Resenha: O Beijo da Meia Noite (Lara Adrian)

segunda-feira, 28 de maio de 2012




Edição: 1
Editora: Universo dos Livros
Ano: 2011
Páginas: 400
Tradutor: Adriana Fernandes Machado de Oliveira 

Sinopse: Um estranho moreno e sensual a observava do outro lado da boate, e foi capaz de despertar as mais profundas fantasias em Gabrielle Maxwell. Mas nada a respeito desta noite – ou deste homem – é o que parece. Pois, quando Gabrielle presencia um assassinato nos arredores da boate, a realidade se transforma em algo obcuro e mortal. Nesse instante devastador, Gabrielle é lançada em um mundo que jamais imaginou existir – um mundo onde vampiros espreitam nas sombras e uma guerra de sangue está para começar. Lucan Thorne despreza a violência de seus irmãos sem lei. Ele próprio um vampiro, é um guerreiro de Raça, e jurou proteger sua espécie – e os humanos imprudentes com quem convivem – da ameaça crescente dos Renegados. Lucan não pode arriscar um relacionamento com uma mulher mortal, mas, quando seus inimigos escolhem Gabrielle como vítima, sua única escolha é trazê-la para o escuro submundo que comanda. Aqui, nos braços do intimidante líder da Raça, Gabrielle enfrentará um destino extraordinário, repleto de perigos, sedução, e dos mais sombrios prazeres…


Essa semana eu li O Beijo da Meia Noite, que faz parte da série Midnight Breed. E foi dica da Dana (que eu adorei aliás). O livro é realmente muito bom para quem curte o universo de vampiros, que não brilham.

Gabrielle é fotógrafa e fascinada por lugares sombrios, tanto que a maioria de suas fotografias é de prédios não habitados. Ela se sente sozinha e deslocada, e em uma noite que sai com amigos para uma boate, ela acaba por presenciar um ataque brutal. Atordoada ela procura a polícia mas é taxada de louca. O que ela não sabia é que naquela noite havia mais alguém naquele beco, Lucan Thorne.

Lucan é um vampiro de primeira geração. Nessa história para ser vampiro é necessário ser descendente de vampiro, você nasce ou não, com uma humana especial que leva uma marca logo atrás da orelha. Nesse mundo vampírico não existem vampiras, apenas nascem machos que precisam copular com essas fêmeas e dar-lhe de beber de seu sangue, assim como se alimentar delas para que possa haver a concepção de um novo vampiro.

Enfim, Lucan vai atrás de Gabrielle para apagar a memória dela e acaba se sentindo atraído por ela, até saber que ela é uma companheira. Sabe aquelas mocinhas que te dão raiva o livro todo? Então em O Beijo da Meia Noite, a mocinha chata é o Lucan (que de mocinha não tem nada por motivos que eu prefiro não comentar e que vocês devem imaginar). A partir daí eles passam por várias complicações até finalmente se entregarem a paixão.

               
O livro é bom, não gosto muito de comparar séries por que cada uma tem suas especificações, mas não poderia deixar passar a impressão que tive quando comecei a ler que foi : “É parecido com Irmandade da Adaga Negra.” Sim, é no mesmo estilo, mas são duas histórias diferentes, sobre o mesmo tema: vampiros que são quentes e lutam para proteger a raça contra malfeitores, que no caso dessa série são outros vampiros que não tem controle sobre sua sede de sangue e são chamados de renegados.


Eu recomendo é uma boa leitura para quem sofre esperando os livros de #IAN saírem, já comecei a ler o próximo da série e em breve volto com a resenha dele, quem sabe a história dos próximos livros me surpreenda e me faça perder um pouco essa ideia de um substituto (se é que se pode chamar assim, por que na realidade nada substitui os Irmãos) para os nossos queridos Amantes. 

Classificação