Resenha: O Retrato de Dorian Gray - Oscar Wilde

sábado, 12 de maio de 2012

Autor: Oscar Wilde
Edição: 1
Editora: Penguin Companhia
Ano: 2012
Páginas: 256
Tradutor: Paulo Schiller
Preço: 25,00
Versão de Oscar Wilde para o mito faustiano da perda da alma em troca dos prazeres mundanos, "O retrato de Dorian Gray" é um relato de decadência moral e punição, exemplo do humor cáustico e refinado de seu autor.
Dorian Gray é um belo e ingênuo rapaz retratado pelo artista Basil Hallward em uma pintura. Mais do que um mero modelo, Dorian Gray torna-se inspiração a Basil em diversas outras obras. Devido ao fato de todo seu íntimo estar exposto em sua obra prima, Basil não divulga a pintura e decide presentear Dorian Gray com o quadro. Com a convivência junto a Lorde Henry Wotton, um cínico e hedonista aristocrata muito amigo de Basil, Dorian Gray é seduzido ao mundo da beleza e dos prazeres imediatos e irresponsáveis, espírito que foi intensificado após, finalmente, conferir seu retrato pronto e apaixonar-se por si mesmo. A partir de então, o aprendiz Dorian Gray supera seu mestre e cada vez mais se entrega à superficialidade e ao egoísmo. O belo rapaz, ao contrário da natureza humana, misteriosamente preserva seus sinais físicos de juventude enquanto os demais envelhecem e sofrem com as marcas da idade.

Oi gente!! Então essa semana eu li O Retrato de Dorian Gray do Oscar Wilde. Depois de muitas discussões sobre o livro (sim, meu amigo da faculdade o Italo, quase morre quando soube que eu estava lendo esse livro, então essa resenha é para você seu lindo!) eu acabei indo do estado de detestar Oscar Wilde para ter vontade de escrever um artigo acadêmico sobre a obra dele.  O livro é muito poético e filosófico, tem nuances homossexuais e fala sobre a efemeridade da vida e da beleza.

Dorian Gray é um jovem rapaz inglês que é muito belo e ingênuo, ele é a inspiração de Basil que o idolatra e vê nele a personificação da perfeição. Em uma tarde Basil pinta um quadro de Dorian e coloca nele toda a perfeição que vê em seu modelo, nessa mesma tarde Dorian conhece Henry, um lorde inglês que é fascinado pelas nuances e pecados da vida. A partir da amizade que constrói com Henry, Dorian começa a contaminar-se com os males da personalidade de Henry. Porém algo acontece que é bastante curioso, o retrato que Basil pintou de Dorian conforme a história se desenrola mostra a verdadeira face de Dorian, aquilo que era belo e intocado passa a ser feio e mal. É interessante ver essa evolução ao longo do livro, eu de repente fiquei me perguntando quantas vezes supervalorizamos a beleza física ao invés do caráter da pessoa.

O livro é muito bem construído e os personagens evoluem ao longo do livro. A formatação está muito boa, poucas notas de tradução e o tamanho da letra está perfeito principalmente por ser um pocket. 

Esse livro tem uma adaptação para cinema que traz no elenco grandes nomes como Ben Barnes e Colin Firth. Particularmente ainda não assisti essa versão, pretendo assisti-la em breve. E vocês o que acham?



Classificação:


8 Comentários:

Marquinho disse...

Não precisa nem ler a resenha, esse livro é leitura obrigatória, um clássico. Um Oscar Wilde de primeira grandeza, um livro gigante, já li e recomendo sem medo!!
Marquinho

Dana Silva disse...

Adorei a resenha, já vou correndo desenterrar meu exemplar do livro. bjos

Carolina Durães disse...

Eu li esse livro há alguns milhões de anos atrás. Com as novas adaptações nos cinemas, fiquei de ler novamente, mas ainda não tive oportunidade. Parabéns pela resenha.

Sthéfanie Paula Cachoeira Reze disse...

Uai! No me gostei! ;/
A resenha foi muito boa! ;D
Selene Blanchard

Blanc – ModaeEu.blogspot.com – TEM
PROMOÇÃO COM BlackBerry,e outras duas especiais.

Espero sua visita!

Lila Souza disse...

Sou LOUCA pra ler esse livro. Antes mesmo de ver o filme já queria ler.
Vou fazer um esforcinho e comprar.

ps.: QUE HOMEM MAIS LINDO esse Ben Barnes!

Sthéfanie Paula Cachoeira Reze disse...

Oii!

que coisa linda né?!
:D

beijos

Rafael K disse...

Li esse livro há pouco, e gostei bastante. Uma daquelas histórias que você conhece a existência do personagem e até de adaptações dele, mas não a história original.
Achei muito interessante a forma de abordar a corrupção da alma de Dorian, que vai se itensificando a medida que ele vai percebendo que ele as consequências dos atos dele não irão recair da mesma forma sobre ele, o quadro sofreria essa deterioração da sua alma.
Sem soltar spoiler, mas achei o final desse livro ótimo!

sofia martínez disse...

Boa sinopse de tudo para aqueles que não
leram, espero que em breve. Ele lembrou a série recém-lançado chamado Penny Dreadful,
uma história que lida com a origem dos personagens literários clássicos como Dorian
Gray
e Dr. Frankenstein, a
verdade é muito bom.

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D