Resenha: O Poder do Súcubo (Richelle Mead)

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Edição: 1
Editora: Essência
ISBN: 9788576654476
Ano: 2011
Páginas: 272

Sinopse - O Poder do Súcubo - (Georgina Kincaid #2) - Richelle MeadO amor machuca, e ninguém sabe disso melhor que Georgina Kincaid, uma verdadeira deusa, ou melhor, demônio em forma de mulher. Seth Mortensen era tudo o que ela podia querer e tudo o que não podia ter. De que adiantou ter conquistado o namorado amoroso e estável que buscou durante séculos se o máximo que poderia fazer com ele era... ficar de mãos dadas?! Qualquer coisa menos inocente abreviaria a vida de seu amado. Afinal, Georgina é um súcubo! Como se não bastasse ter uma vida amorosa desastrosa, seus dias no trabalho estão, sem trocadilhos, infernais. Seu colega Doug passa a ter um comportamento no mínimo estranho, e Georgina desconfia que seja efeito de algo mais poderoso que uma overdose de café. Para complicar, seu melhor amigo imortal, um íncubo tão irresistível para as mulheres como ela é para os homens, precisa de sua ajuda numa missão politicamente... sedutora.

  Para ler a resenha de "A Canção do Súcubo", Volume 1 da série Georgina Kincaid, clique aqui. 

O Poder do Súcubo é o segundo volume da série Georgina Kincaid, da autora Richelle Mead. Neste livro reencontramos Georgina Kincaid, um súcubo que não gosta de ser súcubo, e sua turma de amigos pra lá de diferentes. Nesta nova aventura, Georgina precisará desdobrar-se em várias ao mesmo tempo. Precisa suprir a falta de funcionários na livraria, ajudar seu amigo (Delícia!) Bastien com uma missão impossível, descobrir o que está acontecendo com seu amigo e colega de trabalho Doug, e sua banda que os está deixando muito eufóricos e estranhos e pra completar tem Seth Mortensen, seu escritor preferido – e namorado!

Bem, este livro não tem tanta ação e mistério quanto o primeiro livro, e assim como este, é super previsível. E o que falta em ação a autora supre em comédia. Mas como eu já falei na resenha anterior, não é por que a historia é previsível que ela deixa de ser boa. Não nos livros da Richelle. Acredito eu, que poucos autores conseguem fazer isso.
"- Espere aí - disse ele - Isso aí não existe.
Baixei os olhos para o ponto onde, num momento de desespero, eu havia colocado zexico, ocupando uma casa que triplicava o ponto da palavra.
- Hum, tenho certeza de que existe.
- O que quer dizer?
- Bom, zéxico é tipo, quixotesco, só que com mais...
- Um monte de bobagens?
Ri alto.
- Com mais zelo. Daí o z.
-Tá. Use-a em uma frase.
- Hum... "Você é um escritor zéxico".
-Não acredito nisso.
- Que você é zéxico?
- Que você está tentando trapacear nas palavras cruzadas - ele se recostou em meu sofá, sacudindo a cabeça - Quer dizer, eu estava pronto para aceitar todo esse lance demoníaco, mas aí já é demais.
- Ei, não se trata de trapaça. Só porque seu vocabulário limitado não inclui essa palavra não quer dizer que haja alguma coisa sinistra acontecendo.
- Você se importaria de provar com um dicionário?
- Ei - retruquei arrogante. - Não gostei do seu tom zexista.
- Se você não fosse uma mulher tão zéxi, eu ficaria bravo.
- Seu zexismo é irritante."

Conhecemos agora Bastien, um íncubo (equivalente ao masculino de súcubo) amigo de Georgina, que está na cidade e vai visitá-la pra pedir ajuda. Ele esta em apuros e precisa seduzir a mulher de um político que paga de perfeitinha pra sociedade. Bastien precisa provar que ela não é esse poço de perfeição e pra isso vai contar com a ajuda da nossa querida Georgie! Tá, desde o primeiro momento eu já saquei TUDO sobre essa mulher e minhas suspeitas se confirmavam ainda mais toda vez que ela entrava em cena. 

Em "O Poder do Súcubo", Richelle aborda questões mais profundas como homofobia e os escândalos políticos e também embora de uma forma não convencional, o uso e dependência de drogas. Em minha opinião, este livro supera o primeiro, pois temos varias histórias paralelas e podemos conhecer mais um pouco da vida de Georgina em todos os seus séculos de súcubo.

