Resenha - Tia Rafaela (Davi Castro)

sexta-feira, 1 de julho de 2011

 I.S.B.N.: 9788578880408
Edição : 1 / 2010
Idioma : Português
País de Origem : Brasil
Número de Paginas : 176
Sub-título : Um Menino de 11 Anos. Seduzido Pela Professora. Um Caso de Amor, Sexo e Destruição

Sinopse: Tia Rafaela - Davi Castro
'Tia Rafaela' traz as memórias de um menino que teve os sonhos roubados. Seu nome é Davi Castro e aos 11 anos de idade foi seduzido pela sua professora de Educação Física. Neste livro, ele narra desde quando começou o romance com sua professora até as perturbações deste relacionamento.

Narrado em primeira pessoa, Tia Rafaela conta a historia real de Davi, um garoto que aos 11 anos foi seduzido pela professora de educação física, na época, de 24 anos.
Davi era um garoto comum com sonhos e planos, de criança, mas aos onze anos sua infância foi roubada pela professora, a Tia Rafaela. 



Rafaela utilizou-se de varias artimanhas, brincadeiras e até promessas de um futuro melhor para conseguir seduzir Davi. Tudo começou com uma brincadeira de passar a bala mas que Davi não deveria contar pra ninguém. Aos poucos as brincadeiras foram ficando mais ousadas até que Rafaela conseguiu fazer Davi, com sua inocência, se apaixonar por ela.

Davi descreve minuciosamente cada cena como se estivesse revivendo tudo pelo que passou. A professora conseguiu de maneira ardilosa, convencer os pais de Davi a o deixarem ir morar em seu apartamento, sob seus cuidados, como se fosse sua própria mãe, pois a família do garoto era muito pobre e não tinha condições e dar estudo adequado a ele, e como toda mãe quer o melhor para o seu filho, apesar de não gostar muito da idéia, cedeu à "lábia" de Rafaela e deixou o menino ir. A mãe dele via a professora como um anjo da guarda que entrou na vida de seu filho para apenas fazer o bem. No entanto, ela sequer imaginava o que a professora fazia com seu filho ao raiar do dia.

Até agora não tenho certeza se o marido de Rafaela, Marcelo , sabia do que estava acontecendo debaixo de seu teto. Me recuso a acreditar que ele era tão cego.

Os relatos de Davi são mesmo muito pesados que proporcionam ao leitor muitas sensaçoes que vão de raiva, repulsa, nojo até excitação. O autor se expressa neste livro como se tivesse contando sua história para alguem muito proximo, por isso gosto tanto de narrativas em primeira pessoa.
Eu li este livro em duas horas, mas foram duas horas angustiantes. Cada cena de sexo que ele descrevia, na minha concepção, era uma agressão. Se fosse um casal normal de HOMEM e MULHER seria uma coisa absolutamente normal, mas ali era uma violência. Era uma mulher e uma criança. 

Não é tão raro hoje em dia se ouvir falar em pedofilia, mas na grande maioria dos casos, ouso dizer que 99% dos casos o homem é o agressor e em geral uma pessoa da familia ou um completo estranho, mas não neste caso. Em meus 24 anos de vida eu nunca tinha ouvido falar num caso como este, em que a mulher faz o papel de pedófila. Eu fiquei absurdamente chocada com este livro. Após a leitura eu fiquei muitas horas pensando, quase não consigo dormir e houve momentos em que chorei. Uma criança! Como alguém pode fazer isso com uma criança? Seu frágil corpinho sendo deflorado desta maneira tão nojenta. 

Davi não tinha idéia do que estava acontecendo em sua vida, ele teve sua infância subtraída de forma completamente brusca. Ele não podia brincar, não podia namorar menininhas de sua idade porque a professora era doente de ciúmes. O que ele aprendeu com Rafaela, tentou praticar com uma menina da sua idade mas assim que ele a tocou como a professora o tocava a menina deu-lhe uma bofetada e ele entendeu que não gostava de meninas e sim de mulheres mais velhas.

Foram oito anos, no total, de convivência. Quando Davi estava com 13 anos Rafaela descobriu que estava grávida, dele. Ele ficou muito feliz porém não poderia ter noção da tamanha responsabilidade que ela jogou em suas pequeninas costas. Os meses se passaram e Rafaela teve o bebê, porém para a sociedade e as famílias, o bebê era filho de Marcelo. 

Davi não agüentou a pressão, saiu da casa de Rafaela e voltou pra casa da mãe, acabou por contar para a mãe, que ficou revoltada com a professora e abriu um processo contra esta. Davi ficou possesso e saiu novamente de casa. Rafaela se divorciou de Marcelo e passou a viver junto com Davi como um casal. Quando Davi fez 17 anos, pediu emancipação e casou-se com Rafaela aos 19. Ele foi forçado a se tornar adulto, e eu simplesmente não consigo aceitar isso. Ele não teve escolha, ela simplesmente decidiu a vida deles dois. Houve momentos em que ele quis romper as amarras mas ela não permitia, fazendo o menino de escravo sexual. 

