Resenha Premiada: Extraordinário (R.J. Palacio)

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Edição: 1
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580573015
Ano: 2013
Páginas: 320
Tradutor: Rachel Agavino

Sinopse - Extraordinário - R. J. Palacio: Primeiro lugar da lista de best-sellers do The New York Times, eleito um dos melhores títulos YA de 2012 nos Estados Unidos, o premiado livro de estreia da americana R. J. Palacio traz à tona a luta contra o preconceito ao contar a história de um menino de 10 anos que nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial.

Narrado da perspectiva de August e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade – um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo.
"Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil."

Posso definir Extraordinário em uma palavra: Extraordinário
O livro narra o primeiro ano escolar de August Pullman na escola Beecher Prep. Auggie tem dez anos e será a primeira vez em que irá para uma escola, antes ele estudava em casa, com a mãe. Ele não é um menino comum, nasceu com uma séria deformidade facial e mesmo depois de muitas cirurgias plásticas seu rosto ainda é muito sequelado. 

A história é narrada em oito partes, sendo três narradas por Auggie e o restante por outras pessoas que convivem com ele desde sempre, como sua irmã Olivia, e outros que entraram em sua vida depois, como Jack, Summer, Justin e Miranda. 

Inicialmente a autora apenas fala como o rosto de Auggie provoca medo e espanto nas pessoas, como crianças saem correndo ao cruzarem com ele e como é difícil não encará-lo. Você leitor, fica se perguntando: Até onde o rosto de alguém pode ser tão diferente e esquisito a ponto de te fazer sentir medo? E então ela nos apresenta ao August, e então nos apaixonamos por ele e sua coragem. Quando a autora de fato descreve o rosto de Auggie através do ponto de vista de Olivia, a minha primeira reação ao imaginar foi um pouco esquisita, mas então eu já o amava e percebi que isso foi uma jogada extraordinária da autora. Não pude evitar o trocadilho...rs 

O livro não tem um ponto alto, um clímax, é uma narrativa gostosa e bem simples sobre tudo o que Auggie passa desde o dia em que descobre que irá enfrentar uma escola de verdade. Todos os momentos, as amizades, os preconceitos, as vitórias, as tristezas, decepções, alegrias, etc. É um mundo novo para August, pois além de ele ter que encarar uma escola nova, o que já é bem difícil se você for uma pessoa comum, imagine só como deve ser assustador para ele, que sempre viveu sob a constante proteção de seus pais e sua irmã Via. 

Eu amei a leitura de Extraordinário porque eu nunca senti um misto tão grande de sentimentos lendo um único livro. Primeiro ele meio que me cegou pois eu não conseguia imaginar o August, depois me levou às gargalhadas, depois às lágrimas, às gargalhadas novamente, senti pena do Auggie, senti repulsa por algumas pessoas do livro, senti raiva de mim também, fiquei triste e depois fiquei muito feliz. Ou seja, isso tudo em menos de 24 horas pois eu li o livro de um fôlego só. 

A família Pullman é completamente AMOR. Eu senti um amor incondicional por essa família, é quase que tocável o amor que Isabel, Nate, Olivia e August nutrem uns pelos outros. É uma família que não mede esforços para ver a felicidade e o bem estar entre si. E tem ainda a fofa da cadelinha Daisy. Sinceramente nem consigo descrever com outras palavras, a única coisa em que penso quando ouço falar da família de August é AMOR em sua totalidade. 

Extraordinário fala de amor e respeito ao próximo, de amizade, lealdade, confiança e fé no ser humano. Nos mostra como um simples ato de gentileza pode mudar a vida de uma pessoa. E também que uma simples olhada torta pode culminar em algo muito ruim. Mesmo que uma pessoa seja diferente devemos tratá-la normalmente, pois tudo que ela quer é apenas ser normal. E August é assim, apesar de ser fisicamente diferente, ele só quer mostrar que é um garoto normal, que é fã de Star Wars e gosta de ciências, como eu ou como você! O mais legal é que no final, é notável a evolução de todos os personagens, sem excessão, não somente do August, mas como dos pais, irmãs, amigos e até do diretor da escola. O discurso do Sr. Buzanfa na formatura foi lindo e eu chorei. Ah, adorei os preceitos do Sr. Browne!

