Resenha: Não Conte para a mamãe (Toni Maguire)



Edição: 1
Editora: Bertrand Brasil
ISBN: 9788528615722
Ano: 2012
Páginas: 308
Sinopse - Não conte para a mamãe - Memórias de Uma Infância Perdida - Toni Maguire: A frase que dá título ao livro de Toni Maguire, Não conte para a mamãe, poderia ser uma pacto ingênuo entre dois irmãos ou uma brincadeira entre crianças. Infelizmente, não é o caso. Na verdade, é a ameaça sofrida pela autora durante os quase dez anos em que foi violentada pelo próprio pai. Quando aconteceu pela primeira vez, a pequena e inocente Antoniette tinha apenas seis anos. Apesar da tenra idade, tudo ficou gravado em sua memória, o tempo nada dissipou: os detalhes, os sentimentos, a dor. Foi a primeira de muitas, incontáveis vezes. Não conte para a mamãe, de Toni Maguire, desvela a comovente história de um infância idílica que mascarava uma terrível verdade.

Demorei para ler "Não Conte para a mamãe" mais do que queria e previa. Não porque o livro fosse ruim ou mal escrito, de maneira nenhuma. O único problema é que este livro é um soco no estômago, na cara e no corpo todo. A narrativa é em primeira pessoa, alternando a Antoinette dos anos 50 e a Toni, de hoje relembrando o passado. Esta história relata em detalhes ínfimos os abusos sofridos por ela desde os seis anos de idade, pelo próprio pai. Toni foi abusada física, emocional e mentalmente. Estuprada pelo pai pela primeira vez com apenas 6 anos de idade, perdeu a fé na família, na escola, na justiça e na vida.

Esta é uma história real. Toni tenta exorcizar o fantasma de Antoinette, abrindo de vez a caixa das lembranças, que ela fez questão de trancar a sete chaves.
Depois do que pareceu uma eternidade, ele soltou um gemido e saiu de mim. Senti uma substância quente, molhada e grudenta gotejar sobre minha barriga. Ele jogou um pedaço de saco em mim.
- Se limpe com isso.
Sem dizer nada, fiz o que ele mandou.
As palavras que se seguiram estavam destinadas a se tornarem o refrão dele:
- Não vá contar para a mamãe, minha menina. Isso é nosso segredo. Se contar, ela não vai acreditar em você. Ela não vai mais amar você.
Eu já sabia que isso era verdade.
Pág. 75
Bem, não tem essa de spoiler ou não. A autora relata como tudo aconteceu, a primeira e muitas outras vezes  em que foi submetida a todo tipo de abuso por parte do pai. O que me deixa mais chocada é isso, o PAI. E o que me deixou ainda mais revoltada, foi o fato de a mãe dela saber de tudo o que acontecia e ter ficado calada por tantos anos, inclusive facilitando para que o agressor agisse. Porque SIM, ela sabia, não é possível que não soubesse. A pessoa que era encarregada de protegê-la, educa-la e amá-la acima de tudo, foi a que mais a coagiu.

Apesar de tudo o que sofreu, Toni jamais deixou de amar a mãe. Ela a amava com devoção e mesmo sabendo que a mãe sabia do que acontecia sob seu teto, e nunca ter tentado fazer nada para pará-lo. Será, leitor, que Toni foi capaz de perdoar os pais por tudo o que fizeram? Isso vocês terão que ler para saber.

Estou em dúvida sobre a classificação do livro pois é muito bem escrito, revisão e diagramação impecáveis, capa deslumbrante e etc, porém o assunto é tão repulsivo que fico pensando se indico ou não este livro para alguém. Leia, se você tiver estômago e se não se envolver muito com a história. 

16 comentários via Blogger
comentários via Facebook

16 comentários

  1. Eu estou louca para ler este livro, mas ao mesmo tempo, nao sei se teria coragem ou estomago pra termina-lo =s

    ResponderExcluir
  2. putz,pesado hein? O pior que esse tipo de coisa acontece.Infelizmente.Me interessei pelo livro

    ResponderExcluir
  3. Kamylla Cavalcanti11 de outubro de 2012 08:43

    Vc tem que está com a vida muito equilibrada pra ler um livro desse... muito pesado! fiquei interessada em ler mas não acho conviniente agora!

    ResponderExcluir
  4. Dana, eu fico mal só de ler a resenha. Quando esse livro foi lançado fiquei curiosa para ler, quase cheguei a comprar, mas li algumas partes e fiquei muito mal, então deixei de lado.


    Quem sabe eu crie coragem e leia.


    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Tbm estava louca pra ler esselivro, essa temática sempre me comove demais, mas não estou com minhas emoçõesequilibradas o bastante para isso neste momento. Quem sabe um dia...

    ResponderExcluir
  6. Dana, eu vou ler, mas já estou vendo que ficarei com muita raiva, odeio gente podre e doente, espero que a Toni não tenha perdoado os pais, os dois são lixo, onde já se viu, já estou revoltada antes mesmo de ler o livro.
    Bjs,
    @PatriciaADavis

    ResponderExcluir
  7. Dana, eu concordo... abusar de uma criança já é um crime imperdoável e fica pior quando é por parte do próprio pai, e no caso dela fica ainda mais abominável pela mãe não agir em defesa dela. Dois crápulas.
    Ela deve ter um trauma e tanto... não perdoaria uma barbaridade dessa.
    Tenho vontade de ler apesar de ser assim forte.

    ResponderExcluir
  8. Pretendo ler o livro, mas vou seguir o conselho de ler somente quando eu tiver certeza que estou emocionalmente bem, não é nem por curiosidade ou nada, simplesmente pq como pretendo ser psicóloga tenho que me acostumar a reagir a esse choques!

    ResponderExcluir
  9. Bom dia Dana, tudo bem? Sinceramente, não acho que tenho estomago para ler esse livro... Só de saber que a vítima está narrando o que aconteceu com ela me faz querer chorar..
    Amei a resenha, mas não acho que é um livro que eu leria.
    beijos

    ResponderExcluir
  10. Eu fiquei super curiosa pra ler quando saiu, mas não tenho estômago (infelizmente) pra esse tipo de leitura. Eu simplesmente não consigo...

    ResponderExcluir
  11. Drama não é mt meu genero..mas fiquei bastante curiosa sobre esse livro..quem sabe um dia =]

    ResponderExcluir
  12. é pesado. é um soco no estômago mesmo. mas infelizmente é a realidade de várias crianças por aí... a autora foi corajosa a relatar o seu sofrimento.confesso que não sei se teria coragem suficiente para ler.

    ResponderExcluir
  13. Achei interessante.. Ler um livro desses é só pra constatar a realidade de muitas crianças aqui no nosso país. Espero, um dia, ter coração (e como você disse, estômago) para ler o livro.

    ResponderExcluir
  14. Acho interessante livros assim...afinal não adianta a gente fechar os olhos e fingir que não acontece nada de mal por ai...É bom saber que existe mostros no mundo, as vezes mais perto do que a gente pensa!! Gostaria muito de ler. Bjksss

    ResponderExcluir
  15. e cm acontecem.... :/

    ResponderExcluir
  16. nao sou a melhor pessoa p ler esse livro, pois me identifico d+ cm a hst, estou na duvida... :/

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário, ele é muito importante para mim!