Resenha: A Casa dos Amores Impossíveis (Cristina López Barrio)

sábado, 3 de agosto de 2013

Título: A Casa dos Amores Impossíveis
Autor: Cristina López Barrio
Edição: 1
Editora: Prumo
ISBN: 9788579272806
Ano: 2013
Páginas: 312

Sinopse: Isabel Allende encontra Gabriel García Márquez no aclamado romance da espanhola Cristina López Barrio. Best-seller internacional, traduzido em mais de uma dezena de idiomas, A casa dos amores impossíveis é ambientado na Espanha, às vésperas do século XX, e narra a saga de uma família que carrega uma estranha maldição. Geração após geração, as Laguna estão fadadas a viverem trágicas histórias de amor, parindo apenas mulheres incapazes de escapar ao fado cruel de suas mães.Introduzindo um elenco de personagens memoráveis e excêntricos – de uma cozinheira barbada e muda a um padre idealista, cheio de boas (e milagrosas) intenções –, encabeçado pelas inesquecíveis mulheres da família Laguna, A casa dos amores impossíveis é um banquete para os sentidos. Uma obra de rendeu à Cristina o título de precursora do realismo mágico espanhol.


A Casa dos Amores Impossíveis da Cristina López Barrio é o primeiro livro da Editora Prumo que eu irei resenhar para o blog. Quando chegaram as opções para a escolha eu logo me interessei pela sinopse por compará-lo a uma das minhas autoras de língua espanhola preferida, Isabel Allende.

O livro conta a história de cinco gerações da família Laguna, onde as mulheres sofrem uma maldição que as leva a se apaixonar, ser deixadas pelo grande amor grávidas e perder a alma por conta do sofrimento. A primeira mulher Laguna que nós conhecemos é Clara, uma jovem camponesa com ares de teimosia e orgulho, ela se apaixona por um fazendeiro castelhano e ele lhe deixa grávida, o que a leva a começar a se prostituir, tornando-se uma das mais famosas prostitutas da região. Após o nascimento da filha de Clara conheceremos Manuela Laguna, uma mulher que torna-se obcecada com o desejo de limpar o nome da família e quebrar a maldição, após a morte de Clara, Manuela coloca todas as prostitutas para fora e tenta transformar o casarão vermelho em uma casa de família e sua filha Olvido em uma mulher de bem, um pilar da sociedade, com um casamento financeiramente proveitoso. Porém a chegada de Esteban muda o rumo dessa história, Olvido que é assombrada pelo espírito da avó começa a encontrar-se com o rapaz e mais uma vez a maldição pesa sobre uma mulher Laguna. Assim, nasce Margarita que é criada o mais longe possível da avó que tem um gosto pela morte e um desejo de vingança que cresce a cada dia mais forte. Depois de anos morando em Paris, Margarita volta ao casarão vermelho já grávida de um francês chamado Pierre, a maldição cumpre-se, porém dessa vez nasce um garoto. O único problema? É que os espíritos e a magia que envolve essa maldição vai cobrar um preço caro demais por essa “quebra”.

Sou muito suspeita para falar, por que sou uma fã incondicional do realismo fantástico espanhol. Na verdade sou uma grande fã de realismo fantástico, ponto final. A história das mulheres Laguna é marcada pela linha bem tênue que existe entre o amor e o ódio, cada uma delas conhece o mais profundo amor que transforma-se com o passar das páginas no mais profundo ódio. Clara e Olvido sem dúvidas são minhas personagens preferidas, a primeira por trazer nos olhos amarelos a tenacidade e a teimosia da mulher apaixonada e ferida e Olvido por viver um amor que dura até depois da morte. Ambas trazem características ligadas ao sobrenatural e ao sensualismo da mulher espanhola, que é muito bem explorado pela autora. A única coisa que me frustrou nesse livro foi que o final, apesar de ser condizente com o rumo que a história toma, não era o que eu esperava. Enfim, leiam e vejam se vocês terminam com a mesma sensação de circularidade ao chegar à última linha.

A capa desse livro por si só já é uma obra de arte de tão linda, toda em tons de verde e vermelho, destaque para a mulher desenhada cujas lágrimas parecem vir de cima, o que nos conota a uma tristeza passada do passado. A diagramação apesar de simples, atende aos requisitos básicos, letra em tamanho certo, páginas amarelas, etc. Espero que vocês leiam, por que esse é um livro que você não pode perder a chance de ter na estante.