Resenha: A Garota do Penhasco (Lucinda Riley)

sexta-feira, 16 de agosto de 2013


Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581632575
Ano: 2013
Páginas: 528
Sinopse - A Garota do Penhasco - Lucinda Riley
A Garota do Penhasco é um romance que enreda o leitor através de vários fios: a história de Grania Ryan e sua querida Aurora Devonshire, a garota do penhasco, nos fala sobre mudança de vida. A história das famílias Ryan e Lisle é um lindo conto sobre um século de mal-entendidos e rancor entre inimigos que se acreditam enganados por falcatruas financeiras. O caso de amor entre Grania Ryan e Lawrence Lisle comove por sua delicadeza e força vertiginosa que culmina em imensa tristeza. Mas, sobretudo, A Garota do Penhasco é um livro que mostra como é possível encontrar uma finalidade, um propósito, quando todas as esperanças parecem perdidas. “De ritmo tenso e original, este é um romance envolvente sobre recuperação, resgate, novas oportunidades e amor perdido.” -- Booklist

Inicialmente quando solicitei esse livro, estava com dúvida se iria gostar ou não, pois não havia lido nada desse gênero até o momento. Quando recebi em mãos, levei um susto pelo número de páginas e achei que não daria conta pelo fato desse livro fugir do estilo que prefiro ler e vocês já devem ter percebido que prefiro romances mais apimentados.

Porém a curiosidade falou mais alto e comecei a ler as primeiras páginas, fiquei com medo de que todos os meus receios se tornassem realidade. Sério mesmo, o início do livro achei bem chatinho, principalmente por causa de uma das protagonistas, Grania Ryan.

Grania Ryan é uma jovem irlandesa, escultora em ascensão em NY, que sofre uma grande perda e abandona tudo – namorado, casa, profissão – e volta para sua cidade natal, a casa dos seus pais na tentativa de se recuperar de sua grande tristeza. Lá na beira do penhasco, ela conhece Aurora, uma garotinha de 8 anos, com seus cabelos vermelhos e cheios de cachos, encantadora e que desperta em Grania o instinto maternal que imaginava ter perdido após o aborto.

Ok, agora vocês podem me perguntar por que achei o início chato. Bom vou explicar: Na minha opinião (quero deixar bem claro) eu não conseguia entender qual o motivo da aversão de Grania a seu namorado Matt – um jovem psicólogo, de família tradicional de NY, porém desprendido de futilidades, carinhoso e apaixonado por ela.

Ela o evita de uma forma que você se pergunta: O que ele fez de tão grave? Mas isso a gente só descobre ao final do livro e não vou falar mais nada senão estrago tudo com spoiler.

Mas quando começamos a conhecer os antepassados das duas famílias, Ryan e Lisle, Grania e Aurora respectivamente – isso mesmo, as famílias são envolvidas entre si bem antes dos avós de Grania nascerem – como Mary, Anna, Jeremy, entre outros, nos encantamos ainda mais com a leitura.


Entre algumas passagens de tempo, Aurora entra na história, como se estivesse nos dias atuais, conversando com os leitores. A parti daí, podemos concluir que é ela quem está narrando os fatos, mas em terceira pessoa. Deixando dessa forma muito envolvente a leitura.

Bom, o que posso dizer hoje depois de ler praticamente 528 páginas: AMEI a história, é simplesmente linda, emocionante e o final é perfeito.

Não tinha lido nada até o momento da autora Lucinda Riley, mas o que percebi é que por mais que esse livro envolvesse vários personagens em diferentes situações ela não deixou nenhuma ponta solta e sua escrita é de fácil compreensão.

A capa é muito linda, a diagramação ficou perfeita. A leitura só não foi mais rápida, como é de costume, por causa dos meus receios na mudança do estilo de leitura, que a partir de hoje não existem mais graças a esse belíssimo livro: A Garota do Penhasco.

Depois de tudo que consegui expressar nessa resenha não fica a menor dúvida de que indico esse livro. Com toda a convicção de que vocês irão se apaixonar de uma forma bem diferente por essa belíssima história de amor.



13 Comentários:

Sabrina Castro disse...

Oi, Camila.
Estou super querendo ler esse livro, mas prece que a NC sumiu com meus livros de Julho. ¬¬ Dizendo eles que virão junto com os de agosto. I hope so.
Adorei sua resenha;


xoxo

Manu Hitz disse...

