Resenha do Filme: Não Me Abandone Jamais

segunda-feira, 20 de maio de 2013


Não Me Abandone Jamais

Título Original: Never Let Me Go
Ano: 2011
Diretor: Mark Romanek
Elenco: Carey Mullgan; Keira Knightley; Andrew Garfield; Charlotte Rampling e outros
Gênero: Drama; Romance
Nacionalidade: Reino Unido; EUA







“Faz duas semanas que o perdi...
Eu venho aqui e imagino que este é o lugar onde tudo que perdi desde a minha infância foi depositado...”

Trailer: 



Dor. É o sentimento que Kathy H (Carey Mullgan – Wall Street, o Dinheiro nunca dorme) transmite durante sua narração do filme originado do livro de mesmo nome, a dor do futuro fadado, da vida sem sentido, do rumo que a situação impõe sobre os clones de Hailsham, um internato inglês que carrega consigo um história moribunda, educar crianças clones, com a finalidade de doações de órgãos, crianças geneticamente modificadas, com uma única intenção repor os órgãos daqueles aos quais são cópias.
Baseado no livro de Kazuro Ishiguro – Never let me go.
Não Me Abandone Jamais, vai retratar a vida de três crianças Kathy h (Carey Mullgan); Ruth (Keira Knightley – Piratas do Caribe) e Tommy (Andrew Garfield – O Espetacular Homem Aranha), que são umas dessas crianças clones que nem desconfiam da sua terrível realidade, onde o diretor não abrindo mão de um romance, decide envolver os três em um triangulo amoroso, onde Kathy é apaixonada por Tommy desde criança, mas o mesmo decide por ficar com Ruth.
Quando finalmente descobrem o destino que os aguarda, descobrem também duas possibilidades de se manterem vivos por mais alguns anos, adiando suas doações: Trabalhando como “cuidadores”, que cuidam daqueles que já são doadores. Ou expondo uma paixão genuína e verdadeira, mas como se são clones, pessoas sem alma e sem sentimentos?

Nesta constante, Kathy com seu amor por Tommy que escolhe Ruth decide ser cuidadora e vê os dois melhores amigos sendo conduzidos um a um, seção após seção, cirurgia após cirurgia, a uma morte lenta e dolorosa.

Uma reflexão sobre o valor que a vida tem sobre aqueles que estão fadados ao fim, um filme mórbido, mas muito intenso atrás de descobrir a alma dos amantes mesmo quando o fim está próximo, o desejo de nunca deixar de lado aqueles a quem amamos, ou aqueles que seguiram os anos ao nosso lado.

Mark Romanek, o diretor. Reflete na vida dos personagens a dor da perda, o sentimento de amizade, o sorriso de pessoas que em meio ao caos ainda conseguem dedicar momentos ao prazer, ao divertimento e a saborear uma porção de linguiça, ovos e fritas acompanhado de refrigerante enquanto vêem a morte se aproximar lentamente, diante de suas vidas sem sentido, ou com sentido incomum a das demais pessoas que lhe acompanham... 


Um filme de dor, tristeza, sorrisos inocentes e... Amor

12 Comentários:

Priscila Siqueira disse...

Eu amo demais esse filme, confesso que só assisti por causa do meu lindo Andrew Garfield (na época ele era lindo pq namorava a Shannon, agora ainda tô decidindo) Mas é isso mesmo, lembro que chorei demais vendo o filme que foi tão sensível e fala de um ema tão delicado... Paulo depois tenho um filme pra te indicar, tu me lembra?bjs te amo<3

Jamila Lima disse...

Umas das histórias que mais me chocaram recentemente. Conheci o filme através do livro. Recomendo muitíssimo a leitura.

aninha disse...

valeu pela dica,vou procurar assistir essa semana,não conhecia o filme. bem intenso em.

Dalila Souza disse...

Eu to LOUCA atrás do livro! (que custa uma pequena fortuna, convenhamos).
Será que vale a pena ver o filme antes de ler o livro?

Dani Casquet Booksϟ disse...

Nossa esse filme é super bem narrado, amo os atores que estao nele, no começo achei a história sinistra mas depois amei!!! Assisti várias vezes!!!
Ótima indicaçao!!!
bjs
Dani Casquet

Petania disse...

Eu assisti, esta madrugada, mas, quer saber? Me fez mal. É uma historia triste e tocante, mas é mórbida demais! O que mais me incomodou foi aquelas pessoas se entregarem ao sacrifício, como cordeiros. Simplesmente aceitaram seu destino sem nada fazer para mudá-lo. Os humanos não são assim.

Henriette disse...

Concordo com tudo que disse, é mesmo que alguém diga que a educação deles foi voltada pra obediência cega como a obecessão pela comida e hábitos saudáveis, ainda assim, vai contra natureza básica humana não lutar pela vida !!

Naty disse...

É realmente uma história bastante diferente. Achei o filme muito interessante, além de ser uma história que nos faz pensar. Porém o fato de as personagens não persistirem, lutarem pela vida ou por possibilidades incomoda um pouco. Confesso que fiquei um pouco perturbada, mas mesmo assim recomendo.

Drika disse...

Gente estou um pouco absmada com esse filme... É triste ver a ruth morrer daquele jeito... q horrível.
Gostei mas não gostei! :'(

Itamar Lima disse...

Exatamente o que achei também.

mateus melo disse...

eu to vendo essa sinopse porque ontem eu vi na tv e n entendi nada nem dormi direita encucado com o filme mal acordei ja to no pc procurando . mas gostei mt do filme ,

mateus melo disse...

compensa vc le o livro antes pq eu n entendi nada do filme antes de le a sinopse

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D