Resenha: Vida Roubada (Jaycee Dugard)

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

VIDA_ROUBADA__MEMORIAS_1320405117P

Edição: 1
Editora: Best Seller
ISBN: 9788576845768
Ano: 2011
Páginas: 304

Sinopse - Vida Roubada - Memórias - Jaycee Dugard

Em junho de 1991, aos 11 anos de idade, Jaycee Lee Dugard foi raptada enquanto esperava o ônibus da escola. Pelos próximos 18 anos, sua vida se tornou um verdadeiro pesadelo. Abusada pelo homem que a sequestrou, acabou se tornando mãe de duas crianças - e, de certa forma, também irmã, para tentar aplacar o intenso isolamento em que vivia.

Vida Roubada são as memórias de Jaycee Lee Dugard enquanto estava em cativeiro, durante seu sequestro que durou 18 anos. Jaycee conta em detalhes todo o horror pelo qual passou desde aquela fatídica manhã de 10 de junho de 1991, quando tinha apenas 11 anos de idade. Jaycee subia a colina a caminho da escola quando um carro parou e um homem desceu e a imobilizou com uma arma de choque. A menina foi levada para um estúdio à prova de som, num quintal a 190km de casa.

O livro é muito emocionante, mas também triste e revoltante. Como um ser humano é capaz de cometer tamanha atrocidade contra outro de sua espécie, ainda mais uma criança indefesa. Chorei lendo este livro pensando que coisas assim acontecem todos os dias em todos os lugares, muitas não conseguem fugir, muitas são mortas…

Jaycee, ao longo dos anos, passou por tantos traumas psicológicos a ponto de não conseguir fugir, mesmo quando teve várias oportunidades. Ela saía para pagar contas, fazer compras, ir ao salão e não fugia. Ela achava que era invisível, que as pessoas não a enxergavam.

Phillip e Nancy Garrido abusaram de Jaycee sexualmente, psicologicamente e de tantas outras formas que eu não consigo nem nomear. Ela engravidou pela primeira vez quando tinha apenas 14 anos, ela não sabia nem o que era sexo, teve suas duas filhas em condições precárias sem nenhum auxílio profissional, em meio a muita sujeira! Simplesmente senti um aperto na garganta a cada página lida.

O que eu achei mais incrível é que ela não consegue odiar Phillip, porque não quer sujar a sua alma com ódio. A admiro muito por isso, eu não sei se seria capaz. Ainda mais admirável é a capacidade dela amar incondicionalmente as duas meninas, desde o primeiro momento, mesmo sabendo que ali estavam os frutos vivos de toda a violência que ela vivia a cada dia. Eu sei que mãe é mãe, mas falando por mim, EU não sei se conseguiria olhar na cara das crianças sem ver o animal que a violentou. Enfim, ainda preciso evoluir muito, espero um dia chegar ao nível de Jaycee pois mesmo com tudo que ela passou durante 18 anos, hoje ela consegue sorrir, dirigir e ser feliz ao lado da sua família.
Leitura super recomendada!


Classificação:

10 Comentários:

Danielle CGA Souza disse...

Triste demais... e fica pior por termos consciência de que é uma infeliz realidade.
Eu gostei bastante da resenha, e já de antemão odeio o tal Philip e a Nancy... dois monstros, fiquei boquiaberta por ela não o odiar... roubou a família e a infância dela de maneira covarde, nem assistência para q ela tivesse os bebês... que nojento... só de imaginar o sangue ferve. Essa garota é muito nobre, uma alma bem evoluída, pq agir assim...

Cristiane Silva disse...

Já vi e amei esse livro, mas nunca tive oportunidade de ler. Gostaria, porque como disse amei o livro. É bem legal.

Gabriela Lopes Dias Santana disse...

Imagino mesmo que o livro é muito triste. Eu li e adorei " O Quarto", que é um pouco parecido... mas nesse caso a vítima não tinha como fugir... e a forma como ela tb ama seu filho é algo muuito emocionante.

Valeu a dica.

abraços
Gabi
sonhosaventuras.blogspot.com

Gracy Ursulino disse...

Li esse livro em lágrimas. Jaycee é uma guerreira, uma vencedora, um ser iluminado. Graças a Deus sua história teve um final feliz. Deus é bom! Amei a resenha amiga!!!

cinthia oshiro disse...

li esse livro, é triste como ela foi manipulada pelo seu sequestrador, e apesar de ter filhas com ele, ela não sente ódio das pessoas, mostra como ela é uma pessoa bem madura.

Juliana Vicente disse...

Dana, não é só você que precisa evoluir. Eu também não conseguiria enfrentar tudo que ela viveu.


Bjs

Carolina Durães disse...

Bom dia Dana, tudo bem?
O livro tem uma temática muito forte. Infelizmente, é o tipo de história que acontece diariamente e me deixa simplesmente arrasada, ao ver a capacidade que um ser humano tem de destruir o outro. Eu li alguns livros que a situação é parecida com o que é descrita, que após anos de maus tratos, a vítima se condiciona, o sequestrador pode deixar a casa destrancada que a pessoa não vai embora. É simplesmente arrasador.
Beijos

Jeh Polato disse...

Oi Dana,
Eu li esse livro faz um tempinho já, mas só de olhar pra ele na prateleira, consigo reviver todos os sentimentos que tive quando o li.
A história é repleta de momentos que desperta ódio, revolta e nojo. Como você mesma disse: " como pode um ser humano cometer tamanha atrocidade?".
Eu lembro que não consegui largar o livro até terminar. E quando finalizei fui pesquisar na internet os fatos. Vi fotos do lugar e do infeliz.


É um livro que vale a pena ser lido. É uma história de vida que merece ser contada à todos.


bjinhuxxx
Eu li e Divulgo
http://euliedivulgo.blogspot.com.br/

Fábrica dos Convites disse...

Eu me vejo lendo este livro e oscilando entre o choro e a revolta.
Bjs, Rose.

Kamylla Cavalcanti disse...

Gosto de livros que contem histórias reais... Pelo que li acho que vou chorar muito tbm!

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D