Resenha: A Caçada - Isaac Bell #01 (Clive Cussler)

quinta-feira, 30 de maio de 2013


Edição: 1
Editora: Novo Conceito
Ano: 2013
Páginas: 384
Tradutor: Camila Fernandes
Por décadas, Clive Cussler vem deleitando leitores com romances repletos de suspense, ação e pura audácia. Agora, ele faz isso novamente, em um dos mais loucos e estimulantes thrillers de época dos últimos anos. O governo norte-americano contrata a renomada Agência de Detetives Van Dorn e seu agente igualmente renomado, Isaac Bell, para capturar um lendário ladrão de bancos conhecido como Assaltante Açougueiro. Este assassinara homens, mulheres e crianças, sem deixar nenhuma pista nem testemunhas. O detetive Bell lidera a busca e finalmente descobre a verdadeira identidade do Assaltante Açougueiro. E nesse momento inicia-se a verdadeira caçada. Com um enredo intrincado, dois vilões extraordinários e a assinatura de Cussler em reviravoltas surpreendentes, A Caçada é o trabalho de um mestre no auge de seu talento.
Finalmente!
Quero começar assim minha resenha. Sou uma leitora adepta de romances melosos e se não tiver amor para mim o livro está perdido. Imagine então minha reserva em ler esse livro. Capa perfeita, mas temática bem diferente do meu habitual. Romances policiais não são, mesmo, a minha praia. No entanto só olhar para essa capa linda me despertou muito a curiosidade e resolvi tentar. O livro se passa no inicio dos anos 1900, século XX fervendo. Evolução tecnológica borbulhando em todos os lugares e aquele clima de suspense no ar já me atraiu na primeira página. Respirei fundo e mergulhei.

Adoro me enganar com os livrinhos. Penso que será maçante, uma bobagem de época, sem ritmo e que não me prenderá por que não tem romance e aí o Clive me dá um tapa na face com sua escrita fluida e bem estruturada. É um maravilhoso contador de histórias de ação e suspense. E conhecer mais dessa época através da interpretação dele é maravilhoso.

O vilão é um daqueles MUITO malvados e sei que a história vai agradar o pessoal que curte séries de serial-killers. Existe algo de assassino em série no Assaltante Açougueiro e há também um algo mais que você descobrirá quando ler o livro. Alegre

Já o “mocinho” cumpre bem seu papel. Ele é rico e só trabalha como detetive por diversão. Eu já o romantizei de cara e na minha mente ele foi um 007 sedutor desvendado crimes e seduzindo bolas mulheres. HAHA Isso que é bom em ler. Você imagina o seu mocinho como quiser e se eu quero que o meu mocinho pareça com o Johnny Depp, então ele vai parecer. Smiley de boca aberta

Enfim, o livro é eletrizante. A história acontece rapidamente e tem várias reviravoltas misteriosas. Altamente recomendado pelo conteúdo, fora que essa capa na estante embeleza tudo. Me lembrou mangás. Um luxo. Virei fã do Clive Crussler.