Leitura mais que recomendada, para todas as idades, classes sociais, etnias, religiões... enfim, todo mundo deveria ler este livro. 

"Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo."

SORTEIOOOOOOO!!!

a Rafflecopter giveaway

38 Comentários:

Monica santos disse...

Olha só a Dana me fazendo gastar dinheiro. haha
Fiquei com vontade ler esse livro só de ver a capa, depois dessa resenha tive que comprar.


Beijos!

Nica disse...

Todo mundo falando mto bem desse livro.. Preciso ler tb! Ainda mais com essa sinopse, de emocionar e fazer refletir!
Parabéns pela resenha!
Bjs,
Nica
http://nicasdrafts.blogspot.com.br/

Dana Silva disse...

monica, aproveita que estamos sorteando!!!

Dana Silva disse...

aproveita que estamos sorteando!!! ;]

Anne Costa Viana disse...

Adoreeeei a sinopse já quero ler
gosto desse tipo de leitura que me prende da primeira a pagina a última!!!!

Bruna:) disse...

Nesses últimos dias comecei a ver muitos, mas muitos comentários positivos sobre esse livro. Gostei muito da sinopse, parece ser uma história linda e emocionante, e o August um garotinho muito cativante. Tenho uma fraco por livros narrados por crianças, ou que tenham crianças como personages principais. Eles são puros, vão direto ao ponto e são sinceros, ao contrário dos protagonistas adolescentes, muitas vezes chatos de doer ¬¬
é isso, parabéns pela resenha, espero ter sorte ^^

Patricia Gomes disse...

para ser sincera, o livro me chamou a atenção primeiramente pela capa...
não sabia que era baseado em uma estória verídica, fiquei super curiosa
em ler essa narrativa que parece bastante envolvente e em conhecer
personagens que parecem tão marcantes (especialmente August)... com
certeza vai entrar na minha lista de futuras leituras!

aninha disse...

"Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo." já vejo que vou amar esse livro.August é daqueles personagens que te marcam e essa família dele,vai me pegar no coração <3 sabe vendo tua resenha e a sinopse,me lembrou um pouco O Céu está em Todo Lugar(claro salvando as diferenças)sabe aquele sentimento que te faz rir,chorar

Nardonio Alves disse...

Confesso que quando vi essa capa não levei esse livro muito a sério, mas depois dessa resenha, mudei completamente de opinião. Gosto bastante de histórias assim, e acho que vou gostar desse também. Espero ter a oportunidade de ler em breve.


@_Dom_Dom

Ketelin Natieli Wochner disse...

Awn, que lindo *-*
Adorei a resenha. Gosto de livros que são narrados por crianças, pois nos passam sua inocência a respeito das coisas. Deve ser um livro cativante, que nos faz pensar e melhorar nossa atitude em relação às outras pessoas.
Espero lê-lo algum dia.

Beijos :)

Rafael Fernandes disse...

Essa evolução dos personagens foi o que me deixou curioso pra ler, li várias resenhas positivas e nisso cita-se o mesmo, acho que quando ler farei com total êxtase. Parabéns pela resenha, beijos.

Cris Aragão disse...

Esse livro é cheio de frase interessantes e vem recebendo muitos elogios dos leitores. Parece se tratar de uma história absolutamente adorável e me fez lembrar de uma conversa que eu tive muito tempo atrás sobre o filme ET, uma amiga me perguntou porque cargas dágua ele era tão feio e esquisito e chegamos à conclusão que se ele fosse totalmente fofinho seria fácil gostar tanto dele e protegê-lo contra tudo, que no fundo era um filme contra o preconceito e sobre aceitação do diferente, adoro esse tipo de narrativa que nos faz pensar e perceber a necessidade de ir além das aparências.

Bruna Costenaro disse...

Esse é o tipo de livro que todo mundo tem que ler. Vidas que são marcadas como desse rapaz sempre nos ensinam coisas que não percebemos, falam das pequenas coisas que nunca percebemos.


