Resenha: Meu Amor, Meu Bem, Meu Querido (Deb Caletti)

sábado, 13 de julho de 2013





Edição: 1
Editora: Novo Conceito
Ano: 2013
Páginas: 240
Tradutor: Maysa Monção Gabrielli
Será Que Um Verão Pode Mudar o Que Sabemos Sobre o Amor, a Família, o Destino e O Próprio Coração?
É verão no nordeste da cidade de Nine Mile Falls e Ruby McQueen, de 16 anos, comumente conhecida como A Garota Calada, está saindo com o maravilhoso, rico e louco por emoções Travis Becker. No entanto, Ruby está num beco sem saída e percebe que se arrisca cada vez mais quando está com Travis. Em um esforço para manter Ruby ocupada, sua mãe, Ann, a arrasta para o clube de leitura semanal que ela comanda. Quando descobrem que uma das criadoras do clube é a protagonista de uma trágica história de amor que estão lendo, Ann e Ruby planejam um encontro dos amantes de longa data. Contudo, para Ruby essa missão acaba sendo muito mais do que apenas uma viagem...
Quando me interessei pelo livro eu esperava um novo “Belo Desastre”, não vou mentir, era o que imaginava sim. A sinopse nos vende isso e eu “comprei” a ideia, se é que me entendem. Mas não se engane, isso não é um “50 Tons de Cinza” adolescente. Posso dizer que me decepcionei, não por não termos um novo Mr. Grey, mas por não ser um livro voltado para o Amor. Essa não é uma história sobre a paixão adolescente de Ruby. Há mais.

O livro trata, bem mais que de romance, da relação entre Ruby e sua mãe e do crescimento pessoal que advém dos momentos difíceis. Não que essa temática não seja boa, mas please minha gente, nós precisamos de romance também. Eu procuro suspiros e frases de amor, que o crescimento pessoal venha junto é um bônus. Para você, que como eu é uma caçadora de histórias de amor, esse livro não é recomendado. Mas se você adora esse tipo de drama familiar, tenho certeza que se identificará facilmente.

Não posso dizer que foi uma leitura ruim de todo, mas devo ser sincera. Foi maçante e se estendeu por semanas a fio. A autora não me pegou MESMO. Faltou paixão, dinamicidade, faltou vida acontecendo rapidamente por entre as páginas. Recomendo a leitura para aquelas pessoas que não estão atrás de suspiros e que estão curtindo um tempinho de folga para relaxar. Se você, como eu, está atrás de um bom romance então não é uma boa pedida.

"(...) Odeio quando as pessoas usam a palavra 'honesto' para encobrir a sua crueldade. Você toma um conceito moral como 'honestidade', associa-o a algo ruim, e pode quase transformar um insulto em algo correto. E se somos sensíveis, vamos acreditar no insulto. Esquecemos que algo honesto pode não ser verdadeiro.(...)"
Deixo aí uma citação que simplesmente adorei e me despeço de vocês permanentemente. Foi maravilhoso resenhar para o blog esse tempo todo, mas a correria da vida não espera por ninguém. Um abraço a todos e tudo de bom para vocês!!!

7 Comentários:

Vanessa Llona disse...

Eu tenho vontade de ler esse livro faz um tempo, tenho ele aqui em casa mas sempre vou passando outros na frente dele, amo livros que tem dramas familiares, mas concordo com vc tem que ter romance senão fica faltando algo, eu não imaginei ele parecido ao Belo Desastre pq já tinha lido uma resenha sobre ele e me pareceu ser bem ao estilo daquele filme com a Sandra Bullock o Divinos segredos, um pouco diferente, mas me lembrou o filme. Pena que vc não gostou tanto. Vou ler, só não sei quando kkkkk. Bjs

aninha disse...

bom, lendo a sinopse,realmente se espera um romance daqueles arrebatador. mas meio que a autora misturou um pouquinho de tudo,romance,drama e amadurecimento dos personagens. não esperava um romance ao estilo Belo Desastre,mas acredito que a autora soube desenvolver a trama. eu leria sem problemas. =)

cristiane disse...

Eu tinha um pouco de vontade de ler esse livro, quer dizer estava em dúvida... Mas depois de ler a sua resenha perdi o pouco interesse que tinha. Acho que o livro não vai me conquistar também.
beijos!

Pamela Liu disse...

Eu ganhei esse livro e li as primeiras 40 páginas. Desisti!
Não gostei da narrativa da autora, da bipolaridade da protagonista, nem do garoto-problema. Não costumo desistir de leituras, mas essa realmente não estava andando e estava ficando com muita raiva da Ruby.
De qualquer forma, parece que não perdi muita coisa. Também concordo que ter um romance ou o tema amor presente sempre enriquece a leitura.
Boa sorte nas suas próximas aventuras, Gracy! Tudo de bom pra vc!

Erika Di Bernardo disse...

Puxa, que pena que a leitura não fluiu... mas sabe que não é a primeira resenha que leio sobre esse livro, e nada que eu leio consegue me agradar....acho que vou deixar passar... pelo menos por enquanto!! Beijos!

Danielle CGA Souza disse...

Caramba, eu não sabia que o foco não seria o romance. =(
Concordo que inserir o drama familiar seria legal desde que acompanhado com um bom romance. Essa capa para me enrolar e a sinopse. tcs, tcs.

Pena que tenha demorado tanto para terminar a leitura.

Francine Porfirio disse...

É a primeira resenha que leio sobre este livro e, confesso, gostei do tema que ele aborda. :) Sou romântica e gostaria SIM que houvesse romance na obra, mas ao mesmo tempo gosto de histórias que abordam o crescimento pessoal dos personagens (ainda que o foco não seja nada romântico). :) Se antes não me interessei pelo livro, agora posso dizer que provavelmente o lerei (rs).
Foi uma ótima resenha de despedida, flor. Desejo sucesso nas suas atividades!

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D