Resenha: O Substituto (Brenna Yovanoff)

terça-feira, 1 de maio de 2012


O_SUBSTITUTO_1328481914P

Sinopse: Mackie não é um de nós. Ele vive na pequena cidade de Gentry, mas vem de um mundo de túneis e águas escuras e lamacentas, um mundo de garotas-cadáver governado por uma pequena princesa tatuada.
Ele é um Substituto — deixado no berço de um bebê humano há dezesseis anos. Agora, devido a uma alergia fatal a ferro, sangue e solo consagrado, Mackie está morrendo aos poucos no mundo dos homens.
Mackie daria qualquer coisa para viver entre nós. Tudo o que ele deseja é tocar baixo e descobrir mais sobre uma garota estranhamente fascinante chamada Tate. Mas quando a irmãzinha de Tate desaparece, Mackie é irreversivelmente arrastado para o submundo de Gentry, conhecido como Caos.



Gentry é uma cidade estranha. Aquele tipo de cidadezinha no meio do nada mas que é bastante próspera. Porém, tudo tem um preço. Nos subterrâneos de Gentry, lá próximo ao depósito de lixo, perto da pilha de escória de metal, há uma entrada para um lugar diferente. Um lugar sombrio e assutador onde há meninas cadáveres, bebês-mortos-vivos, e outros tipos de criaturas sobrenaturais que você só poderia pensar existir em filmes.

E é aí onde a nossa história vai começar. Em O Substituto, Bertrand Brasil, 333 páginas, 2012, conhecemos o jovem Malcom Doyle, mais conhecido como Mackie. Mackie não é um de nós. Ele é um Substituto, um ser originário do subterrâneo, não pode ter contato com nada de metal, sangue e nem pode andar sob solo consagrado. Mackie foi colocado no lugar do bebê Malcom Doyle, quando tinha poucos meses de vida.

"-Às vezes, se a nova mãe o amar e cuidar dele com carinho, o bebê doente pode ficar bom. Ele deixa de ser feio e cresce forte e saudável, normal. De vez em quando, se a mãe o amar o suficiente, ele se torna bonito. […]
-Emma…- Minha garganta se apertou, e tive de começar de novo. –Emma, não foi a mamãe que me fez assim. Quem me manteve vivo todo esse tempo… foi você.

Os Substitutos são bebês que estão muito doentes e a morte é quase certa, que são trocados por bebês humanos e saudáveis a cada sete anos, numa espécie de ritual de sacrifício, para que a cidade continue próspera. Os habitantes de Gentry sabem o que se passa, porém ninguém tem coragem para fazer nada a respeito. Aquele velho “Eu-sei-que-você-também-sabe-então-ninguém-fala-sobre-o-assunto”.

“A verdade, pura e simples, é que não se pode entender uma cidade. Pode-se conhecê-la, amá-la, odiá-la. Pode-se jogar a culpa nela, ficar ressentido, mas nada vai mudar. No fim, a gente continua sendo parte dela.

Mackie está se sentindo cada vez mais cansado e doente, não sabe o que está acontecendo, então descobre que está morrendo e o único jeito de salvar sua vida é retornando aos subterrâneos de Gentry, para a Casa do Caos, onde meninas-cadáver fazem um elixir capaz de salvá-lo.

Porque, sim, eu era óbvio. No que dizia respeito aos fatos, eu era esquisito, uma aberração, e o jogo só funcionava enquanto todos concordassem em se fingir de cegos. Se pegássemos todos os alunos da escola e os colocássemos enfileirados, eu destoaria do grupo de maneira gritante. Eu era a doença.

Gente, não vou falar mais nada sobre o enredo porque qualquer coisa que eu disser agora vai ser spoiler. O Substituto foi uma surpresa para mim, o que mais me chamou atenção foi certamente a capa, que é linda demais e tem tudo a ver com a história.