O quote que vc colocou é ótimo e eu concordo =D


Miquilis: Bruna Costenaro / GFC: Bru Costenaro

Silvana Crepaldi disse...

O período escolar já é difícil para quem não tem nenhuma diferença, imagine para quem tem. Se você não faz parte do grupinho mais descolado, você não é bom o suficiente. E é nesse período que formamos nosso caráter por isso temos tantas pessoas de caráter duvidoso.

Rapha - Doce Encanto disse...

Dana, que resenha mara! Já tinha falado que estava surtando pra ler o livro, né? Agora estou ainda mais... amo livros que nos despertam vários sentimentos. Esse parece ser realmente tocante!

Já tive uma experiencia de ler um estoria contada por uma criança (livro Quarto) e foi encantador.. acho que esse aí var ser tão emocionante quanto ou até mais.


eu quero!

Thais Priscilla disse...

Eu achei o livro MUUUUUUITO bom.

A história é comovente e emocionante. Adorei conhecer o Auggie e ele é tão simpática e uma criança incrível, super cativante.


Que bom que você gostou também *_* A resenha ficou ótima!

Beijinhos,

Thais Priscilla

http://thaypriscilla.blogspot.com.br

Sanélia Nascimento disse...

Adorei o tema do
livro, realmente a Intrínseca está arrasando nos lançamentos! Deve ser muito
curioso e emocionante entrar no universo dessa criança e enxergar a sociedade
pelos olhos de August. Parece ser um livro lindo e comovente. Fiquei mais do
que curiosa para ler! Quero muito ganhar!

Mey disse...

Ser diferente é mto dificil mesmo, seja essa diferença fisica ou até mesmo psicologica, cultural ou religiosa. A historia do livro parece ser fascinante, simples, gostosa apesar do tema dificil. Espero mesmo ter a oportunidade de ler. Tenho certeza que vai ser enriquecedor. Bjkssss

Lorenna Rodrigues disse...

Oi, Dana!

Sua resenha me deu arrepios e algumas lágrimas ameaçaram cair. Sério. Extraordinário é daqueles livros que só de olhar já da vontade de ler. Ou melhor, só pelo título já dá vontade de ler. Pelo menos foi assim pra mim. Em um mundo como o nosso que a maioria das pessoas só reparam a aparência, ser diferente é realmente muito difícil. Imagino August, um menino tão novo com essa carga nas costas sem ao menos ter culpa disso. E esse misto de emoções que você sentiu? Não é em todo livro que encontramos isso, né?

Adorei a resenha, Dana!

Necessito ler esse livro.

Beijos

http://enclausuradas.blogspot.com.br/

Danielle CGA Souza disse...

Esses quotes me encantam, que lindo.
Já sinto um dó do garoto, apesar de saber ser errado pensar assim, mas imaginar o preconceito que ele teve de enfrentar, colegas de escola podem ser bem cruéis se assim desejarem. =(
Só de pensar na coragem dele de encarar a escola e ter novas experiências, me deixou emocionada, não sei se teria tana força de vontade.
Deve ser um livro adorável mesmo. =)

patty disse...

OPA... parece ser um livro emocionante, daqueles que a gente tem que ler com uma caixinha de Kleenex de suporte e que a gente ganha uma boa dose de reflexão! Deve ser muito interessante. Vou confessar, quando comecei ler a resenha e falou que o garoto tinha 10 anos e seria a primeira vez que ele iria para a escola, eu pensei: ai que preguiça!!! Mas chegou no final da resenha eu já queria o livro!!! Parabéns pela resenha!!!

Adriana disse...

Bom, ja gostei do livro por ser tratar de uma historia que envolve uma criança, eu sempre me emociono em leituras assim e tb por ser uma história proxima a realidade, aos sentimentos humanos diversos e que pelo que li da resenha, nos traz uma grande lição, só por isso, com certeza ja vale a pena a leitura, conforme fui lendo a resenha, ja fui imaginando por td q August passou e ja me veio o no na garganta, entao, tenho que ler esse livro o quanto antes, parabéns pela belissima resenha!

Katia M. disse...

