Resenha: A Caçada - Isaac Bell #01 (Clive Cussler)

quinta-feira, 30 de maio de 2013


Edição: 1
Editora: Novo Conceito
Ano: 2013
Páginas: 384
Tradutor: Camila Fernandes
Por décadas, Clive Cussler vem deleitando leitores com romances repletos de suspense, ação e pura audácia. Agora, ele faz isso novamente, em um dos mais loucos e estimulantes thrillers de época dos últimos anos. O governo norte-americano contrata a renomada Agência de Detetives Van Dorn e seu agente igualmente renomado, Isaac Bell, para capturar um lendário ladrão de bancos conhecido como Assaltante Açougueiro. Este assassinara homens, mulheres e crianças, sem deixar nenhuma pista nem testemunhas. O detetive Bell lidera a busca e finalmente descobre a verdadeira identidade do Assaltante Açougueiro. E nesse momento inicia-se a verdadeira caçada. Com um enredo intrincado, dois vilões extraordinários e a assinatura de Cussler em reviravoltas surpreendentes, A Caçada é o trabalho de um mestre no auge de seu talento.
Finalmente!
Quero começar assim minha resenha. Sou uma leitora adepta de romances melosos e se não tiver amor para mim o livro está perdido. Imagine então minha reserva em ler esse livro. Capa perfeita, mas temática bem diferente do meu habitual. Romances policiais não são, mesmo, a minha praia. No entanto só olhar para essa capa linda me despertou muito a curiosidade e resolvi tentar. O livro se passa no inicio dos anos 1900, século XX fervendo. Evolução tecnológica borbulhando em todos os lugares e aquele clima de suspense no ar já me atraiu na primeira página. Respirei fundo e mergulhei.

Adoro me enganar com os livrinhos. Penso que será maçante, uma bobagem de época, sem ritmo e que não me prenderá por que não tem romance e aí o Clive me dá um tapa na face com sua escrita fluida e bem estruturada. É um maravilhoso contador de histórias de ação e suspense. E conhecer mais dessa época através da interpretação dele é maravilhoso.

O vilão é um daqueles MUITO malvados e sei que a história vai agradar o pessoal que curte séries de serial-killers. Existe algo de assassino em série no Assaltante Açougueiro e há também um algo mais que você descobrirá quando ler o livro. Alegre

Já o “mocinho” cumpre bem seu papel. Ele é rico e só trabalha como detetive por diversão. Eu já o romantizei de cara e na minha mente ele foi um 007 sedutor desvendado crimes e seduzindo bolas mulheres. HAHA Isso que é bom em ler. Você imagina o seu mocinho como quiser e se eu quero que o meu mocinho pareça com o Johnny Depp, então ele vai parecer. Smiley de boca aberta

Enfim, o livro é eletrizante. A história acontece rapidamente e tem várias reviravoltas misteriosas. Altamente recomendado pelo conteúdo, fora que essa capa na estante embeleza tudo. Me lembrou mangás. Um luxo. Virei fã do Clive Crussler.

3 Comentários:

Ana Luiza Silva disse...

Essa capa é linda mesmo *---* só de ser "de época" já fez eu me apaixonar <3

Danielle CGA Souza disse...

Eu queroooo!!!
Do Clive li apenas "O reino" e simplesmente me apaixonei pelos Fargo e suas aventuras.
Então agora preciso conhecer o senhor Bell, que parece ser muito eficiente em seu hobby detetivesco.
Serial killer é? E algo a mais? Conseguiu me deixar fervilhando de curiosidade.
E concordo que o melhor em ler é deixar a imaginação voar e deixar o mocinho com a carinha que desejamos.
Bj

aninha disse...

sua resenha me surpreendeu porque eu já tinha lido algumas resenhas nem tão positivas assim sobre esse livro. eu ainda não li um livro do Clive Cussler,tenho curiosidade ,pq me parece justamente o que você diz na resenha, uma escrita estruturada e que que com carisma. as capas dos livros dele até agora são belíssimas,amo esse estilo meio "noir" =)

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D