Resenha: Bel Ami - Guy de Maupassant

sábado, 28 de janeiro de 2012

Título: Bel Ami
Autor: Guy de Maupassant
Editora: Landmark
ISBN: 9788580700169
Ano: 2012
Páginas: 432

"Bel-Ami retrata o agitado mundo parisiense no qual os personagens devem trilhar um caminho estreito. Agindo como um verdadeiro canalha, incerto e inconstante tanto nos domínios do amor quanto nos das ideias, Georges Duroy se vale de seu charme, do seu corpo e das mulheres para crescer social, política e financeiramente.
No início do romance, Duroy é apenas um jovem pobre do interior que busca fazer fortuna. Apesar de sua origem, a ambição de Georges Duroy faz com que ele tenha como propósito, ser um dos homens mais ricos e poderosos da França. A partir desse objetivo, ele utiliza o seu charme e boa aparência para seduzir as mulheres de políticos e homens influentes da capital francesa. O romance, recheado de cenas sensuais, descreve Paris em detalhes: Ao longo do romance, Duroy frequenta locais famosos na cidade, como o cabaré Folies Bergère e o Bois de Boulogne, além das regiões campesinas em torno da capital francesa, e certas cenas se passam nas igrejas de Paris, como na Igreja da Trindade e na Igreja de Santa Madalena. Georges Duroy explora as fraquezas das pessoas que o cercam em proveito próprio dentro de um processo pessoal de manipulação: Ele utiliza o sexo como uma arma para conseguir das amantes o que deseja, uma vez que Cada mulher que ele seduz serve para um propósito específico, seja profissional, financeiro ou até mesmo político. “

Dizer que eu adoro esse tipo de livro é até um eufemismo. Romances históricos que mostram personagens sem moral, com uma pitada de sarcasmo bem elaborado e reviravoltas muito me agradam.

A Paris do final do século XIX se mostra além das nuances conhecidas e passa a ter uma aura de aparência.  Habitada por uma sociedade que vive esbanjando riqueza, por mulheres falsas e homens oportunistas.

Sabe aquele personagem sem moral, ambicioso, sem escrúpulos, cínico, mas que você daria um braço pra ter para você por que é quente como o inferno? Bem, esse é Georges Duroy.
Ex militar, sem dinheiro nenhum no bolso e pensando em como vai fazer para pagar por duas refeições por dia George por um acaso do destino encontra um colega de infantaria na rua. A partir daí sua sorte começa a mudar.   Ele encontra em Charles Forestier uma oportunidade de crescimento como jornalista no jornal La Vie Française . Mas é através da esposa de Charles a bela Madeleine que ele passa a ter consciência de que pode usar a beleza a seu favor. Dizer que George não tinha consciência de sua beleza seria mentira, mas ele só passa a utilizar-se de seu charme para obter vantagens após sugestões da esposa de seu amigo.

Madeleine é aquele tipo de personagem que você pega antipatia logo de cara, ela tem um sorriso que para mim é sempre falso, claro que Georges tem outra opinião sobre ela.

A primeira conquista de Duroy foi a senhora Clotilde de Marsella, casada e com uma filha que apelida Georges de Bel Ami. A partir daí ele passa a subir cada vez mais, ganhando melhor colocação no jornal após deslumbrar a esposa do dono e até mesmo ganhando a confiança do marido de sua amante.

Quando Charles é acometido de uma grave tosse e morre, Bel Ami vê a oportunidade de casar-se com Madeleine, faz juras de amor e devoção eterna. Bem, ela aceita e eles casam, engana-se quem pensou agora ele deu o golpe e o livro acabou. Não, ele almeja um pouco mais e começa a cortejar a esposa do seu chefe a Sra. Walter.  Ela até tenta resistir, mas acaba se entregando a ele. Contabilizando até esse momento George tem uma esposa e duas amantes.

Madeleine é a esposa perfeita, Clotilde a amante devotada, porém a Sra. Walter começa a aborrecer George com seus carinhos exagerados, sendo assim ele resolve tentar romper com ela, o que causa grande transtorno por que a mulher age como se tivesse quinze anos e o amante fosse seu primeiro homem.

Em um jogo político o Sr. Walter acaba ganhando milhões, o que desperta a ira e a inveja de Duroy, ele percebe então que poderia ter se casado com uma das filhas do chefe e que hoje estaria rico. Porém, para que isso se concretize ele precisa primeiro conquistar a moça e livrar-se de Madeleine.   Usando de algumas artimanhas ele consegue se separar e arquiteta assim um plano para se casar com Suzane Walter. Se ele consegue ou não? Só lendo para saber.

Eu recomendo o livro, ele nos faz refletir sobre até onde um homem é capaz de ir por dinheiro e fama. Além de trazer alguns aspectos da sociedade e costumes parisienses que persistem até hoje, como a formalidade no tratamento e o uso do "tu" que é utilizado apenas com pessoas que se tem certo grau de intimidade.


