Resenha: On The Road Pé na Estrada - Jack Kerouac

sábado, 10 de março de 2012


Livro: On The Road: Pé na Estrada
Autor: Jack Kerouac
Edição: 1
Editora: L&PM
ISBN: 8525413208
Ano: 2004
Páginas: 380
Tradutor: Eduardo Bueno




Sinopse: Sal Paradise é o narrador de On the road - pé na estrada. Ele vive com sua tia em New Jersey, Estados Unidos, enquanto tenta escrever um livro. Ele é inteligente, carismático e tem muitos amigos. Até que em Nova York ele conhece um charmoso e alucinante andarilho de Denver de personalidade magnética chamado Dean Moriarty. Dean é cinco anos mais novo que Sal, mas compartilha o seu amor por literatura e jazz, e a ânsia de correr o mundo. Tornam-se amigos e, juntos, atravessam os Estados Unidos, deparando-se com os mais variados tipos de pessoas, numa jornada que é tanto uma viagem pelo interior de um país quanto uma viagem de auto-conhecimento - de uma geração assim como dos personagens.


On The Road  é uma obra prima de Jack Kerouac que influenciou uma geração inteira. Não é um livro de fácil leitura, mas hoje posso dizer que é um dos meus preferidos. Tanto que na minha estante tenho essa edição, o manuscrito original publicado também pela L& PM e a publicação em espanhol que ganhei de um amigo e que tem o título “En el Camino”.

Sal Paradise é um escritor que mora na Nova York do fim da década de 40, ele ainda mora com a tia e curte a vida boêmia da cidade. Um belo dia um rapaz chamado Dean bate em sua porta e pergunta se ele pode ensiná-lo a escrever, a partir daí nasce uma das mais belas amizades que eu já vi.

Eles passam a passar muito tempo juntos, bebendo com os amigos, andando na noite, filosofado sobre a vida.  Com a chegada da primavera todos os companheiros de boêmia de Sal viajam para Denver  para curtir e ele não é diferente, com pouco dinheiro no bolso e muita coragem ele sai de sua cidade para viver a aventura de viajar de carona pelo país.

Essa é apenas a primeira de cinco viagens protagonizadas por Sal, nelas ele conhece um pouco mais sobre liberdade, humildade e um estilo de vida que a partir dos anos 60 nós vamos conhecer como hippie. Dean é seu companheiro em quatro das cinco viagens, apenas na primeira eles se desencontram ou ficam juntos por um curto período de tempo.

Eles viajam pelo país, bebendo, curtindo a vida e Dean conquistando várias mulheres. A primeira que nós vamos conhecer é Marylou ( que protagoniza uma cena de ménage a trois com Sal e Dean), depois temos Camille e Inês. 

É engraçado quando você para e pensa  em quantos quilômetros eles viajaram juntos e quantos lugares eles conheceram, dá vontade de pegar alguns amigos, um carro, um mapa e cair na estrada também. Mas eu acho que acima de tudo  On The Road é uma história sobre a amizade e liberdade. São pessoas que se desprendem do que é pré- estabelecido para elas pela família, sociedade, etc. e saem em busca de algo novo, são dois amigos que apesar de serem diferentes tem  experiências iguais.

Eu gosto bastante dessa capa, embora a do manuscrito eu ache bem mais bonita. A tradução está impecável, posso dizer com base na edição em espanhol.

Essa resenha estava há um tempinho no meu HD esperando o momento especial que rolou ontem para vir ao ar. Que momento é esse? Bem, esse livro ganhou uma adaptação para o cinema que tem como diretor o brasileiro Walter Salles e ontem finalmente, depois de quase eu ter um filho de ansiedade, saiu o trailer.  Na estrada – On The Road , traz no elenco Garret Hedlund  Sam Riley, Tom Sturridge, Kristen Stewart, Kirsten Dunst e Alice Braga. Além de vir com cheirinho de Oscar, ele está entre os filmes cotados para serem exibidos no Festival de Cannes (que para quem não sabe é um dos festivais de cinema mais importantes, que acontece na França de 16 a 27 de maio). No Brasil, o filme já tem data de estreia marcada, dia 15 de junho e há rumores de que haverá  uma première de divulgação do filme por aqui.
Confira o trailer:


          



  Classificação:



8 Comentários:

Rafaela disse...

Olá, o que devo dizer? Amei a resenha, quando li, a sensação é de fazer o mesmo, sair aí com os amigos pela estrada, é fantastico o livro em si, e pelo trailer, vimos que vai ser bem original ao livro rs <3 RM

Ana Beatriz disse...

OMFG OMFG OMFG OMFG

Que resenha linda, amiga! disse tudoooo :D
Claro, pois você é uma expert em OTR \o/

OTR é muito perfeito! Como disse a Pri, é uma leitura difícil e eu sou habituada a ler mais livros românticos, mas como OTR é um dos livros preferidos da Kristen (e ela estando no filme) e sendo um sonho realizado pelo Waltinho (aka Walter Salles) eu quis muito ler. Confesso que dei uma paradinha na leitura, mas prentendo reiniciar em breve.

O legal é isso, OTR é um clássico americano! muita gente já tentou fazer o filme e sem falar que ~apenas~ o Francis Ford Coppola tem os direitos autorais do livro! e sabendo que Waltinho tirou esse sonho de muita gente do papel (que esperaram mais de 40 anos) me enche de orgulho demais!