Notamos também o quão puro e verdadeiro é o sentimento que Seth nutre por ela e vice-versa. Georgina consegue sentir na pele o quão difícil é estar com alguém sem poder tocar e sentir a pessoa. Eles estão se descobrindo e descobrindo maneiras de suprirem a falta de contato físico. Seth poderia dar uma aula a todos os homens sobre o fato de que nenhum relacionamento é baseado somente em sexo. O cara só tem a mulher mais linda e gostosa da cidade e não pode nem beijá-la! E pior: Ele sabe que ela precisa fazer sexo com outros homens para sobreviver. E para piorar ainda mais, antes ele não sabia por que tinha dias em que ela parecia ainda mais atraente pra ele do que em outros e agora ele sabe que é porque ela “recarregou as baterias” na noite anterior. Sabem, às vezes não dava pra agüentar o Seth de tão compreensivo que o cara é! Sério, a própria Georgina o questiona por isso. 

Mas Jordana, é claro que ele é compreensivo, lindo, perfeito: Ele não existe. Touché!

Seth abraçou-me e me beijou no pescoço.
- Você nunca deixa de me surpreender. Sempre acho que sei o que esperar de você. Mas quando a vejo... - ele não concluiu a frase, mas os olhos fizeram isso por ele. Deslizaram para cima e para baixo pelo meu corpo, fazendo-me derreter por dentro.
Me joga na cama e ne come, supliquei em silêncio. Em voz alta, disse:
- É melhor a gente ir.

Georgina continua com suas tiradas sarcásticas e os personagens estão cada vez melhores, pra mim. Se ainda não tinha me apaixonado por Seth, dessa vez caí de amores por ele. Eu preciso de um homem desses na minha vida. Carter não esteve muito presente neste livro e eu senti muito a falta dele, o anjinho conseguiu me conquistar. Neste volume temos mais cenas de sexo que o primeiro e algumas bem quentes mesmo se é que vocês me entendem.

Surtei com o final, foi surpreendente, apesar de a história toda ser bastante previsível. Acho que a Richelle Mead é a única autora que consegue fazer isso! Recomendo a série Súcubo, para todas as pessoas que gostam da temática sobrenatural sem o velho clichê de vampiros e outras criaturas igualmente saturadas, e não abrem mão de umas ceninhas calientes.
  
Classificação:

14 Comentários:

Lariza Barbosa disse...

Quando li as primeira resenha achei legal,mas não me interecei,mas você fala tão bem da série que deu vontade de ler.

Lariza Barbosa disse...

Quando li as primeira resenha achei legal,mas não me interessei,mas você fala tão bem da série que deu vontade de le

dandaradayla disse...

Sou louca pra ler essa série, esperando uma promo boa pra comprar a maioria dos exemplares =D. Parabéns pela resenha! Bj!

Nice santos disse...

Aff Dana, PORRA, quero ler esse livro AGORA!!! Vc sabe que o primeiro não foi lá essas coisas pra mim, mas esse segundo, mesmo sendo previsível, me deixou curiosíssima, e a relação com fatos... AIQUEÓDIO, agora vou ficar em desespero =X Kkkkkkkk

Maria Clara Teixeira disse...

Parabéns, querida. Está cada dia mais especial o seu blog.
Será que vou ter que repensar as minhas leituras?
Beijinho, Clara

Jordana Silva disse...

Claraaaa! Adorei sua visita aqui no blog, volte sempre! obrigada pelas palavras amada! bjos

Jordana Silva disse...

Rá! Eu ameiiiiiiii e ja estou lendo o sonho do sucubo!!! 

Kari_Couto disse...

Eu amo essa série! Georgina Kincaid é um personagem fantástico que a nossa queridissima Richelle criou! #amo

KassiaCrislayne disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk Ele não existe, fato! Se existir, manda um exemplar pra mim! Cada vez mais curiosa por essa série! e vc viciou-se né, pq está lendo um atrás do outro! rsrs
bjs.

monicanay disse...

Gosto muito dessa serie. O Seth é muito fofo, e zéxico. ~ri muito nessa parte~
O fato é... a historia pode ser previsíveis - a maioria dos livros dela é - mas a Richelle sabe como criar personagens marcantes que agradam o publico, mesmo a historia sendo fraquinha você vai ler.
Bjs!

ps.: o blog ta lindinho =)

Jordana Silva disse...

Concordo com vc Monica, mesmo sendo previsivel é d++++! Obrigada pela visita, volte sempre! bjos

Jordana Silva disse...

O queeeeeeee querida? Se ele existisse eu pegava pra mim! kkkkkkkkkkkkk Leia leia leia! ja to lendo o volume tres e ainda essa semana sai a resenha! :D bjos

Jordana Silva disse...

Concordo, a Georgie é tudo de bom e nesse livro tres eu ja to eh com pena da pobre! kkkkkk #NoSpoilerPlease kkkkkkkk

Mariana Diaz disse...

Gostei da ideia disso ai... ta um romance meio vampira e gambit do X-men. Olhe mas não toque. Meu deus, pense numa tortura! kkkk XD
O fato dos livros da autora serem previsíveis me incomoda bastante! Fiquei interessada na historia, mas por conta desse detalhe não sei se leria a serie. 

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D