Resenha: Serena (Ian McEwan)

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Serena
Autor: Ian McEwan
Editora: Companhia das Letras

Título original: SWEET TOOTH
Tradução: Caetano Waldrigues Galindo
Páginas: 384
Preço: R$ 39,00
Sinopse: Ao ser contratada pelo MI5, o Serviço Secreto Britânico, a protagonista Serena se vê como participante de uma mentira cujo objetivo é fomentar a criação de uma ficção. Isso porque ela é incumbida de estabelecer contato com um escritor a quem não pode contar que é uma espiã, nem que o dinheiro que ele passará a receber virá do Estado. Mas o contexto de toda essa armação é uma guerra muito real, num período (começo da década de 1970) bastante violento da história da Inglaterra, especialmente por causa da atividade do IRA. E, para Serena, o caso envolve ainda sua vida pessoal, tanto no que se refere a seu antigo amante, que a introduziu no MI5, quanto no que se refere ao escritor que é vítima do ardil, por quem acaba se apaixonando. Ela é, portanto, agente e vítima, personagem e criadora, num romance em que todos esses papéis são questionados com fervor. Ora, ao conhecermos a ficção de Tom Healy, o escritor que não sabe que está na folha de pagamento da Inteligência Britânica, já notamos essa curiosa relação entre o real e o fictício, mediada pelo criador. Mas será apenas quando concluirmos a leitura de Serena que teremos a verdadeira dimensão do grau que atingiu essa fusão, tanto na história que estamos lendo quanto na nossa relação com o livro e seus personagens. A literatura experimental, questionadora, pode adotar várias máscaras. Em seu novo romance, Ian McEwan a veste nos trajes mais discretos e, talvez por isso mesmo, mais eficientes.


Serena é um livro de excelente qualidade, não irei falar o contrário em nenhuma parte de minha resenha. Ele é bem descritivo, você com certeza vai entender de forma bem profunda essa história (ou não, hahaha). A Maior parte da leitura será ausente de diálogos, o que a deixa um pouco maçante.

Todo o livro gira em torno da protagonista Serena. Como qualquer outro romance de Ian McEwan, este não deixa a desejar em nenhum aspecto para os apreciadores de sua escrita. Minha opinião crítica, para o livro é de que ele é simplesmente maravilhoso. Ao mesmo tempo que ele apresenta os personagens e suas próprias tramas, ele consegue inserir um cenário bem construído, enriquecendo o livro e ao mesmo tempo enriquecendo nossa bagagem cultural e histórica.

Minha opinião pessoal é que o livro é um pouco "devagar" assim digamos, devido principalmente à falta de diálogos, ele se torna um pouco cansativo por não te prender mais firmemente e pessoalmente a trama. Além de que a parte em que aparece na sinopse demora muito a acontecer, o que me deixou bem irritado. Claro, isso é a forma de como o autor escreve, se você perceber nos seus outros livros, eles decorrem quase da mesma forma: Apresentando um cenário, antes de realmente engatar a estória. Creio eu que um dos objetivos dele com isso é propiciar que nós realmente entendamos os personagens que ele quer que conheçamos intimamente.

A Leitura é recomendada para aquelas pessoas já acostumadas com romances escritos de forma mais madura. Mas quem quiser sair dos "YA's" da vida e tentar algo diferente, sugiro que não iniciem com esse livro em questão...

Abraços!

Classificação: 

6 Comentários:

Carolina Durães disse...

Bom dia Diego, tudo bem?
Eu ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, mas estou bem curiosa com ele. Eu havia lido a sinopse anteriormente e por alguma razão ela me chamou a atenção. Parabéns pela resenha!
Beijos

Cristiane Silva disse...

Legal esse livro. Eu fiquei com vontade de ler, mas vi tão poucas resenhas que nem deu pra formular uma ideia do livro. Mas agora quero ler sim. Achei bem legal.

Kel Costa disse...

Hum, a parte ali onde vc diz ser mais devagar me deixa já receosa. Não que não goste, mas é que tenho TANTA coisa pra ler, que já fico com medo só em pensar numa leitura mais demorada rsrs
Mas de qualquer forma, eu tenho Serena aqui e tenho muita vontade de ler e acho o enredo bem interessante. É um dos próximos da fila!


Bjs, Kel - www.itcultura.com.br

Danielle CGA Souza disse...

Eu gosto de livros com bons diálogos... livros que se prendem em descrições acabam me entediando, e se tiver de esperar demais me estressa... haha
A sinopse é bem agradável, eu não conheço nadinha deste autor... mas se houver chance eu leio. =)

Kamylla Cavalcanti disse...

Livros muito descritivos são um problema pra mim, me lembram os livros da literatura brasileira, como O cortiço, A moreninha, Triste fim de Policarpo Quaresma, que são ótimos livros mas bemmmm maçantes por conta da riqueza de detalhes.

Lorena Rodrigues disse...

Oi Diego, tudo bom? Então, tenho muita vontade de ler algum livro do Ian, mas ainda não tive oportunidade (por causa do preço, talvez?). Não gosto muito de uma extensão muito grande de diálogos, se for pra fazer isso, tem que ser realmente muito capacitado.
Adorei a resenha
beijos

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D