Davi Castro, autor de Tia Rafaela

Eu achei sim válida esta leitura pois nos mostra que existe gente pra tudo mesmo e que nossos filhos nao estao seguros nem na escola. Rafaela possuia uma imagem extremanete confiável e meiga, no entanto foi capaz de fazer o que fez. Um verdadeiro lobo em pele de cordeiro, isso é o que Rafaela era.
Teve uma cena que me emocionou muito, só não vou transcrever para a resenha pois o livro já não esta mais comigo, mas dizia que após o natal Davi foi visitar o filho na casa de Rafaela, beijou o bebe e agradeceu a Deus o seu melhor presente, depois pegou seus brinquedos e foi embora pra casa.

Davi separou-se de Rafaela após muitas brigas conjugais, e descobriu-se homossexual. Fez 10 anos de terapia para ajudar a superar o trauma e escreveu este livro.

Classificação:

Davi Castro - Todos Contra a Pedofilia


Espero que tenham gostado da resenha, nem era pra ser um resenha e sim um desabafo, mas saiu...rs
Comentem.
Dana

7 Comentários:

Jeanne Rodrigues disse...

Dana,

esse nunca vou estar preparada para ler.

saber que é real me enche de revolta.

Colocando na lista mesmo que fique doida pra pegar esse Rafaela.

Bjos,

Ilmaralina disse...

Gente, eu fiquei chocada mesmo com esta história! Principalmente por ser uma mulher a abusadora. Me interessei demais por esse livro, até porque também sou professora e o choque foi duplo! Me parece um livro surpreendente!

The Buk's On The Table disse...

Conheço uma vítima mulher, mas o agressor –tio dela-, não chegou a manter relações sexuais com ela - ele a acariciava. Tenho certeza que esse livro de ter passagens fortes, porém, acho que não o compraria, pois sei que ficaria deprimido após a leitura.

Diego Barros disse...

gente. só a resenha me fez ficar de coração apertado. imagina ler o livro.. é algo parecido com menina morta viva. Não sei se iria aguentar ler isso. =/

Raphaela disse...

Nuss, eu estou CHOCADA com essa historia, mas ao mesmo tempo estou muito curiosa. E o mais supreendente pra mim foi ver o meu nome omo titulo do livro! dhsuhdushuds Eu vou muito procurar le - lo. Muito bom o post e adoro livros que alem de historias, contam situações verdadeiras.

Beijokas:*

Raphaela
Equalize da Leitura
@EqualizeLeitura

Alexandrina Oliveira disse...

Eu vi entrevista desse autor acho que no Jô Soares. história verídica.

Davi Castro disse...

Livro interessantíssimo. O fato do caso ser real o torna muito mais interessante para qualquer análise. Não obstante, o caso em si é instigante, já que se trata de uma exceção ao que estamos acostumados a ver viabilizado na mídia convencional. Gostaria de citar alguns pontos que me chamaram mais a atenção e, claro, falar dos pontos fracos da obra. A impressão que tive é que esse livro é um tipo de "bildungsroman" (estilo de romance em que o desenvolvimento psicológico, social etc., do protagonista é exposto de forma simplificada de sua infância até a idade adulta). Esse foi um dos motivos pelos quais ele me lembrou muito o livro "House on Mango Street" (recomendo!), assim como pelo seu formato, composto por pequenos recortes da história, que, ao serem colocados juntos, conseguem narrar uma história muito mais complexa. Também me pareceu muito interessante a forma como foi narrada a história. O autor, também personagem principal, conseguiu fazê-lo de forma que causasse no leitor sentimentos entre o asco/repulsa e a excitação. Ao ler, a impressão que temos é que lemos um conto erótico e, por vezes, esquecemo-nos de que se trata uma criança de onze anos (até porque o autor já é um adulto ao narrar a história). Uma leitura fácil, rápida, que nos envolve e que nos faz querer cada vez mais. A próximidade do leitor com o autor fica clara. Essa aproximação com a realidade é outro facilitador da leitura. Quanto ao aspecto psicológico do personagem principal, sua ligação com tia Rafaela e a dificuldade de separação da mesma, quase que como se ele tivesse obrigação de ficar com a mesma, seja por respeito/admiração, ou por gratidão, muito me remeteu à síndrome de Estocolmo, uma vez que o 'prisioneiro' sente-se protegido e dependente daquele que o aprisiona. Claro, não podemos deixar de citar Freud e o complexo de édipo, pois o que nos parece doentio e repulsivo, já foi dito ser aspecto de todo ser humano, uma nutrição de um desejo sexual derivante de um sentimento maternal, que o personagem expõe não só por tia Rafaela, mas por outras relações de parentesco (para com seu padrasto e por sua pseudo-irmã). Ou seja, seu desenvolvimento hormonal, sua fase de descoberta do corpo e do desejo sexual, não conseguia ser ligada a outr@s que não as pessoas de maior proximidade - familiares. O final me pareceu surpreendete e muito me agradou o fato de que história não tenha ficado no senso comum, mas tenha quebrado as barreiras dos padrões de gênero e sexualidade, levando-nos a questionar o tipo de normatividade que nos é imposta e que, na maioria das vezes, nem nos damos conta.

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D