicação se tornou uma excelente profissional com um trabalho de prestígio, tudo o que sempre sonhou, mas....

Seu pai ficou doente e ela foi pra ilha pra cuidar dele, e lá encontrou um lar. Cansada da agitação de Nova York visualizou uma nova vida em Sugarberry, por esse motivo e também porque precisava se afastar do Baxter, por quem sempre foi secretamente apaixonada. Tudo estava tranquilo na vida da Lani até que Baxter resolve gravar o seu programa na ilha e se declarar pra Lani.

Os capítulos são alternados entre os pontos de vista da Lani e o do Baxter, o que é ótimo porque dá pra entender melhor o que os dois estão sentindo. Embora uma das coisas que eu tenha gostado nesse livro é que eles conversam sobre o que sentem, não ficam enrolando ou fazendo joguinho, mas também neh eles já tinham passado anos guardando esse sentimento e dando prioridade pro lado profissional.

As pessoas não entendem porque Lani está “desperdiçando” seu talento na ilha, mas ela é super criativa e está sempre bolando algo novo para os seus clientes.

“Acho que cada doce representa uma coisa diferente, mas é óbvio que todos foram feitos pra deixar as pessoas contentes… mas nenhum faz isso tanto quanto cupcakezinho feliz. E era isto que eu queria fazer. Espalhar a alegria.”

Essa história nos mostra que as vezes esquecemos que mesmo com boas intenções, querendo fazer o certo podemos errar. Porque nem sempre o que é bom pra mim, vai ser bom pra você. Posso achar que estou fazendo algo pelo seu bem, mas o que quer, o que precisa é uma coisa diferente. As nossas necessidades, o que nos faz feliz podem não ser as mesmas coisas.

Bexter percebe que durante o tempo que trabalhou com a Lani ele só conheceu uma parte dela, e agora na ilha quanto mais tempo passava com ela mais se encantava. Lani por sua vez estava sem acreditar que o cara dos seus sonhos, que parecia o Hugh Grant com um sorriso lindo e sotaque britânico,  sentia o mesmo por ela.

Mas sabemos que sempre tem algo para impedir que o casal se acerte, e nesse caso eu achei o motivo bem fraco, alguns diálogos se tornaram repetitivos porque os argumentos eram rasos. Tirando isso foi uma boa leitura. Era o que eu estava procurando, embora tivesse imaginado que fosse ser mais divertido e tivesse mais cenas hots.

Os personagens secundários são legais, principalmente a Sra Alva, já com seus oitenta e poucos anos que sabia da vida de todos da ilha e proporcionava os momentos mais engraçados do livro. Destaque também para Charlotte, melhor amiga da Lani, que sai de Nova York só para estar junto da amiga e dar aquela força no turbilhão de sentimentos que estão tirando o sono da Lani. A boloterapia delas vau ganhando mais adeptos e formam o Clube do cupcake.

Delícia, delícia é recheado de gostosuras e tem receitas no final do livro, não fiz nenhuma, mas queria provar...rs

Foi uma delicinha ler esse livro, a escrita é fluida e temos bons personagens. Um bela pedida para quem procura um livro clichê.

Por Renata Kerolin

Resenha | Amigos Para a Vida (Andrew Norris)

Amigos Para a Vida
Andrew Norriss
R$ 31,40 até R$ 35,99
ISBN-13: 9788558890809
ISBN-10: 8558890803
Ano: 2018 / Páginas: 208
Idioma: português 
Editora: Valentina

Francis não tem amigos. Ele sofre bullying porque é diferente. Em casa, vive trancado no sótão, onde tem uma fabulosa coleção de bonecas vestidas com roupas que ele mesmo cria. Adora moda e pediu de aniversário uma máquina de costura.
Um certo dia na escola, na hora do intervalo, Francis vai se sentar num banco, no lado mais afastado do pátio, porque prefere a solidão a ser zoado.
Mas nesse dia, sentindo-se triste, ele vê alguém atravessar o gramado na sua direção. É uma menina de mais ou menos a sua idade, embora não a reconheça como aluna da escola. Ela se senta na outra ponta do banco, em silêncio.Francis fica curioso. E então lhe estende a sua caneca de chá. A menina olha para ele, surpresa e chocada. Afinal, ela é um fantasma, chama-se Jessica, e Francis é a primeira pessoa que consegue vê-la desde que ela morreu.Entre os dois surgirá uma amizade extraordinária e transformadora.
Amigos Para a Vida é uma delicada história de amizade – e seu poder transformador – entre quatro adolescentes fora dos padrões dominantes, celebra o direito de ser diferente e é leitura obrigatória para todos que combatem o bullying. Um livro divertido, corajoso e genuinamente emocionante.


Amigos para vida me ganhou com essa capa fofa. O título está em alto relevo e a edição tá lindinha.
Francis não tem amigos. Mora com a mãe e ama costurar, esse é um dos motivos por ele sofrer bullying na escola. Um certo dia na hora do intervalo ele se senta em um banco mais afastado do pátio e sua vida ganha um novo rumo quando ele vê o fantasma de Jessica.

Quando eu li na sinopse que um fantasma iria aparecer achei bem interessante e fiquei curiosa, o título original é Jessica’s Ghost.

Jessica morreu há um ano, mas não se lembra a causa da morte, todas as noites ela retorna ao hospital porque sente alguma coisa a puxando pra lá. Fica surpresa quando Francis consegue vê-la, porque até então ela tinha vagado durante um ano e ninguém havia percebido a sua presença. E assim percebe como estava se sentindo tão sozinha durante esse tempo. Logo Francis e Jessica tornam-se amigos inseparáveis.

A mãe do Francis, preocupada com o filho que passa muito tempo sozinho, vê uma oportunidade dele fazer amizade com a nova vizinha. Francis está relutante em receber essa pessoa, porque agora ele tem a Jessica, e acredita que mais ninguém vai aceita-lo do jeito que é, mas ele não poderiam estar mais enganado, porque Francis é um garoto especial e junto com a Jéssica vai perceber como é bom se abrir e ter amigos.

Quando peguei esse livro pra ler, esperava uma leitura leve, mas acabou sendo bem profunda. A história e os personagens são apresentados de uma forma simples, a escrita é fluida e particularmente eu não vi a grande revelação chegando, porque como eu disse antes esperava algo leve, mas foi algo bem tocante. 

A medida que a história vai se desenvolvendo novos personagens vão surgindo e todos tem em comum a diferença e sofrem com a discriminação.

“(...) Por que eu não posso ser uma pessoa comum? Por que eu tenho que ser diferente de todo mundo?
E é isso que pega você no final, não é mesmo? (...) O fato de ser diferente. Você deseja, de todas as formas, ser como todos os outros, mas...(...) sabe que isso nunca vai acontecer.”

Amigos para sempre nos mostra o poder e a importância da amizade. Em suas diferenças eles encontram algo em comum e junto com o fantasma da Jessica tornam-se um grupo bem unido, que apoiam e incentivam os amigos.

“Por que, pensou Francis, "ser diferente" tinha que ser tão doloroso? Por que era assim tão importante, quando, se refletíssemos bem, todo mundo era diferente de uma maneira ou de outra?”

Uma das questões que rondam o livro é como a Jéssica morreu e porque ela ainda está na Terra. Estava curiosa pra saber  e o autor conseguiu desenvolver isso bem. 

O livro pode até ter poucas páginas, mas tem uma grande história. Superar, se aceitar, defender as pessoas e o que acredita, valorizar o que cada um tem de melhor, não julgar, apoiar...são tantas coisas. Uma mensagem linda, um livro recomendado para todos. Li esse livro em apenas um dia e foi uma grata surpresa, porque já estava esperando uma boa leitura mas não esperava essa mensagem tão importante vinda de maneiras diversas dos personagens. Foi lindo ver a amizade deles crescendo e eles se sentindo livres pra serem quem realmente são, tirando um peso das costas e encontrando o seu lugar no mundo. Sobre a Jessica, a explicação dada fez todo o sentido. Gostei muito desse livro, superou minha expectativa. Recomendo!

Por Renata Kerolin