Essa edição é bilíngue, então deu pra medir bem a tradução que está impecável, a tradutora manteve certos termos em francês o que geralmente não acontece e colocou poucas notas o que me deixa bem feliz visto que interromper a leitura várias vezes para ler uma nota ao meu ver é bem incômodo. A capa está um luxo, a fotografia é da adaptação cinematográfica dos diretores Nick Ormerod e Declan Donnellan e que traz no elenco Robert Pattinson, Uma Thurman e Christina Ricci.


Confira o trailer:




Infelizmente o filme ainda não tem data de estreia confirmada no Brasil.

Eu estou super ansiosa para ver Pattinson na pele de Duroy e vocês, o que acham?

Até semana que vem.



15 Comentários:

Dana Silva disse...

ahhhhhhhhh quero muuuuuito ler esse livro!!! Desde que vi o trailer e soube que era de um livro fiquei louca! otima resenha priscila, parabens!! bjs

Rafaela Sy disse...

Quero ler agora mesmo...adoro esses personagens cafajestes...adoro,adoro.
Parabéns pela resenha ficou maravilhosa.

Naniedias disse...

Eu sou doida com romances históricos, adoro *-*
Mas confesso que não gosto desse tipo de cara >< hahahah gosto mesmo é dos mocinhos, bonzinhos, certinhos \o/
Adoro quando podemos comparar a tradução!!! E acho fantástico quando deixam alguns termos na língua original =D

Beijos,Nanie - Nanie's World

Ana Beatriz disse...

Priiiiii, sua linda! amei a resenha <3

Tô ainda no início do livro, mas já tô amando! e é tão legal ver esses clássicos sendo adaptados para o cinema :)

Estou torcendo muito para que Bel Ami faça muito sucesso e ganhe vários prêmios!

E como a maioria (aka todo mundo!) tô super ansiosa pra ver o Rob interpretando o Duroy *abana* kkkkkkk

Cadê dia 17 de fevereiro p/ nós vermos os lindinhos na premiere em Berlim? *todastorcem*

Quero ver mais resenhas suas! :D

bjoo!

Rair Ângelo disse...

Um livro muito bom de ser ler, pois além de nos aproximar da cultura de uma cidade que tem como Capital, dos amantes, mostra-nos que o homem por mais que o amor seja algo inquebrável (é assim que o vemos), a riqueza, a boa aparência, e sobretudo a política, pode corrompê-lo. E com isso, a trama nos oferece esse conflito de: amor vs poder. Fomentante esse post a respeito do livro! De fato, ao lê-lo incitou-me a colocá-lo na minha lista de leitura desse ano. Quero agradecer a autora e ao mesmo tempo, pedi-la que nunca pare, esse mundo cibernético carece e muito de pessoas sensíveis e preparadas a escreverem posts como esses, com intuito de disseminar essa capacidade tão linda que o homem tem: que é a leitura e a compreensão! Meus parabéns !!!

Romances e Leituras disse...

Fiquei louca agora! 
Amei a resenha, amei a sinopse do livro, amei o trailer...

Já coloquei na minha estante a na minha lista de URGÊNCIAS!

Beijoos,
Gabi 

Pâmela Vital disse...

Priiiiiiiiiiiiiiiiii *-*
Achei uma amiga que gosta tambem de resenhas grandes =x haha
Adorei sua resenha! Rapaz.. ele pode ser quente, mas se apaixonar por um desses é perdição na certa! 
Devo dizer que Bel Ami é o tipico safadao sem futuro, ambicioso, bonito e ganacioso, ne?
Ah, que coisa, já tô querendo ver o filme =x Jesus!
Parabéns, companheira de blog!

Suzana Sabino disse...

Estou tão ansiosa para ler esse livro e ver o filme! Muito mesmo!
E essa edição da Landmark? Mais linda impossível!
Eu quero, eu quero! õ/

Beijos.

Gracy Ursulino disse...

Quero demais esse filme... O cinema em 2012 está recheado de maravilhas... 

Lariza Barbosa disse...

Não fazia a mínima idéia da existência desse livro,mas a resenha me deu vontade de ler
rsrsr
ótima

TriBooks disse...

Também gosto de romances históricos ;D Primeira visita no blog, gostei muito!

Beijos,

Paula

http://tribooks.blogspot.com

@Tri_Books 

Kel Costa disse...

Oi florzinha!

Bem, eu não sei se tenho paciência para ler o livro, não é o tipo de história que eu leria, sabe? Mas tenho curiosidade, um pouquinho só rs. Então acho que apenas assistir ao filme já basta. Quando puder irei ver!

Bjs,Kelwww.itcultura.com

KassiaCrislayne disse...

Ah, não gosto de históricos. =\ Mas essa história me interessou... Quem sabe eu não leio? rsrs

Bjs.

Patricia Andrea Peña disse...

Eu adoro romances históricos! E também gosto muito de personagens sem moral e de cenas sensuais! Parece que vou gostar deste livro hehehe
Não gostei do Pattinson como Duroy!
Beijos,
@PatriciaADavis 

dandaradayla disse...

Adoro romances históricos, vi esse na livraria, mas não tinha visto uma resenha dele ainda. Adorei a proposta do livro, mas o Robert na capa acabou com o livro =(.

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D