Torço muuuuuuuuuuuuito para que OTR seja indicado (e ganhe) muitos prêmios e principalmente o oscar, que a Kristen também ganhe esse oscar, pois apesar de ter me baseado somente no trailer por enquanto, sei que esse filme vai ser um sucesso, pois tudo ali tá perfeito, pois afinal uma história de liberdade, indo contra muita coisa da época e um filme independente e com essa produção linda, todos irão gostar!

Super indico tbm a vcs lerem OTR <3

bjão!

 

Pedro Emmanuel disse...

Uau!! Eis uma surpresa! Quem me conhece (a Dana) sabe que esse é meu livro favorito EVER, e depois de ter lido ele SEIS vezes e meia, posso afirmar que a obra-prima do Kerouac (lá vem o clichê) tem grande parcela de responsabilidade na minha atual postura como pessoa. Já errei, fiz merda, me descontrolei, voltei a fazer as mesmas merdas mais moderadamente, e hoje em dia venho acertando aos poucos, e sempre com On The Road de baixo do meu braço. Antes um romance autobiográfico, considero esse livro a bíblia dos outsiders. Jack transmite com perfeição toda a sensação de aprisionamento causada pela sociedade, e o prazer que a a independência e a liberdade, muito bem simbolizada pela estrada, podem causar. Nunca um autor romantizou de forma tão categórica a vida bandida, underground, a pobreza, e as mazelas de se viver à margem. Do livro, mesmo autobiográfico, podem ser retiradas metáforas, e delas, as mais diversas interpretações do que é essa liberdade tão buscada por Kerouac, esse sonho americano. Não obstante, influenciou tantos movimentos culturais tão distintos entre si, como os hippies e os punks ingleses, só para citar um exemplo. Um livro que dele que também poderia comparecer por aqui é o Vagabundos Iluminados, escrito na fase zen do Kerouac, e mais do que On The Road, corresponde mais ao meu estado atual... rsr E sim, to pirando aqui pra ver esse filme, e super temeroso de ver uma merda acontecer... espero não ser decepcionado. Não sei o que esperar, visto que não conheço os dois atores que interpretarão Dean e Sal, mas a achei a escolha da Kristen Stewart simplesmente demais para o papel da Marylou. Não é como eu imaginava, mas agora que a vi, é bem aquilo mesmo. Mesmo sem expressão, acho que corre sangue junkie naquela menina... hahaha. E não, acho que a Kirsten Dunst não combina com esse tipo de filme.. rs. Enfim, bo aresenha, e estamos na espera pelo filme!!

Ah, num achei a leitura difícil não... se torna estranha devido o fluxo de pensamento seguido por Jack, que não segue uma 'linha reta', é cheia de desvios, assim como as estradas que percorre. Acho que difícil mesmo é o texto do manuscrito original, que ainda não tive o prazer de ler, mas que acredito ser bem semelhante ao estilo de suas outras obras, como Tristessa, os Subterrâneos e afins... 

Priscila Alves disse...

Oi Emanuel *acena*  esse é o espíritoooo!! Sim eu amo Kerouac e posteriormente trarei mais coisas dele para publicar aqui!! Quanto a leitura ser difícil, me referia sim ao fluxo de pensamento de Dean que é um pouco complicado de acompanhar, eu confio no trabalho de Walter Salles e achei que os atores estão bem colocados no papel vou te dar a dica já que vc é fã de Kerouac assim como eu de seguir o projeto de alguns fãs dele no Brasil @ProjetoOTRBR espero que vc curta! bjs

Pedro Emmanuel disse...

Cool.. tô seguindo já. Uma pena só o portal estar fora do ar. Vamos dá uma conferida na obra de outros autores  dessa safra. Alguns nomes, como Allen Ginsber, William Burroughs, Lawrence Fellinguerti, são indispensáveis. ;)

Lara M. disse...

 adorei a resenha! sintetizou de forma bem simples muitas verdades sobre
"on the road". já comecei a lê-lo uma vez, mas infelizmente não pude de terminá-lo - qualquer dia desses tenho certeza
que retomarei a leitura. na boa parte que li, tive uma experiência
maravilhosa: a de mergulhar num "mundo" sem restrições, sem medos, de intensidade e pura liberdade. liberdade essa que é também expressa na forma de escrever do autor, num fluxo que às vezes parece não ter fim, quase sem parar pra tormar "fôlego". não sou a maior das leitoras, mas pra mim essa é uma obra singular! quanto ao filme, confesso que o trailer superou minhas expectativas! e elas eram altas, viu? haha. só tenho elogios, tanto ao elenco quanto à fotografia, e espero ansiosamente pra ver o resultado. :)

Patricia Andrea Peña disse...

Olá Priscila!
Necessito ler este livro, o filme vem depois de lê-lo ;)
Quem não gosta de viajar, isso de cair na estrada é bem a cara dos americanos não é?.
A sua resenha está impecável e quem ainda não leu o livro, com certeza agora o fará!
Bjs,
@PatriciaADavis 

Anie Rezena disse...

gostei!

Selene
Blanchard

Blanc –
ModaeEu.blogspot.com

Espero sua
visita!

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D