A resenha aumentou mais minha vontade de ler,quantos sentimentos esse livro trouxe,sentir os preconceitos vividos por August é muito tocante,ele é só uma criança,criança que precisa de tanta força só por não ter a imagem que o mundo considera normal,realmente uma reflexão.
As frases escolhidas são lindas.

Kelry Caroline disse...

O livro é muito bom, pois fala de não julgar pela aparência. Ajuda as pessoas á lidar com esse tipo de pré-conceito das pessoas.

lsebastiany disse...

Só amores!! Gostei muito da resenha, só aumentou minha vontade de lê-lo.
Achei bacana o modo como o livro foi dividido em 8 partes, mostrando não só a perspectiva do principal, mais também de seus entes e amigos.

Carolina Durães disse...

Dana, tudo bem? Eu já sabia que o livro seria emocionante, mas ao ler a sua resenha, percebi que provavelmente vou chorar durante a leitura rs
Simplesmente amei a resenha! Parabéns!!!!

Beijos

Nica disse...

Vou participar!!!!!!!!!! =)

Gladys Sena disse...

Gosto de tramas baseadas em fatos reais. Parece bem interessante, ;)

Andressa Oliveira disse...

Quero muuuuito ler esse livro. É uma daquelas histórias que todos deviam conhecer, passa uma bela mensagem. Amei!

Marilia Kelvia disse...

Dana, desde que vc me falou desse livro tô com vontade de ler, mas a Intrinseca não mandou esse pro Arf, vou esperar ter a oportunidade para ler.

bjs

Dana Silva disse...

Oi Marilia, eles não mandaram a prova pro ARF? Mas o definitivo foi enviado sim, junto com um kit lindoooo que deve chegar esses dias, eu também ainda não recebi o meu mas alguns blogs já receberam. Se vc quiser te empresto.

Diniz Bortolotto disse...

Em um contexto em que o assim chamado "bullying" - antigamente era "tirar sarro" ou "fazer troça" - atinge proporções e visibilidade sem igual, este livro nos faz lembrar que, a despeito de nossas imperfeições, ainda somos todos seres humanos.

Ana Paula Barreto disse...

Este livro parece ser doce, mas recheado de emoções intensas e contraditórias. Desde que o vi pela primeira vez fiquei encantada com a história e principalmente com o personagem principal. Todo mundo já se sentiu rejeitado e excluído pelo menos uma vez na vida, e com certeza foi doloroso. E a maioria de nós não tem nenhuma deformidade aparente. Então, consigo me colocar no lugar do garotinho, mas não sentir sua dor. Ao mesmo tempo, penso que existem pessoas como ele, que sofrem tanto, mas conseguem tirar de dentro de si uma força inexplicável para encarar com o máximo de naturalidade possível a situação e ser feliz.
Quero muito ler o livro, mesmo!
bjs

Carlos Júnior Souza disse...

Um livro extraordinário que narra uma história muito intrigante e que estou interessado em ler. Tomara que eu ganhe :) Abçs!

Cristiane de oliveira disse...

Acho que essa foi a melhor resenha que já li na vida eu entendo muito bem o que é ter alguém “diferente” na familia e por isso sofrer vários preconceitos , esse livro vai ser muito bem vindo na minha estante.Amo livros assim que me fazem chorar e rir e aprender .

Viviane S. disse...

Já li muitas críticas positivas. O assunto é bem delicado, vai fazer muita gente refletir.
quero lê-lo! *---*

liliangabi disse...

Gostei muito da resenha. Achei esse livro bem interessante por causa das características psicológicas dele. Os sentimentos retratados e tais. O protagonista também é muito diferente e isso chega a ser algo que induz o leitor a ler para saber mais sobre, acho muito legal.

Ariana Alves disse...

Parece ser um livro lindo.
O mundo pode ser bastante cruel com pessoas que são diferentes e imaginar um garoto de dez anos lidando com essa crueldade toda é complicado.
É fácil julgar os outros quando não estamos na pele deles, mas se fosse você alí, será que sua (minha, de qualquer um) reação seria diferente?
Essa pergunta me faz triste pois a minha resposta é que sinceramente eu não sei =/

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D