Resenha: Bel Ami - Guy de Maupassant

sábado, 28 de janeiro de 2012

Título: Bel Ami
Autor: Guy de Maupassant
Editora: Landmark
ISBN: 9788580700169
Ano: 2012
Páginas: 432

"Bel-Ami retrata o agitado mundo parisiense no qual os personagens devem trilhar um caminho estreito. Agindo como um verdadeiro canalha, incerto e inconstante tanto nos domínios do amor quanto nos das ideias, Georges Duroy se vale de seu charme, do seu corpo e das mulheres para crescer social, política e financeiramente.
No início do romance, Duroy é apenas um jovem pobre do interior que busca fazer fortuna. Apesar de sua origem, a ambição de Georges Duroy faz com que ele tenha como propósito, ser um dos homens mais ricos e poderosos da França. A partir desse objetivo, ele utiliza o seu charme e boa aparência para seduzir as mulheres de políticos e homens influentes da capital francesa. O romance, recheado de cenas sensuais, descreve Paris em detalhes: Ao longo do romance, Duroy frequenta locais famosos na cidade, como o cabaré Folies Bergère e o Bois de Boulogne, além das regiões campesinas em torno da capital francesa, e certas cenas se passam nas igrejas de Paris, como na Igreja da Trindade e na Igreja de Santa Madalena. Georges Duroy explora as fraquezas das pessoas que o cercam em proveito próprio dentro de um processo pessoal de manipulação: Ele utiliza o sexo como uma arma para conseguir das amantes o que deseja, uma vez que Cada mulher que ele seduz serve para um propósito específico, seja profissional, financeiro ou até mesmo político. “

Dizer que eu adoro esse tipo de livro é até um eufemismo. Romances históricos que mostram personagens sem moral, com uma pitada de sarcasmo bem elaborado e reviravoltas muito me agradam.

A Paris do final do século XIX se mostra além das nuances conhecidas e passa a ter uma aura de aparência.  Habitada por uma sociedade que vive esbanjando riqueza, por mulheres falsas e homens oportunistas.

Sabe aquele personagem sem moral, ambicioso, sem escrúpulos, cínico, mas que você daria um braço pra ter para você por que é quente como o inferno? Bem, esse é Georges Duroy.
Ex militar, sem dinheiro nenhum no bolso e pensando em como vai fazer para pagar por duas refeições por dia George por um acaso do destino encontra um colega de infantaria na rua. A partir daí sua sorte começa a mudar.   Ele encontra em Charles Forestier uma oportunidade de crescimento como jornalista no jornal La Vie Française . Mas é através da esposa de Charles a bela Madeleine que ele passa a ter consciência de que pode usar a beleza a seu favor. Dizer que George não tinha consciência de sua beleza seria mentira, mas ele só passa a utilizar-se de seu charme para obter vantagens após sugestões da esposa de seu amigo.

Madeleine é aquele tipo de personagem que você pega antipatia logo de cara, ela tem um sorriso que para mim é sempre falso, claro que Georges tem outra opinião sobre ela.

A primeira conquista de Duroy foi a senhora Clotilde de Marsella, casada e com uma filha que apelida Georges de Bel Ami. A partir daí ele passa a subir cada vez mais, ganhando melhor colocação no jornal após deslumbrar a esposa do dono e até mesmo ganhando a confiança do marido de sua amante.

Quando Charles é acometido de uma grave tosse e morre, Bel Ami vê a oportunidade de casar-se com Madeleine, faz juras de amor e devoção eterna. Bem, ela aceita e eles casam, engana-se quem pensou agora ele deu o golpe e o livro acabou. Não, ele almeja um pouco mais e começa a cortejar a esposa do seu chefe a Sra. Walter.  Ela até tenta resistir, mas acaba se entregando a ele. Contabilizando até esse momento George tem uma esposa e duas amantes.

Madeleine é a esposa perfeita, Clotilde a amante devotada, porém a Sra. Walter começa a aborrecer George com seus carinhos exagerados, sendo assim ele resolve tentar romper com ela, o que causa grande transtorno por que a mulher age como se tivesse quinze anos e o amante fosse seu primeiro homem.

Em um jogo político o Sr. Walter acaba ganhando milhões, o que desperta a ira e a inveja de Duroy, ele percebe então que poderia ter se casado com uma das filhas do chefe e que hoje estaria rico. Porém, para que isso se concretize ele precisa primeiro conquistar a moça e livrar-se de Madeleine.   Usando de algumas artimanhas ele consegue se separar e arquiteta assim um plano para se casar com Suzane Walter. Se ele consegue ou não? Só lendo para saber.

Eu recomendo o livro, ele nos faz refletir sobre até onde um homem é capaz de ir por dinheiro e fama. Além de trazer alguns aspectos da sociedade e costumes parisienses que persistem até hoje, como a formalidade no tratamento e o uso do "tu" que é utilizado apenas com pessoas que se tem certo grau de intimidade.


Essa edição é bilíngue, então deu pra medir bem a tradução que está impecável, a tradutora manteve certos termos em francês o que geralmente não acontece e colocou poucas notas o que me deixa bem feliz visto que interromper a leitura várias vezes para ler uma nota ao meu ver é bem incômodo. A capa está um luxo, a fotografia é da adaptação cinematográfica dos diretores Nick Ormerod e Declan Donnellan e que traz no elenco Robert Pattinson, Uma Thurman e Christina Ricci.


Confira o trailer:




Infelizmente o filme ainda não tem data de estreia confirmada no Brasil.

Eu estou super ansiosa para ver Pattinson na pele de Duroy e vocês, o que acham?

Até semana que vem.