Resenha: Cinquenta Tons de Cinza (E. L. James)

sábado, 10 de novembro de 2012

Título: Cinquenta Tons de Cinza
Autor: E. L. James
Edição: 1
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580572186
Ano: 2012
Páginas: 455
Tradutor: Adalgisa Campos da Silva



Sinopse
Quando Anastasia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja, mas em seus próprios termos.

Finalmente consegui parar para escrever a resenha do polêmico Cinquenta Tons de Cinza da E. L. James, publicado aqui no Brasil pela editora intrínseca. A capa do livro já é bem sugestiva pra quem leu né?  A revisão está impecável e mais uma vez a equipe da editora arrasou na tradução.

Primeiro de tudo acho que devemos esclarecer alguns pontos relativos a esse livro: 1) antes de ser publicado era uma fanfic de Crepúsculo, sim foi inspirado em Crepúsculo. 2) O livro não é BDSM. Você gostando ou não essa é a realidade.

Calma, não me matem, vou explicar o que quis dizer com essas duas considerações. Eu particularmente já havia lido a fanfic em 2010, cujo nome era Master of the Universe, não achei lá essas coisas na época e quando li o livro qual foi a minha surpresa ao perceber que é exatamente a mesma história da fanfic apenas com os nomes diferentes?  Pois é, absolutamente tudo igual, ao menos no primeiro volume, ainda não li as sequências para poder avaliar se ela mudou algo ou não, mas até o presente momento é tudo igual.  E não minha gente, o livro não é BDSM, na realidade Christian tem um problema sério de controle, BDSM não é isso, numa relação D/S o controle na realidade não está no(a) Dom e sim na(o) Sub. Assim que lançarem a trilogia de The Submssive *todascomemorampqvãolançaratrilogiamaravilhosaemlivro*  eu volto para resenhar e vocês entenderão a diferença.

Cinquenta Tons de Cinza conta a história de Anastasia Steel, uma jovem que se acha sem graça e tem sérios problemas com autoestima(na realidade ela é tudo isso mesmo, mas né?), ela vai entrevistar Christian Grey no lugar de uma amiga e acaba atraindo o cara, que é lindo, rico e tem problemas sérios com relacionamento.  Ana descobre que ele só tem relacionamentos Dom/Sub e acaba aceitando ser submissa dele, o problema é que de submissa ela não tem nem o micróbio da unha do pé e ele é maníaco, querendo controlar até o que ela come ou deixa de comer.

Agora vem cá, vocês acharam mesmo que com dois personagens completamente sem noção o livro ia ser maravilhoso?? Podia até ser né? Porém Cinquenta Tons de Cinza é um livro apenas mediano, na minha opinião, você só leva a leitura até o fim para saber se a Ana vai ou não se lascar na mão do Christian.
Antes que vocês fiquem se perguntando, eu vou sim ler os próximos volumes e concluirei a trilogia, como disse quero saber se a Ana se lasca ou não na mão do Christian.Em breve voltarei com as resenhas dos dois próximos livros.

Classificação:

8 Comentários:

Carolina Durães disse...

Bom dia Priscila, tudo bem?
Eu só li o primeiro livro da trilogia e admito que não fiquei tão impressionada assim. Acredito que quando ouvimos tanta falação do livro, ficamos decepcionados quando iniciamos a leitura rs...
Adorei sua resenha, parabéns!
Beijos

Cristiane Silva disse...

Meu livro relação de amor e ódio! Odeio esse livro. Não, esse eu odeio mesmo, é uma merda! Lembra crepúsculo e isso me deu nojo eterno! A história é besta, mal escrita e acho uma droga completa. Mas ainda tem a parte em mim que ama esse livro. Não...a história a partir do segundo livro, porque o primeiro é uma droga completa e sem salvação u.u

Thamires Lacerda disse...

Devo ser umas das poucas pessoas que ainda não leu o livro rs

Eu também li na época que era uma fanfic, por isso não estou com pressa, mais pretendo adc a trilogia na minha estante :)

Beijos!

www.souseuastral.blogspot.com.br

Hortencia Helena disse...

Priscila cê disse tudo o que acho! Tbm já tinha lido quando apenas era uma fanfic e continua a mesma coisa =/ Agora, The submissive é muiiiiiito melhor tem nem comparação. Fico chateada pq a EL James tá levando mó credito por uma história fraca. E nem consegui gostar do Grey =/
bjo!

Maristela da Graça Rezende disse...

Eu estou para ler esse livro e os outros dois da série. Gostei muito da sua resenha. Parabéns.

Genilda Silva disse...

Já li tantas resenhas positivas e negativas a respeito dos livros desta série, que vou precisar ler para ter uma opinião formada.

♪ aninha ♫ disse...

a gente,pra mim, 50 tons tem que ser lido ser querer levar a sério.o livro é raso,os personagens são complicados,mas toca em assunto que choca muita gente e ela soube vender né.pra mim é um livro diferente ,por assim dizer.quem leu a fanfic,não vai se surpreender.eu li,gostei e pretendo ler os outros dois.e que venha A Submissa! =) adoro ver que as autoras de fanfic,estão transformando suas histórias que muitas achavam bobas em bons livros.bjks.

Tatiana Dias disse...

Não consigo imaginar como essa historia foi inspirada em Crepúsculo, serio, fiquei surpresa. Resolvi só comentar depois de ler o livro e na verdade eu adorei, mesmo. Só não acho que é isso tudo, tbm vou esperar pela continuação pra ver se é mesmo.

Eu realmente naum entendo pq conquistou posições tão altas.Tipo Para sempre( 50 tons de cinza é melhor, na minha opinião) e Crepusculo, não eram lá isso tdu naum, tem series bem melhores por aí que nem ganham tanto foco assim..unfair

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D