Resenha: O Livro das Coisas Perdidas (John Connolly)

segunda-feira, 5 de março de 2012


O_LIVRO_DAS_COISAS_PERDIDAS_1328481425P

Título: O Livro das Coisas Perdidas 
Autor: John Connolly
Tradução: Cecília Prada
Edição: 1
Editora: Bertrand Brasil
 Ano: 2012
Páginas: 363
Após a morte da mãe, David, de 12 anos, passa a maior parte do tempo em seu quarto tendo com os livros como companhia. Quando eles começam a sussurrar para o menino, realidade e imaginação se misturam até que, ao brincar no jardim, entra em um reino encantado, onde encontrará heróis, monstros e um rei fracassado que guarda seus segredos em um livro misterioso. John Connolly, em O Livro das Coisas Perdidas, desconstruirá fábulas conhecidas, como A Branca de Neve e os Sete Anões e João e Maria, por meio de muita imaginação e mistério. Um livro para todas as idades que virou mania quando lançado na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos.

Em “O livro das coisas perdidas” de John Connolly, (Bertrand Brasil, 363 páginas) somos apresentados a um garoto que conheceu o sofrimento desde cedo. David, de apenas 12 anos, tem TOC (transtorno obsessivo compulsivo) e quando perdeu a mãe para o câncer, acreditava que a morte dela foi causada pela falha em alguns de seus rituais (escovar os dentes contando até 20, tocar maçanetas e torneiras um determinado numero de vezes, mas sempre um número par pois acreditava que números impares eram ruins). David agora se sente excluído, sozinho e abandonado. Como se não bastasse isso, ele começa a  sofrer convulsões e desmaios, e, durante esses ataques, ele entra numa espécie de transe onde vê imagens de um mundo completamente diferente do seu, um mundo mágico.

Seu pai casou-se novamente e agora David está prestes a ganhar um irmãozinho. O garoto não suporta sua madrasta, Rose, e gosta menos ainda da idéia de ir morar na casa dela. Quando chegam ao novo lar, na tentativa de ganhar alguma simpatia do menino, Rose o instala num quarto cheio de estantes recheadas de livros antigos e os tão famigerados contos de fadas que David tanto ama, graças à sua falecida mãe.

E é aqui onde nossa história realmente começa. David começa a ouvir sussuros entre as estantes e percebe que eles vêm dos livros. Durante uma noite ele ouve a voz da mãe vindo do jardim rebaixado, e quando decide investigar é transportado para o mundo mágico que via em seus ataques.

Quando você pensa em mundo mágico e contos de fadas, logo lhe vem à mente o sol brilhando, os pássaros cantando e a chapeuzinho vermelho saltitando pela floresta, certo? Neste livro nada é o que parece. Nada aconteceu como nos foi contado. John Connolly "derruba" todas as histórias que sempre ouvimos desde pequenos. A escrita do autor flui de forma impressionante e nos encanta a cada página e a cada novo conto “desmascarado”. Sempre fui fã dos contos de fadas mas adorei vê-los sob essa perspectiva, onde a chapéuzinho vermelho foi a culpada de tudo, a Branca de Neve é um pé no saco e por isso Os sete anões querem vê-la bem longe, a Bela Adormecida não era assim tão bela... e muito mais!

Esse novo mundo não é seguro, não é bonito, não é legal! É repleto de criaturas malvadas, bestas assustadoras e lobos que querem devorá-lo. David encontra em sua jornada pessoas que o ajudam mas encontra mais ainda pessoas que querem acabar com ele. O protagonista amadurece mais e mais a cada nova situação vivida e tira lições de cada apuro que passa. Aprende sobre crescimento, amizade, lealdade, preconceito, perdão, amor, etc. 

"Como você cresceu rápido. Há bem pouco tempo, você era apenas uma criança atemorizada, e agora triunfa onde cavaleiros armados fracassam. Tira a vida de homens e limpa sua lâmina para prepará-la para o próximo assassinato..." página 289 

Este não é um livro para crianças. Connolly descreve com maestria e riqueza de detalhes cada morte, tortura e perversão. Algumas cenas realmente dão medo e confesso que não gostaria de estar na pele de David. Os capítulos mais tensos, em minha opinião, são os XVI e XVII - “Dos três cirurgiões e De Centauros e da vaidade da caçadora”. Não vou falar nada sobre o capítulo, mas é no mínimo apavorante.

O final é surpreendente e nos mostra que tudo depende das nossas escolhas e que as coisas podem não ser tão boas quanto parecem e nem tão ruins como acreditamos. Aprendemos que acima de tudo devemos enfrentar os nossos medos pois é o medo que dá vida aos nossos mais terríveis pesadelos. E cuidado, muito cuidado com o que você desejar em horas de fúria, seu desejo pode se tornar real e de uma maneira muito mais cruel, que você jamais ousou imaginar.

O livro está mais que recomendado para aqueles que, como eu, amam os contos de fada e não veem problema nenhum com versões "alternativas" deles. O livro das coisas perdidas já estará disponível nas livrarias à partir de março e o primeiro capítulo você pode ler ao final desta resenha. Esse livro com certeza se tornou o meu mais novo livro favorito.

