Resenha: O céu está em todo lugar (Jandy Nelson)

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788563219374
Ano: 2011
Páginas: 424


O céu esta em todo lugar fala de perda, superação, descobertas, culpa, etc. Tudo ao mesmo tempo. Imagine você, com 17 anos e perdendo sua única irmã de uma maneira abrupta. Sua irmã, seu ídolo. É assim que começa a historia de Lennie Walker para nós. Em uma bela tarde, sua irmã Bailey, estava ensaiando para ser Julieta numa peça da escola e no minuto seguinte estava morta. O mundo de Lennie gira 180° e ela se vê desnorteada e completamente devastada.

Lennie está em luto absoluto e não entende por quê todo mundo parece seguir em frente, para ela isso está errado, afinal, Bails está morta! É quando Toby, o ex namorado de Bailey, se aproxima de Len. Ela acha que ele é o único que a entende e vice-versa. Lennie está confusa, ao mesmo tempo em que se sente culpada pela aproximação com Toby, pois ela acha que esta traindo a irmã, ela quer viver aquelas experiências, até então ela sempre havia vivido à sombra de Bailey, é como se ela tivesse apenas existido durante 17 anos da sua vida e de repente, começa a viver quando sua irmã morre. É mesmo de deixar qualquer pessoa maluca.

Nesse meio termo aparece Joe Fontaine, o garoto novo da cidade, vindo de Paris (preciso abrir um parêntese para falar deste ser humano incrível! Joe é tudo que eu quero e preciso!), um garoto lindo, compreensivo e amante da musica, assim como John Lennon (apelido carinhoso que ele pôs em Lennie).

“Era uma vez uma garota que percebeu que estava morta. Espiou pela fresta do céu e viu que La na terra sua irmã sentia muito a sua falta. Então, percorreu caminhos por onde não deveria ter andado, pegou alguns momentos com a mão, chacoalhou-os e os jogou como se fossem dados por cima do mundo dos vivos. Funcionou. O garoto do violão colidiu com sua irmã. ‘Pronto Len’, sussurrou. ‘O resto é com você’.”

A protagonista se vê dividida entre a paixão avassaladora que surge entre ela e Joe, e o sentimento que nutre por Toby, sentimento este que ela não sabe o que é, pois na hora que ela está com ele, esquece de tudo e vive o momento, mas quando vai ele vai embora a culpa a consome.

Este livro foi uma grata surpresa pra mim, eu mantive uma expectativa muito grande em relação à este romance e felizmente não me decepcionei. Os personagens são muito bem construídos, completamente verossímeis, você facilmente pode associá-los com pessoas do seu cotidiano.

Jandy Nelson trata de temas como luto, abandono, despertar da sexualidade, arrependimento e culpa, com bastante naturalidade e sutileza, este livro não é clichê e o final é surpreendente. Você pode pensar que Lennie é egoísta, traidora, falsa e tudo o mais, mas ela não é! Ela é uma garota de 17 anos que até então nunca teve nenhuma experiência mais profunda com o amor e quando tem, vem junto com a terrível dor de perder sua amada irmã. A avó delas é uma personagem sensacional e eu sofri muito com ela, o tio Big também é um personagem ótimo, mas pouco explorado. Eu consegui entender todo o lado de Lennie e não condeno nada do que ela fez, ninguém tem culpa por sentir o que sente, infelizmente.

“...viro de costas e logo em seguida estou abraçando meu travesseiro e beijo o ar com uma parcela vergonhosa de paixao. De novo não, penso. O que há de errado comigo? Que tipo de garota quer beijar todos os rapazes no meio de um funeral? Que tipo de garota quer agarrar um cara em uma arvore, depois de dar uns beijos no namorado da irmã (morta) na noite anterior? E, por falar nisso, que tipo de garota quer beijar o namorado da irmã?”

Um gesto dela que me chamou atenção foi o fato de escrever na perna com os dedos quando está nervosa ou ansiosa. EU FAÇO ISSO. Achei que era a única pessoa no universo com essa mania esquisitíssima. Lennie é uma adolescente comum, cheia de duvidas e sentimentos guardados, como eu fui, e como você, leitor, foi ou é! Eu ri muito com os pensamentos dela,  muitos dos quais eu mesma já tive...rs Vocês vão entender do que estou falando quando lerem o livro. Lennie é hilária e completamente sem noção.

A leitura pode demorar um pouco a engrenar, admito, mas quando o livro pega ritmo, você não quer mais largá-lo. Uma diagramação impecável e LINDA! Revisão muito boa e capa super diferente, com uma textura que eu nunca vi antes. O céu está em todo lugar é recomendado para todas as idades, é um romance gostoso e leve, um pouco triste, o final me fez chorar. 

“Ao meu lado, a cada passo, a cada suspiro, está o fato insuportável de que tenho um futuro pela frente, e Bailey não.
É aí que me dou conta.
Minha irmã vai morrer todos os dias, pelo resto da minha vida. A dor dura para sempre. Não desaparece nunca; torna-se parte de nós, a cada passo, a cada suspiro. Nunca vai parar de doer, Bailey, porque nunca vou deixar de gostar muito de você. É assim que é. A dor e o amor caminham juntos, um não existe sem o outro. Tudo o que posso fazer é adorá-la e amar o mundo, imitar seus passos ao viver com ousadia e força e alegria”.


Classificação:

6 Comentários:

KassiaCrislayne disse...

Quero muito ler esse livro. Ele é lindo, tanto por fora como o conteúdo. Mesmo sendo triste, gostaria de lê-lo e saber a história da Len e o final porque faz tempo que estou curiosa! o.o

Bjs.

Hyasmim Cristinne disse...

Amei sua resenha, ficou linda e mostra exatamente como o livro é *o* 
Esse foi sem dúvida o melhor livro do ano pra mim <3

Beijos :**

http://londondreamylondon.blogspot.com/

Marilia Kelvia disse...

Eu amei esse livro, ate fiquei  com saudade quando acabei de ler, a trama é super envolvente, me coloquei no lugar da Lennie diversas vezes pensando se faria a mesmas coisas ou não. Para mim foi um dos livros mais especiais desse ano.beijos

Anie Rezena disse...

Esse livro realmente parece ser bom. 
Tou louca para ler.

Sthéfanie Paula Cachoeira Rezena –
modaeeu.blogspot.com

Autora e Coordenadora de Divulgação

CLUBE DOS NOVOS AUTORES

 

 

Beijinhos e espero sua visita, Blanc.

Carol Vargas disse...

Hmmm, o livro é um deleite mesmo, né?! Amei! 
Como vc eu não consigo julgar como incorreta alguma atitude da Lennie, e achei MTO fofa a forma como Joe se aproximou da "John Lennon"!

Curti demais tudo o que a Lennie escrevia, e achei os detalhes das "manias" das personagens mto criativos e encantadores... O livro todo é de uma singularidade tamanha que não dá pra explicar... Dá pra consumir. Sugar. Suspirar e sofrer de DPL! rs

Ótima resenha, Dana! 

Raquel Souza disse...

Eu vi esse livro na saraiva ..é lindo,por dentro é todo azul,parece uma carta..é mto fofo *o*
E a história é beem emocionante..li váarias resenhas sobre esse livro e me encantou mais e mais..sobre o que Lennie irá fazer,como irá lidar com a história e etc.

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D