Resenha: Laços Inseparáveis (Emily Giffin)

sábado, 16 de março de 2013

Livro: Laços Inseparáveis
Autor: Emily Giffin
Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788563219473
Ano: 2012
Páginas: 445



Sinopse:A autora de cinco romances de sucesso, Emily Giffin, lança uma história inesquecível de duas mulheres, as famílias que a fazem ser quem são, e a lealdade e o amor que as ligam. Marian Caldwell é uma produtora de televisão de 36 anos, vivendo seu sonho em Nova York. Com uma carreira bem-sucedida e um relacionamento satisfatório, ela convenceu todo mundo, inclusive si mesma, que sua vida está do jeito que ela deseja. Mas uma noite, Marian atende a porta... para apenas encontrar Kirby Rose, uma garota de 18 anos com a chave para o passado que Marian pensou ter deixado para trás para sempre. Desde o momento que Kirby aparece na sua porta, o mundo perfeitamente construído de Marian — e sua verdadeira identidade — será chacoalhado até o fim, fazendo ressurgir fantasmas e memórias de um caso de amor apaixonado que ameaça tudo para definir quem ela realmente é. Para a precoce e determinada Kirby, o encontro vai provocar um processo de descobrimento que a leva ao começo da vida adulta, forçando-a a reavaliar sua família e seu futuro com uma visão sábia e doce. Enquanto as duas mulheres embarcam em uma jornada para encontrar o que está faltando em suas vidas, cada uma irá reconhecer que o lugar no qual pertencemos normalmente é onde menos esperamos — um lugar que talvez forçamos a esquecer, mas que o coração se lembra eternamente.

Oi gente, essa semana eu tive minha primeira experiência com uma autora que é bem conhecida e que muita gente já havia me indicado: Emily Giffin. O livro escolhido foi Laços Inseparáveis, que é um lançamento da editora Novo Conceito.

                Marian Caldwell é uma produtora de televisão de sucesso que mora em Nova York e tem um relacionamento sério com um dos figurões da indústria televisiva, que também é o dono da emissora onde ela trabalha. Tudo é praticamente perfeito em sua vida, até que um erro que ela cometeu há 18 anos bate na sua porta as 23:30 hs.  O erro? Se chama Kirby e é a outra personagem que nos conta essa história, uma garota que vem de uma família de classe média e que desde sempre soube que era adotada. Kirby se sente deslocada dentro de sua família e ao completar 18 anos resolve ir atrás de sua mãe biológica para encontrar respostas para o que incomoda sua cabeça adolescente e é assim que ela chega até uma cobertura no Upper Est Side as 23:30 da noite e encontra uma mulher que parece ter seus cabelos e que a reconhece pelos olhos.

                 O modo como a autora trabalha o ponto de vista de Marian e Kirby parecem mosrar os dois lados de uma mesma moeda. Uma mulher com inseguranças e que esconde suas fragilidades e arrependimentos, que um dia já foi uma adolescente que queria ser perfeita e que colocou seu mundo a baixo ao se apaixonar por um músico chamado Conrad  e uma garota que ainda está descobrindo de onde veio, seu lugar ao mundo e seu primeiro amor, que ama os pais adotivos mas que precisava saber o simples “por que?” e que descobre que tem os olhos do pai biológico assim como seu talento para a música. O livro inteiro é bastante delicado e mostra como família é importante, mesmo que não existam laços de sangue ou quando esses laços existem sem uma convivência. O final me deixou um pouco decepcionada, pois esperava que as coisas tomassem um rumo diferente para Marian, mas espero que a autora faça uma continuação e não nos deixe no vácuo, pois uma pergunta ainda precisa ser respondida.

                A capa desse livro é linda, toda em amarelo com tons de vermelho e me lembraram o Central Park no outono. A diagramação é maravilhosa, folha amarela e letra grande o que facilita a leitura.

Classificação





E TÁ ROLANDO SORTEIO DE UM EXEMPLAR PELO FACEBOOK, QUE TAL PARTICIPAR? É SÓ CLICAR NA IMAGEM! 


5 Comentários:

Sammysam Rosa disse...

Tenho muita curiosidade em ler os livros da Emily, as criticas são ótimas a respeito de autora e livro. Uma pena o final não ter sido tão bom.

Bjs

Da Imaginação a Escrita

Débora Campos disse...

Tenho muita vontade de ler esse livro! Afinal amo a Emily Giffin!

Parabéns pela resenha, uma pena o final ter te decepcionado!!

Beijos

http://2bookgirls.blogspot.com.br/

Danielle CGA Souza disse...

Oi Priscila, adorei a resenha este livro parece muito bom, vejo elogios para ele e outros da autora, mas não cheguei a ler nenhum.
Essa questão de adoção deve ser bem delicada, não consigo imaginar como lidaria com tal situação.

Bem legal que as duas se reencontram, mas estou aqui encafifada com o final que deixa a questão em aberto... o.Õ

aninha disse...

nunca li um livro da Emily Giffin, mas sempre ouvi comentários positivos sobre eles.acho legal a autora tocar no assunto família,claro,com um drama no meio,mas sempre mostrando que as vulnerabilidades do ser humano. concordo contigo,a capa é belíssima,simples,mas muito bonita.

Bruna Miranda disse...

Eu nunca li Emily Griffin, mas parece ser bem chick lit e acho que poderia ser legal. Eu comecei a ler Something Borrowed (esqueci a tradução), mas não gostei muito e parei. Talvez esse seja uma melhor opção pra conhecer a autora :)

beijos!

Bruna

http://www.umpoucodissoeaquilo.com.br

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D