Resenha: Rosa de Papel (Diana Palmer)

Edição: 0
Editora: Harlequin Books
Ano: 2011
Páginas: 286
Tradutor: Vera Vasconcellos

O amor de Cecily por Tate era como uma rosa de papel, que sem um passe de mágica jamais se tornaria real...
Cecily Peterson não era bonita, mas possuía um encanto especial. Inteligente, esperta, corajosa, fazia com que Tate Winthrop se sentisse feliz. Poderia ter se tornado seu mundo, caso ele permitisse. Mas Tate não podia se envolver com uma mulher branca: teria de se casar com alguém da sua tribo indígena, para que a comunidade não se extinguisse.
O amor de Cecily por Tate desconhecia limites. Mas, uma vez que o orgulhoso nativo norte-americano se recusava a considerar um casamento misto, aquela paixão permanecia no vazio. Arrasada pela rejeição, Cecily se viu forçada a deixar o homem de seus sonhos.
Agora ela estava de volta, e destinada a ele. Tate estava envolvido em um enorme escândalo político, e era Cecily quem teria de protegê-lo de um segredo devastador, que poderia destruir a vida dele... Mas como proteger o homem a quem amava com todas as forças sem se deixar levar pelo coração?
Essa semana estou em uma fase “Diana Palmer” essa mulher é simplemsente indescritível. Ela escreve os mocinhos mais… “Peculiares” diagamos assim, que eu já vi. É IMPRESSIONANTE como não importando o quanto são cabeças-duras, arrogantes e machões, eu invariavelmente acabo apaixonada por cada um deles.
A história da semana fala de um tema que amo, o mocinho mais velho e a mocinha inocente que o ama desde a adolescência. Tate salva Cecily de seu odioso e abusivo padrasto quando ela tem apenas dezesete anos e a leva para morar com sua própria mãe que praticamente a adota como filha. Ele passa anos tentando suprimir sua paixão mal resolvida pela “irmãzinha”, se envolvendo até com outra mulher na tentativa de negar seu amor. Mas ele acaba cedendo e os dois trandformam o lindo amor fictício de Cecily representado por sua rosa de papel, em um linda rosa de verdade.
Destaque especial na história vai para o Senador para quem Cecily trabalha e a mãe de Tate que apesar de terem papéis secundários se destacaram bem no livro, assim como Colby o melhor amigo de Cecily e fonte das melhores cenas de ciúme de Tate. Eu já falei como ADOROOO cenas de ciúme? Pois bem o livro está recheadinho delas. Tem humor na medida certa, romance e paixão. Um livro mais que recomendado.
O único ponto negativo nos mocinhos de Diana Palmer é que eles fumam mais do que respiram. Minha alegria foi ver que Tate quase não fumou durante o livro. Mas ela tem cada mocinho chaminé que só você vendo. Creio que para ela um homem soltando fumaça é a coisa mais sexy do mundo o que para mim é hoorrível e eu odeio, MAS toda grande autora tem seu defeitinho e sempre ignoro esses pormenores quando leio DP.
Apesar desses percalços devo lhe avisar que quando começar a ler Diana Palmer você não irá mais parar. A mulher adora os cowboys texanos e suas histórias estão sempre interligadas. Portanto sempre que você ler um livro dela, saiba que houve outras histórias antes ou depois, casais de amigos que reapareceram sempre. O que para mim é ótimo, já que não me canso de DP. Mais uma das minhas DIVAS! Beijos e até semana que vem!
8 comentários via Blogger
comentários via Facebook

8 comentários

  1. Carolina Durães25 de maio de 2012 10:09

    Bom dia! Diana Palmer é realmente uma autora extraordinária. Li apenas alguns livros delas, mas a escrita e facilidade de como a estória flui é fascinante. Parabéns pela resenha. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Nossa... que vergonha. Scho que li só 1 livro da Palmer e há muito tempo. rsrs Não tenho nenhum exemplar da autora na minha estante. Preciso dar um jeito de remediar isso, pois tenho vontade de ler seus romances.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Diana é a diva das divas!

    ;D


    beijos

    Selene Blanchard

    Blanc – ModaeEu.blogspot.com – TEM
    PROMOÇÃO COM BlackBerry,e outras duas especiais.

    Espero sua visita!

    ResponderExcluir
  4. Tia Palmeirão!! Essa história é em Jacobsville? (Que by the way, é minha cidade fictícia favorita!)

    ResponderExcluir
  5. Priscila Siqueira31 de maio de 2012 13:42

    Primeira vez que vou comentar nas tuas resenhas Gracy e já venho pra dizer que DP  é a favor do buillyng kkkkkkkkk só li um livro dela na vida e lembro que passei dois dias com ódio mortal do mocinho kkkkkkkk mas depois de ler sua resenha acho, ACHO que vou dar uma segunda chance a ela =~

    ResponderExcluir
  6. Priscila seja bem vinda e aconselho a dar sim a segunda chance. DP é meio fora da realidade em alguns momentos, mas escreve divinamente... compensa!

    ResponderExcluir
  7. Dalila, não é em Jacob's mas é citada pelos personagens... todas as histórias da DP parece que são interligadas...

    ResponderExcluir
  8. eu acho que são interligadas mesmo, o que me deixa super confusa, mas também não é nada que comprometa as histórias, né?!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!