Tive um pouco de dificuldade de aceitar o termo “Substituto”, eu sabia o que Mackie era, mas tinha a impressão de que faltava um nome para o ser que ele é. Mackie é um personagem bem irritante, sério, não gostei dele. Ele é chato, monótono, medroso, sem iniciativa, falta atitude, força de vontade… não sei explicar, o fato é que o personagem não me agradou. O contrário de Emma, irmã de Mackie, e Tate, colega da escola, que são minhas personagens favoritas. Tate é minha mais nova heroína, ela é totalmente autêntica, não liga para o que as pessoas pensam dela e fala tudo na cara. Uma pessoa capaz de fazer qualquer coisa para proteger àqueles que ama e nutre um amor incondicional por sua irmã mais nova e seria capaz de dar a vida para tirá-la das garras da Dama. 

A autora escreve muito bem, ela não enrola muito e nem faz suspense desnecessário. Tudo acontece num ritmo bacana que prende realmente o leitor. Me vi não querendo largar o livro mesmo caindo de sono. A narrativa é em primeira pessoa, pelo ponto de vista de Mackie. O livro é dividido em quatro partes e os capítulos são curtos, o que me ajuda bastante, pois se preciso pausar a leitura, só paro de ler quando finalizo um capítulo.

Apesar de ter um enredo um pouco macabro, falar de sacrifícios humanos e as descrições serem bem detalhadas, a autora conseguiu deixar o livro bem leve, e até um pouco fofo, pois tem toda a parte do romance também e até um ensaio de cena hot. haha

Resumindo, O Substituto foi uma experiência bastante interessante para mim, pois nunca imaginei seres como Mackie, nunca tinha sequer  imaginado alguém criar um personagem assim. Fugiu totalmente do clichê, é sobrenatural e totalmente diferente de tudo que já li. Se você gosta de enredos sombrios, leia “O Substituto”.

Classificação:

9 Comentários:

Danilo Barbosa disse...

Jô, eu pensei que o livro era de terror... Bom, possa ser que me surpreenda. Vamos ver!

Clarissa Santos disse...

Esse livro tá na minha lista de desejos desde que foi lançado nos EUA! A capa é muito linda! E é exatamente o tipo de história que me atrai, com um toque meio macabro! :D
Vou comprá-lo o mais rápido possível!

Lariza Barbosa disse...

esse livro me chama atenção pela estória meio macabra,adoro esse tema 
com certeza ele está na minha lista 

Sthéfanie Paula Cachoeira Reze disse...

Eu gostei do livro... Parece muito bom, entre o morro e nao morre.
Meio o ZEca do beijo do vamp né?hehe
Beijo
Selene Blanchard

Blanc – ModaeEu.blogspot.com – TEM
PROMOÇÃO COM BlackBerry,e outras duas especiais.

Espero sua visita!Selene Blanchard

Patricia Andrea Peña disse...

Nossa, eu já tenho este livro na lista há muito tempo, porque gostei da sinopse e da capa que por sinal é maravilhosa, e fico super contente em saber que o livro é realmente bom, vou colocar na lista de compras do fim do mês, porque deste, eu já comprei vários e não sobrou dinheiro kkkkk.
Beijos e que venha o substituto ;)
@PatriciaADavis

Amy disse...

Eu tenho muita vontade de ler, a capa e a sua resenha ostenta minha curiosidade. 
Parabéns Dana,
beijos
Amy - Macchiato

KassiaCrislayne disse...

Olá, Dana.

Desde que vi a sinopse e a capa desse livro, tive vontade de lê-lo. Imagino que deva ser muito bom, sua resenha me agradou. Fiquei com mais vontade de conhecer essa história sobrenatural que se mostra diferente de todas as outras.

Bjs.

Kel Costa disse...

Acho o enredo desse livro super original e estou doida de vontade pra ler! Pretendo pedir para a Bertrand em breve, assim que ler o outro que está aqui.
Adorei a resenha, Dana. É a primeira que leio sobre ele e só confirmou o que eu já esperava mesmo do livro!

Bjs, Kel - www.itcultura.com

♪ aninha ♫ disse...

fiquei com medo o__O rsrs eu não conhecia o livro,sou tão covarde pra ler e ver filmes com suspense e as vezes terror...(é eu sei rsrs) mas olha,fiquei curiosa pra saber como Mackie foi colocado no lugar do outro bebê e se ele vai conseguir escapar dessa.não sabia que a Bertrand publicava livros com esse tema. legal =)

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D