Resenha: Os deixados para trás (Tom Perrota)

domingo, 2 de setembro de 2012

Livro: Os deixados para trás
Autor: Tom Perrotta
Edição: 1
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580572148
Ano: 2012
Páginas: 320
Tradutor: Rubens Figueiredo

Sinopse:O que aconteceria se, de repente, sem nenhuma explicação, pessoas simplesmente desaparecessem, sumissem no ar? É o que os perplexos moradores de Mapleton, que perderam muitos vizinhos, amigos e companheiros no evento conhecido como Partida Repentina, precisam descobrir. Desde o ocorrido nada mais está do mesmo jeito — nem casamentos, nem amizades, nem mesmo o relacionamento entre pais e filhos. O prefeito da cidade, Kevin Garvey, quer acelerar o processo de cura, trazer um sentimento de esperanças renovadas e propósito para sua comunidade traumatizada. Ainda que sua família tenha sido desfeita com o desastre: sua esposa o deixou para se juntar a um culto cujos membros fazem voto de silêncio; seu filho, Tom, abandonou a faculdade para seguir um profeta duvidoso chamado Santo Wayne; e sua filha adolescente, Jill, não é mais a dócil estudante nota dez que costumava ser. Em meio a tudo isso, Kevin ainda se vê envolvido com Nora Durst, uma mulher que perdeu toda a sua família no 14 de Outubro e continua chocada com a tragédia, apesar de se esforçar para seguir adiante e recomeçar a vida. Com emoção, inteligência e uma rara habilidade para enfatizar os problemas inerentes à vida comum, Tom Perrotta escreve um romance impressionante e provocativo sobre amor, conexão e perda.

 Os deixados para trás de Tom Perrotta  foi um livro que quando eu vi o título e a sinopse pensei que fosse mais um daqueles livros religiosos que falam sobre o arrebatamento, mas me surpreendi com um drama maravilhoso e muito bem escrito.

A história é em terceira pessoa e narra história de algumas pessoas que um dia se viram no meio de um evento inusitado, o desaparecimento de milhares de pessoas em todo o mundo. Kevin é um homem de meia idade, que tem que lidar com o fim de sua família, após os desaparecimentos sua esposa Laurie se junta a uma seita de pessoas que  andam de branco, fumam e fazem voto de silêncio, sua filha, Jill vira uma rebelde e seu filho, Tom parte trás de um homem que se intitula profeta.

Durante todo o livro vemos o drama desta família, partes do comportamento não só de Kevin, mas de seus filhos e sua esposa aparecem, são pessoas que tentam lidar com tudo o que aconteceu e com a nova dinâmica da sociedade da melhor maneira que conseguem. Além destes personagens nós encontramos também Nora, uma mulher que perdeu toda a sua família, marido e dois filhos,  ela tenta o tempo inteiro não se deprimir. As histórias estão interligadas umas as outras, o que eu achei muito interessante, são pessoas comuns, personagens reais com imperfeições, manias, arrependimentos, culpas. Durante a leitura por muitas vezes eu me deparei pensando que agiria como esse ou aquele personagem. Preciso dizer que essa semana estava me queixando de estar lendo muito drama e que estava sentindo falta de um bom romance, a verdade é que Os deixados para trás me fez mudar de ideia, esse drama vale muito a pena ser lido.

A capa é linda (eu pelo menos achei), a diagramação não tem detalhes interessantes, então o destaque vai para a letra do tamanho perfeito, nem muito grande e nem muito pequena, e por fim a revisão como sempre veio impecável. Quero deixar aqui meus parabéns a equipe de revisores da Intrínseca que é sempre impecável com seu trabalho.

Classificação


4 Comentários:

Carolina Durães disse...

Bom dia Priscila, tudo bem?
Quando vi a capa desse livro, achei bem interessante, mas não esperava que a história fosse tão boa. Após ler a sua resenha, estou repensando sobre esse livro rs
Beijos

KassiaCrislayne disse...

Oi, Priscila. Já li a série Deixados para trás, de Tim Lahaye, e adoro o tema #mórbida. Só não curti muito porque tinha muitos versículos bíblicos, enfim... Esse livro me chamou a atenção! Só tenho uma dúvida. Outro dia, fui na livraria e vi dois livros, um com a capa azul, outro com a capa rosa (que é essa da sua imagem). Mesmo nome, e talz, só a capa diferente. Abri ambos pra ver se era o mesmo texto e, até onde li, era! Você sabe me dizer se a Intrínseca lançou o mesmo livro com duas capas ao mesmo tempo ou são coisas diferentes? Bjs.

Danielle CGA Souza disse...

Fiquei surpresa agora, pq imaginei que seria um livro bem chatinho de acompanhar... mas pelo visto ele vale a leitura!!!
A ideia de capas diferentes tb foi legal... eu escolheria a azul, pq amo a cor, com os sapatos femininos... essas capas ficarem bem legais... com a fumaça.

Priscila Siqueira disse...

Oi Kassia, *olha eu respondendo a pergunta atrasada* então, o livro é o mesmo a íntrinseca lançou duas capas diferentes =)

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D