#Resenha 07 - Draco Saga - O Despertar

terça-feira, 17 de maio de 2011

Sinopse - DRACO SAGA: O Despertar - Volume 1 - Fábio Guolo
Imagine entrar em coma, acordar alguns anos depois e descobrir que sua sociedade e sua cultura estão sendo destruídas por uma praga que se propaga mais rápido do que é possível conter. A praga, porém, somos nós. Humanos, mortais, gananciosos, sedentos por poder e riqueza em um mundo novo. Mundo este já anteriormente dominado por seres de inteligência muito superior que nos permitiram viver em paz em seus domínios por muito tempo. No entanto, não valorizamos a liberdade que nos fora dada. Agora o preço a pagar pode ser alto demais!
 
Falar desse livro pra mim vai ser meio complicado porque não é um estilo que eu tenho costume de ler, mas vamos lá. 

O livro é narrado em primeira pessoa pelo Draco Dryfr, que estava hibernando e após esse período, desperta um dia e vê que muitas coisas estão diferentes da época em que ele estava antes de entrar em hibernação. Dryfr acredita que hibernou por apenas uma estação, no entanto se passaram 29 décadas. Quando ele sai para o “desjejum”, sente um cheiro diferente, nunca antes detectado por ele, então nota algumas criaturas diferentes, meio parecidas com os elfos, mas um pouco mais “corpulentas” e observa-os por algum tempo. Nunca viu nada parecido antes e há duvidas em sua cabeça, então ele decide ir falar com o Mestre ancião Wyrmygn

Quando Dryfr chega ao encontro do mestre, que imediatamente o coloca a par de todos os acontecimentos das ultimas décadas, dentre eles o surgimento de uma nova raça e que em pouco tempo se tornou UMA PRAGA, na opinião dos Dracos, que se autodenomina “Humanos”.

Os Dracos , seres superiores do “multiverso” no inicio não deram muita atenção à essa nova raça mas com o passar do tempo perceberam do que eles eram capazes, subestimaram os humanos pois não sabiam que eles aprendiam rápido e eram capazes de aprender magia também, até que aconteceu algo nunca sequer imaginado por um Draco: uma raça inferior saquear a casa de um dragão e sair vivo de lá. Desde então eles decidiram dizimar essa espécie que só tem causado danos onde se estabelecia.
Dryfr descobre que seu irmão, o poderoso, Drwfr foi torturado e brutalmente assassinado pelos humanos e declara guerra à civilização.

Dryfr, em uma conversa com o seu discípulo afirma acreditar que o ser humano nasce completamente inocente, sem personalidade natural e que seu caráter é moldado de acordo com o meio em que convive.  Eu concordo.

“Esses seres humanos inferiores não são maus ou bons por sua própria natureza. Eles nascem inocentes. (...) Na prática, cada um é fruto do meio em que convive.” (págs. 58 e 59).

O livro é bom e o que achei mais interessante foi o fato de ser narrado pelo proprio Dragão e foi digamos, diferente, conhecer o ponto de vista deles acerca de nós, seres humanos e eu vou ressaltar aqui nessa resenha umas coisas que eu achei bastante legais a respeito da maneira como Fabio Guolo escreve. 

Primeiro a capa: é LINDA! Então nem tem muito mais a dizer... ;)
 
Gostei muito da descrição sobre os humanos, achei muito legal e ao mesmo tempo chocante o jeito com que ele nos apresenta, a humanidade, como uma raça egoísta e violenta, inclusive com a sua própria espécie. Neste livro não somos os bonzinhos, aqui nós somos os bad guys. Somos quem destrói tudo sem medir consequencias em busca de mais e mais riquezas, sem se importar com o que ou quem vai prejudicar.

Achei bacana também a maneira como a sociedade dos Dracos é organizada em termos de hierarquia e outra coisa que me chamou a atenção foi o laço que ele criou com a companheira que escolheu para gerar seu filhote, a neta do mestre, uma coisa que eles mesmos admitem não ser comum. 

O autor fornece uma riqueza de detalhes impressionante, mais ainda pelo fato de se passar num mundo à parte, o multiverso, onde os seres superiores são os Dragões.
Muito legal também as táticas de ataque e o modo como eles observam os humanos, chegando a se infiltrar entre nós. 

Daí não vou mais contar pois vocês vão ter que ler! E eu digo que vale a pena, eu nunca tinha lido nada parecido, talvez porque esse estilo de literatura não é o meu preferido, não dou prioridade na minha lista de livros a ler, mas quero ler a continuação. 

O final já deixa a pontinha para a continuação que será: Draco Saga – A Sentinela. 

Não gostei dos nomes dos personagens que são absurdamente difíceis e não consigo sequer imaginar a pronúncia deles.

Quero agradecer ao Selo Brasileiro pela oportunidade de ler este livro pelo book tour, e pra quem curte livros tendo Dragoes, elfos, etc., como personagens é superhiper recomendado.  

E espero seus comentários!!!!
Jordana!

8 Comentários:

Fábio Guolo disse...

Oi Jordana!
Muitíssimo obrigado pela resenha.
Adorei!
Quem quiser saber um pouco mais acerca do processo de composição dos nomes eu escrevi um artigo sobre isso aqui: http://dracosaga.blogspot.com/2011/03/os-nomes-dos-dracos.html
Um forte abraço!

Lariza Barbosa disse...

Dana
arrasou na resenha
fiquei com vontade de ler
beijos

Rafael K disse...

Ae Dana!
Parece interessante mesmo! O que mais me chamou a atenção foi o livro ser narrado pelos dragões, colocando os humanos do outro lado!
Fiquei curioso pra ler :D

BabihGois disse...

"Neste livro não somos os bonzinhos, aqui nós somos os bad guys. Somos quem destrói tudo sem medir consequencias em busca de mais e mais riquezas, sem se importar com o que ou quem vai prejudicar."

Isso não deixa de ser a mais pura verdade, com exceções é claro.

"Não gostei dos nomes dos personagens que são absurdamente difíceis e não consigo sequer imaginar a pronúncia deles."

Concordo plenamente, estou até agora tentando pronunciar Drwfr hehehe

Gostei da história, também não é minha prioridade, mas gostei.

Adorei os pontos abordados na resenha.

Beijos
BabihGOis
http://babihgois.blogspot.com

Diego Barros disse...

Nossa. gostei muito desse livro, é o estilo que gosto de ler... É como ver realmente o que os humanos são. A maioria de nós não consegue ver os próprios defeitos, mas e se fôssemos vistos por dragões? livro no mínimo interessante, a capa está ótima, com um ar de antiguidade, cores harmoniosas e bonitas. E conscerteza o livro é uma beleza também! Muito bom!

Entre Fatos & Livros disse...

Oi Dana!

Nossa, eu acho mto curioso histórias em que pessoas acordam depois de um longo tempo. Imagina só, acordar e tudo estar diferente do que vc conheceu. Gostei mto do tema!


Concordo com vc, a capa é linda! É bom ver o capricho dos autores nacionais!

Adorei e com certeza quero ler um dia.

BjoO
Pri
Entre Fatos e Livros

Jéssica Polato disse...

Olá,

Já li várias resenhas desse livro, mas ainda não senti vontade de ler.
Esse negócio de dragão não funciona pra mim..srs

bjinhuxxx

Eu li e Divulgo

Guilherme Iury disse...

ahazou na resenha, amei, fiquei com vontade de ler por causa da sua resenha (:

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D