Classificação:



"A fúria de David superou o medo. Seu ódio era maior que qualquer pensamento de fuga. Naquele momento, era mais um homem do que um menino, e sua passagem para a idade adulta definitivamente teve início." pág. 275

23 Comentários:

meninadabahia disse...

Adorei sua resenha e, claro, inclui na wishlist.

Bjs!

Dana Silva disse...

Muito bom Naty!!! bjos!

Annezinhacv disse...

Eu li viuuuuu XD
adoreeeei..ja quero ler *.*
mais um p minha lista de desesperados hahahahaha...
bjim amiga

Teacher disse...

Parabéns pelo site. Muito bonito.
Obrigado pela resenha e informação, com certeza vou comprá-lo na versão em inglês.
God bless you.

Priscila Siqueira disse...

Apenas uma palavra: M-E-D-O!! ui/ fiquei com vontade de ler, mas sou medrosa demais pra isso hahahah

Lariza Barbosa disse...

EU ADORO LIVROS NESSE ESTILO ADORO SENTIR MEDO 
PARECE SER TUDO QUE ME DEIXA FELIZ EM UM LIVRO 
JÁ NA LISTA RSRSR
COMO SEMPRE VC SE SUPERA A CADA RESENHA 

Sussu ♥ disse...

 Gente que livro tenso :O estou curiosa pra conhecer a evolução do David

Naniedias disse...

Dana, esse livro parece ser excelente! É exatamente o tipo de leitura que eu amo de paixão =D Preciso muito ler essa história *-*

Beijos, Nanie - Nanie's World

Glaucia Black disse...

Dana, eu amei o livro do início ao fim. A leitura foi fácil, fluente e muito gostosa. Enquanto lia imaginava esse novo mundo, os perigos e a forma como ele amadureceu nessa sua jornada. Toda a mágoa. no fim, ficou para trás e David conseguiu se tornar uma pessoa melhor. Adorei mesmo.
Amei a resenha!
bjs no core

Dana Silva disse...

eu tb ia imaginando... os capitulos sobre a caçadora me apavoraram! tenso demais!!!! amei amei amei! s2 

Anie Rezena disse...

Muito bom, fiquei interessada!

Selene
Blanchard

Blanc –
ModaeEu.blogspot.com

Espero sua
visita!

brumiranda disse...

Eu já tinha ouvido falar do livro e acho a capa muito legal, mas depois da resenha eu quero muuuito ler. Esses tempos eu tenho pensado muito em contos de fadas e como queria ler as versões originais e tal.. Acho que eu vou gostar muito desse! Há tempos que não leio um livro mais "dark" assim.. auheahueauhe

Adorei a dica! :D
beeeijos, Dana!

fellipe disse...

Eu tinha visto a capa desse livro alguns dias atrás, mas ela não me chamou atenção, mas agora com a sua resenha fiquei muito curioso para ler esse livro! Gosto dessas versões alternativas dos contos de fadas, principalmente quando elas são mais macabras! E levando em conta o que você disse sobre ele descrever muito bem as mortes e a chapeuzinho ser a culpada de tudo, a branca de neve ser chata e etc, acho que eu iria gostar muito!

dandaradayla disse...

Oi flor, vi as meninas falando desse livro, parece bem bacana e fofo! Parabéns pela resenha =D.

www.falandodelivros.com

Juh Oliveto disse...

Gente, adorei!
Adorei a história e os comentários que você fez me deixaram com MUITA vontade de ler esse livro. Certamente está na minha lista de desejados! *-*

Beijocas!
Juh Oliveto
Livros & Bolinhos ~*-*

Jennifer Farias disse...

Você me deixou com MUITA vontade de ler esse livro...Mas eu não acho em lugar nenhum pra comprar!!!

Dana disse...

Em algumas semanas, acho que na proxima ja, vc poderá comprar pois ele foi lançado hoje se nao me engano... vi a bertrand dizer que chegou da grafica ontem, esse que li foi apenas a prova do livro, uma versao impressa e encadernada. vc vai amarrrrrrrr se for fã de contos de fadas, mas nao se assuste, eles nao sao nada do que parecem ser. ahahaa bjs

Laura Saraiva disse...

Já tinha visto a respeito desse livro e queria muito comprar, mas não encontro em um lugar nenhum, nem na internet. Quando ele ficará disponível?

Dana disse...

Oi Laura, acredito que a partir dessa semana já deva estar nas lojas! 

Lila Souza disse...

SENSACIONAL! Super quero!

Ana Luiza Silva disse...

Já quero ler! Não lembro onde vi o livro, se foi na Livraria Cultura ou na Bienal... Só sei que quis muito comprá-lo na hora, mas não pude, e agora com a resenha quero de novo! ^^ ehehe

Pedro Vinicius disse...

Oi, Dana.


Senti quase que as mesmas coisas que você enquanto lia. O John tem uma maneira especial de falar sobre a dor, sobre o crescimento, e acho que isso que mais me marcou. Parabéns pela resenha! (:


www.o-livreiro.com

Dana Silva disse...

Pois é, gostei tanto da escrita dele que comprei e já estou lendo The Gates, a ser publicado pela Bertrand no segundo semestre de 2013! ;) Obrigada pela visita!

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D