Resenha: Vozes (Arnaldur Indridason)

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Título: Vozes
Autor: Arnaldur Indridason
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 360
ISBN: 9788535920581
Tradutor: Álvaro Hattnher
Preço: R$ 39,00
Sinopse: Um grande hotel em Reykjavík, Islândia, está pronto para a festa de Natal. Quando a camareira desce até o porão para buscar o Papai Noel, no entanto, o que ela encontra é um cenário macabro: Gudlaugur, porteiro e zelador, está sobre a cama coberta de sangue.Enquanto os funcionários do hotel tentam manter intacta a imagem do estabelecimento e turistas vivem o sonho de um Natal islandês, o inspetor Erlendur Sveinsson investiga o assassinato. 

Queria primeiro agradecer a Editora Companhia das Letras por publicar um autor que não é tão cultuado no Brasil, mas que graças a ela eu conheci e virei fã. Primeiro li "O Silêncio do Túmulo" que inclusive aqui no blog tem a resenha e vale a pena dar uma conferida pois é muito bom.

Mas voltando ao livro "Vozes". A narração gira em torno de um porteiro encontrado morto em um quartinho do hotel onde trabalha e que também vivia. Assim como em "O Silêncio do Túmulo" o mesmo inspetor investigativo de "Vozes" é Erlendur Sveinsson e a história do livro se passa depois da narração de O Silêncio do Túmulo.

Neste caso a vítima era uma criança excepcional na infância, uma voz que fazia todos "caírem aos seus pés", mas devido à mudança de voz na puberdade sua carreira foi interrompida, seu pai passou a desprezá-lo, pois depositou naquele prodígio de criança todas as suas expectativas e no final ele virou um porteiro de hotel, morava de favor em um quartinho além de os próprios colegas de trabalho não se interessarem por nada da sua vida.

Agora Erlendur, além de investigar outro assassinato, tem que lidar com sua filha que depois de um aborto e de ter se prostituído, quer se livrar das drogas e tentar retomar seu relacionamento com o pai . Uma das características dos romances de Arnaldur são os dramas psicológicos vividos não apenas pela vítima, mas por todos os personagens do livro. Dramas como drogas, prostituição, violência doméstica e pedofilia são comuns na escrita do autor. O suspense do assassinato se desenrola pela análise dos personagens e não tanto pelas provas físicas da cena do crime. 

Para mim Arnaldur Indridason não pode ser comparado a nenhum autor do gênero (já achei que ele fosse uma versão masculina de Agatha Christie), mas não. Arnaldur é ÚNICO e sua escrita é incomparável. Já aguardo a laçamento da próxima obra do autor. Quem nunca leu nada dele está perdendo um leitura deliciosa 

Enfim espero que tenham gostado da resenha
Beijos e até a próxima e por favor comentem hein? 

Classificação:

| comente (:

KassiaCrislayne disse...

Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas fiquei com muita vontade de lê-lo. Adoro policiais e esse autor pode se tornar mais um dos meus vícios. Valeu pela dica e parabéns pela resenha.

Bjs.

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D