Resenha: A Casa dos Amores Impossíveis (Cristina López Barrio)

sábado, 3 de agosto de 2013

Título: A Casa dos Amores Impossíveis
Autor: Cristina López Barrio
Edição: 1
Editora: Prumo
ISBN: 9788579272806
Ano: 2013
Páginas: 312

Sinopse: Isabel Allende encontra Gabriel García Márquez no aclamado romance da espanhola Cristina López Barrio. Best-seller internacional, traduzido em mais de uma dezena de idiomas, A casa dos amores impossíveis é ambientado na Espanha, às vésperas do século XX, e narra a saga de uma família que carrega uma estranha maldição. Geração após geração, as Laguna estão fadadas a viverem trágicas histórias de amor, parindo apenas mulheres incapazes de escapar ao fado cruel de suas mães.Introduzindo um elenco de personagens memoráveis e excêntricos – de uma cozinheira barbada e muda a um padre idealista, cheio de boas (e milagrosas) intenções –, encabeçado pelas inesquecíveis mulheres da família Laguna, A casa dos amores impossíveis é um banquete para os sentidos. Uma obra de rendeu à Cristina o título de precursora do realismo mágico espanhol.


A Casa dos Amores Impossíveis da Cristina López Barrio é o primeiro livro da Editora Prumo que eu irei resenhar para o blog. Quando chegaram as opções para a escolha eu logo me interessei pela sinopse por compará-lo a uma das minhas autoras de língua espanhola preferida, Isabel Allende.

O livro conta a história de cinco gerações da família Laguna, onde as mulheres sofrem uma maldição que as leva a se apaixonar, ser deixadas pelo grande amor grávidas e perder a alma por conta do sofrimento. A primeira mulher Laguna que nós conhecemos é Clara, uma jovem camponesa com ares de teimosia e orgulho, ela se apaixona por um fazendeiro castelhano e ele lhe deixa grávida, o que a leva a começar a se prostituir, tornando-se uma das mais famosas prostitutas da região. Após o nascimento da filha de Clara conheceremos Manuela Laguna, uma mulher que torna-se obcecada com o desejo de limpar o nome da família e quebrar a maldição, após a morte de Clara, Manuela coloca todas as prostitutas para fora e tenta transformar o casarão vermelho em uma casa de família e sua filha Olvido em uma mulher de bem, um pilar da sociedade, com um casamento financeiramente proveitoso. Porém a chegada de Esteban muda o rumo dessa história, Olvido que é assombrada pelo espírito da avó começa a encontrar-se com o rapaz e mais uma vez a maldição pesa sobre uma mulher Laguna. Assim, nasce Margarita que é criada o mais longe possível da avó que tem um gosto pela morte e um desejo de vingança que cresce a cada dia mais forte. Depois de anos morando em Paris, Margarita volta ao casarão vermelho já grávida de um francês chamado Pierre, a maldição cumpre-se, porém dessa vez nasce um garoto. O único problema? É que os espíritos e a magia que envolve essa maldição vai cobrar um preço caro demais por essa “quebra”.

Sou muito suspeita para falar, por que sou uma fã incondicional do realismo fantástico espanhol. Na verdade sou uma grande fã de realismo fantástico, ponto final. A história das mulheres Laguna é marcada pela linha bem tênue que existe entre o amor e o ódio, cada uma delas conhece o mais profundo amor que transforma-se com o passar das páginas no mais profundo ódio. Clara e Olvido sem dúvidas são minhas personagens preferidas, a primeira por trazer nos olhos amarelos a tenacidade e a teimosia da mulher apaixonada e ferida e Olvido por viver um amor que dura até depois da morte. Ambas trazem características ligadas ao sobrenatural e ao sensualismo da mulher espanhola, que é muito bem explorado pela autora. A única coisa que me frustrou nesse livro foi que o final, apesar de ser condizente com o rumo que a história toma, não era o que eu esperava. Enfim, leiam e vejam se vocês terminam com a mesma sensação de circularidade ao chegar à última linha.

A capa desse livro por si só já é uma obra de arte de tão linda, toda em tons de verde e vermelho, destaque para a mulher desenhada cujas lágrimas parecem vir de cima, o que nos conota a uma tristeza passada do passado. A diagramação apesar de simples, atende aos requisitos básicos, letra em tamanho certo, páginas amarelas, etc. Espero que vocês leiam, por que esse é um livro que você não pode perder a chance de ter na estante.

17 Comentários:

aninha disse...

eu nunca li um livro de um autor espanhol, quem sabe eu comece por esse? personagens fortes e com uma dose de tristeza, afinal ser fadada a ter o amor como maldição é triste, me pareceu um livro bem intenso. a capa só acrescenta a beleza da estória, é bem condizente ao título.

Leiliane Santos disse...

Isso de maldição na família me interessou bastante, sou encantada por histórias que a familia é amaldiçoada e a cada geração alguém sofre com algo até poder quebrar (ou não). Ainda mais que essa maldição envolve um amor que parece ser dos mais desesperantes, se é que posso colocar assim. Vou procurar ler no futuro, já entrou na minha lista de desejados!

D e s s a disse...

