Resenha: O Fio (Victoria Hislop)

sexta-feira, 5 de abril de 2013




Edição: 1
Editora: Intrínseca
Ano: 2013
Páginas: 384


Tessalônica, 1917. No momento do nascimento de Dimitri Komninos, o fogo devasta a cidade multicultural onde cristãos, judeus e muçulmanos convivem. Cinco anos depois, a jovem Katerina foge para a Grécia quando sua casa na Ásia Menor é destruída pelo exército turco. Ao se perder da mãe em meio ao caos, ela acaba em um navio cujo destino é desconhecido. Desde esse dia, as vidas de Dimitri e Katerina se entrelaçam: entre si e com a história da cidade. Fruto de uma pesquisa meticulosa, O fio tem como cenário a tortuosa história política da Grécia no século XX. A narrativa emocionante de Victoria Hislop — também autora de A ilha e O retorno — une ficção e história ao contar a saga de duas famílias na segunda maior cidade grega.
Por onde eu começo, people? Esse é um livro bem distante daqueles que costumo ler. Como já falei busco “Contos de Fadas” e “Felizes Para Sempre” em todo lugar. Quando nos deparamos com um livro que nos entrega a verdade, a realidade nua e crua, acabamos nos espantando, mas creio que isso é normal. O que vai nos alegrar é o fato de que essa realidade ainda que dura e difícil, nos prende do começo ao fim e nos proporciona bons momentos. Creio que isso faz um bom livro. Quando, mesmo contendo coisas que você não esperava, ainda assim ele te faz feliz.

Quem não gostaria de ir à Grécia? Imagine então conhecer a atual e também a antiga? Passear pelos recôndiitos da História e conhecer um pouco mais sobre os grandes acontecimentos que abalaram ou fortaleceram essa bela nação? Eu só posso dizer que adorei.

Falemos um pouquinho só dos personagens. Katerina é uma moça determinada que passou por bons bocados, minha gente. Essa vida não foi nada facil para ela. Nada fácil também para Dimitri, seu amor. O livro se inicia em 2007, mas logo regressamos à Tessalônica de 1917 onde começamos a acompanhar todas as desventuras que Katerina precisa enfrentar ainda criança, época em que conhece Dimitri dando início à uma história de amor com idas e vindas. Onde percebemos que, realmente, a força de um grande amor pode vencer todos os obstáculos.

É preciso destacar os toques de realidade da história que nos trazem muitas lágrimas. A chegada dos alemães em 1943 e a terrível perseguição aos judeus são parte importante da trama. É necessário que se saiba disso antes de ler. Esse não é um romence água com açúcar. É um desenvolver gradativo de um amor que vai amadurecendo com o tempo e com todas as barreiras que transpõe. Ainda assim eu recomendo. Quem não gosta de derramar umas lágrimas e suspirar um pouco com uma boa história de amor? Saibam também que a autora é detalhista e comprova com maestria que fez a lição de casa ao investigar a fundo os acontecimentos reais da História da cidade para que pudesse entrelaçá-los com a vida de Dimitri e Katerina.

Vou deixar para vocês duas versões da capa, em inglês e em português (Portugal):


Deixo também as capas dos dois outros livros de Victoria, também lançados pela Intrínseca, para quem se interessar em ler mais dessa ótima autora:


Beijos e até a próxima!

| comente (:

Carolina Durães disse...

Oi Gracy, tudo bem?
Eu também não conhecia o trabalho da autora, mas após ler a sua resenha estou pensando em considerar adquirir o livro.
Parabéns pela resenha.
beijos

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D