Ah! Suspirei! Adoro esse jeito de contar uma história: com passagem do tempo, alguém contando a partir de suas impressões, histórias de vida que se cruzam, dores e conflitos para serem resolvidos. É isso que eu AMO numa narrativa!
A autora é elogiada e já tenho dois de seus livros - todos eles são bem volumosos, ela gosta de escrever! E esse livro vem pra manter meu interesse pela autora e suas histórias que encantam tantas pessoas.
Lindo! Quero demais!

Katielle Borba disse...

Oiii,
Nossa já perdi a conta de tantas resenhas positivas que li a respeito deste livro, não só deste como de outros da Lucinda.
Apesar de o livro ser assustador em tamanho fico feliz que a história tenha fluido bem.
Espero ter a oportunidade de ler logo. Também a chei a capa maravilhosa a NC está arrasando.
Beijos.
Katielle

aninha disse...

achei interessante essa mistura de tempo, Lucinda Riley já gosta de fazer isso em seus livros. o que esse homem tão bom fez em? hum... rs os livrões dessa autora sempre começam assim meio chatos, aí quando você menos espera quer muito mais! a capa é linda mesmo, tudo a ver com o título do livro. Parabéns pela resenha. =)

Rafaela Saturnino disse...

Bom, estou muito curiosa para ler este livro, tenho os outros dois da escritora mas ainda não conseguir parar para lê-los. já li varias resenhas positivas e tenho certeza que será um leitura que vou gostar. Parabéns pela resenha.

Beijos

pamela M. disse...

Já havia lido um livro da Lucinda e me encantei bastante com a sua maneira de escrever. Amei a sua resenha. E com toda certeza, depois de ler a postagem, este livro vai para a minha listinha de compras.

Bjs

Francine Porfirio disse...

Eu tive a alegria de ganhar esse livro numa promo. :D E ainda estou aguardando, mas como você não conheço nada dessa autora e queria ler este livro assim que vi a sua sinopse. Não esperava que fosse tão grande, mas confesso que me animou bastante a sua opinião. Ao que parece, apesar do número de páginas, a autora não perde o ritmo da história. É comum quando o livro é grande que isso aconteça... Como se pensássemos "por que, afinal, enrolar tanto!?".
Gosto de histórias que envolvem antepassados, porque parece que tudo foge do controle na atualidade em decorrência de anos de história, de uma cultura muito definida e da dificuldade em enfrentar e viver o novo. :)
Enfim, parece que realmente gostarei desse livro.

Leiliane Santos disse...

Nunca li nada dessa autora, pelo menos não que eu me lembre. Gostei do plot, não me chamou super atenção, me deixando ansiosa, mas parece bom. É interessante isso de famílias envolvidas em outras gerações. É bom saber que mesmo sendo um livro grande a autora não se perde. Vou colocar no skoob, lerei quando tiver a oportunidade.

Cristiane Silva disse...

Mais uma trama muito boa dela pelo visto. Querendo muito conferir, gosto dessas histórias e do jeito que ela as conduz, tão simples e bem feitas. Apesar de ser uns tijolinhos de livros (é, coragem pra ler..) vale cada página. Espero poder ler e gostar desse também.

Controlle Universal disse...

Depois dessa resenha quero ler esse livro agora rsrsrs. Eu tava como esse mesmo receio, mas terei paciência com o começo. Espero que eu goste.

Nardonio Alves disse...

Gosto dessa característica de mesclar presente e passado que a Lucinda Riley tem. Me parece ser mais uma história cheias de ensinamentos. O que me incomoda um pouco é o tamanho do livro. Quando vejo livros muito volumosos, eu me desanimo.

@_Dom_Dom

Ana I. J. Mercury disse...

Sou looooouca para ler os livros da Lucinda Riley, tooodos!
Não li nenhum. Porém, todos parecem incríveis!!
Aiiii preciso de um emprego logooo, quero comprar!!! kkkkkk'
bjokkaaas ;**

Natyla Peixoto disse...

Oi, Camila! Já ouvi/li maravilhas sobre a autora e depois de ler essa resenha fiquei, ainda mais curiosa. Curiosa com o porque de ela evitar o namorado.

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D