Ah, eu olhei a lista da prumo e não me interessei por nenhum... :/ Acabei solicitando Never Sky. rs

Sinceramente, o livro não me chamou atenção. Mas sabe aquela vontade de ler algo diferente do que está acostumada? Então... rs

E a capa é realmente lindinha. *-*

beijos

http://apenas-um-vicio.blogspot.com.br

aninhlima disse...

A história toda da maldição me chamou muito a atenção, e também é um autor espanhol, que pelo que eu saiba, nunca tive contato com um livro de um autor/a assim. Adorei a resenha e o livro parece ser muito legal!

http://leituramagnifica.blogspot.com.br/

Sabrina Castro disse...

Oi, Priscila.
Bem interessante o tema. Lembrei-me do filme Do amor à sedução (acho que é isso), onde as personagens são bruxas e não podem casar-se, pois quase como esse livro, eram escravas de uma maldição. Porém, no filme, são os maridos que têm as almas tragadas.
O livro parece ser beeeeem mais dramático.
Ótima resenha.


xoxo

Thais Vianna disse...

Não sou muito fã de romances, mas esse parece extremamente rico e interessante. Gostei bastante da história e quando li a sinopse fiquei com bastante medo de tender ao drama. Mas sua resenha me animou novamente ao saber que na verdade é mais para a fantasia. Gostei bastante.

Manu Hitz disse...

Que delícia! A começar pelo título, que já merece um olhar cuidadoso... amo títulos que me façam sonhar, esse é um.
Adoro romances bem escritos, mas só aceito alguma fantasia se me convencer e se encaixar bem na história. Na maioria dos livros não aceito muito bem. Mas quando o autor é fera nessa área, a gente entra de asas abertas e aceita o voo...
Quero esse livro, me pareceu uma preciosidade! Amores sofridos, personagens fortes, amor e ódio incendiando os corações feridos... amei!

pamela M. disse...

O que mais chamou a minha atenção nesse livro é a capa mesmo, é realmente uma obra de arte, ache ela muito linda e diferente. Lendo sua resenha agora fiquei com mais vontade ainda de ler o livro, a história parece ser bem interessante. Eu também sou fã do Realismo Magico. Então com certeza eu vou ler o livro!

Francine Porfirio disse...

Meu Deus, li a sua resenha e quando cheguei na frase: "...as mulheres sofrem uma maldição que as leva a se apaixonar, ser deixadas pelo grande amor grávidas e perder a alma por conta do sofrimento", pensei ---- WTF!?
Que proposta louca e que ideia genial ao mesmo tempo! Adoro histórias que envolvam amor-ódio e o universo INTEIRO que há entre estes dois sentimentos. São geralmente histórias de difícil previsão sobre o que acontecerá, não? (rs)
A capa é linda! :O E a Editora Prumo tem algumas publicações valiosas (das quais algumas estou louca para ler) e já aguardo novas resenhas de vocês (rs).
E pode deixar, não perderei a chance de ler esse livro! Já incluí nos meus desejados do skoob (rs).
Beijos!


www.myqueenside.blogspot.com

Neny disse...

Achei a ideia do livro bem interessante, mas acho que não leria se esbarrace com ele na livraria.
Apesar de amar um romance ele não chama minha atenção. Mesmo tendo personagens fortes, o que adoro, mas quem sabe consiga ele no skoob, beijos.

Lucas Souza/Descobrindo Livros disse...

Oi, Priscila. Primeira vez aqui e adorei a resenha, estava esperando alguma sobre ele rs
Gostei do seu ponto de vista e agora sei que preciso ler esse livro. Nunca li nada com uma temática diferente assim e ainda mais de uma autora espanhola hehe
Beijos
Descobrindolivros.blogspot.com.br

Danielle CGA Souza disse...

Que capa interessante!
Eu já tinha visto o nome da autora, mas confesso nunca ter lido nada... pobres mulheres que maldição terrível. =(
Fiquei curiosa com a quebra e o que aguarda o garotinho. Vou procurar para ler, parece imperdível.

Katielle Borba disse...

Oi Priscila,
Tua resenha é a primeira que leio deste livro, e é bem o que eu esperava, menos o final é claro que agora fiquei curiosa.
Nunca li nada de um escritor espanhol e a sinopse deste livro me deixou bem curiosa, ainda mais por tratar de maldições e realismo fantástico.
Espero ter a oportunidade de ler logo este livro.
Beijos.
Katielle

Sulamita disse...

O Livro parece bom e a resenha realmente me deixou curiosa parece ser bem intenso e adoro livros assim.

Rafaela Saturnino disse...

Nunca tinha ouvido falar do livro, e a primeiro coisa que eu gostei foi dessa capa, achei ela muito linda. Também achei bem interessante essa maldição na família, me deixou realmente curiosa. Acho que até lerei esse livro algum dia, mas deve demorar um pouco.


Beijos

Nardonio Alves disse...

Gosto bastante de livros que abordam esse tema de maldição familiar. Ainda não tive oportunidade de lê-lo, mas me passa a impressão de que o livro tem um tom poético belíssimo. Confesso que lendo a sinopse e essa resenha, imaginei uma minissérie passando diante dos meus olhos. Acho que seria uma boa.

@_Dom_Dom

Natyla Peixoto disse...

Também sou uma admiradora do realismo fantástico espanhol e já quero muito esse livro. A capa é digna de uma obra de arte.

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D