Resenha: Virtude Indecente ( Nora Roberts)

sábado, 28 de julho de 2012

Livro: Virtude Indescente
Autor: Nora Roberts
Edição: 1
Editora: Bertrand Brasil
ISBN: 9788528613988
Ano: 2009
Páginas: 294

Preço: 39,00



Sinopse
Quando uma superstar da literatura policial visita a irmã, pretendendo relaxar e espairecer da cansativa turnê de lançamento de seu novo bestseller, vê-se na pista de um assassino da vida real que já desestruturou sua vida e agora... pretende matá-la.Grace McCabe fica chocada ao descobrir que a irmã Kathleen mora num subúrbio decadente de Washington, D.C., e complementa a renda como operadora de telessexo após ter passado por um divórcio penoso. Entretanto, com a empresa Fantasia garantindo anonimato completo aos funcionários, até onde essa atividade pode ser perigosa? Grace logo descobrirá a resposta quando certa noite, ao regressar para casa, depara-se com uma cena tenebrosa, que poderia ter saído de um de seus mais apavorantes romances.Ignorando as advertências do tranquilo detetive Ed Jackson, monta sozinha sua própria armadilha para incitar o assassino a sair do esconderijo.Mas o que pode protegê-la de um maníaco cuja volúpia de matar não se detém diante de nada... nem de ninguém?

Virtude Indecente, é o segundo livro e último de uma "série" (?) initulada D.C. Detectives, o primeiro livro é Pecados Sagrados (e eu ainda não li *sad face*) foi uma troca que eu fiz pelo Skoob e chegou já tem mais ou menos um mês, estava louca para lê-lo por que é nada mais nada menos que Nora Roberts, minha Diva(quem não sonha em ter todos os livros dessa mulher na estante, né gente?)!! 

Grace é uma escritora de romances policiais que vem a Washington para visitar a irmã recém- divorciada Kethleen, as duas nunca se deram bem e agora elas tem uma chance de passar um certo tempo juntas.
Ed é um policial e é vizinho de Kethleen, ele comprou uma casa e tem um plano de vida que inclui uma esposa para amar e proteger. Uma bela manhã uma mulher na janela da casa vizinha puxa assunto com ele e vira seu mundo de cabeça para baixo.

Grace para mim é uma mulher forte e livre, uma escritora excêntrica que por vezes me lembrou muito J.D. Robb, que é o pseudônimo que Nora usou ao publicar a série Mortal (que ainda está sendo lançada no Brasil). Grace e a irmã me pareceram os dois lados de uma mesma moeda, enquanto a escritora era de fácil convívio Kathleen era fechada e parecia ser fria, a situação entre as duas apenas  piora quando Grace descobre que a irmã trabalha para um tele sexo. Quando uma tragédia acontece e Kathleen é assassinada é que você descobre o quanto o relacionamento delas é realmente ruim. Ed eu descrevo como um vizinho que todas nós gostaríamos de ter, bonito, protetor, gentil…até cozinhar o homem cozinha, meu povo!! Uma coisa que eu amo nos livros da Nora é exatamente isso, a maioria dos personagens femininos são mulheres fortes e que não se deixam influenciar por seus parceiros, já vi muita autora por aí colocar mocinha que muda por conta do mocinho e eu nunca vi isso acontecer tão bruscamente  em um livro da Nora, as mocinhas (que acabam nem sendo muito mocinhas assim) mudam sim, mas mantêm o mesmo traço de personalidade marcante que tem no início do livro.

A diagramação do livro está muito boa, a letra é de um tamanho ótimo (o que é maravilhoso para pessoas cegas como eu), destaque para o detalhe de telefone que tem no canto superior das páginas que é super fofinho.

Classificação: