Resenha: A Garota do Penhasco (Lucinda Riley)

sexta-feira, 16 de agosto de 2013


Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581632575
Ano: 2013
Páginas: 528
Sinopse - A Garota do Penhasco - Lucinda Riley
A Garota do Penhasco é um romance que enreda o leitor através de vários fios: a história de Grania Ryan e sua querida Aurora Devonshire, a garota do penhasco, nos fala sobre mudança de vida. A história das famílias Ryan e Lisle é um lindo conto sobre um século de mal-entendidos e rancor entre inimigos que se acreditam enganados por falcatruas financeiras. O caso de amor entre Grania Ryan e Lawrence Lisle comove por sua delicadeza e força vertiginosa que culmina em imensa tristeza. Mas, sobretudo, A Garota do Penhasco é um livro que mostra como é possível encontrar uma finalidade, um propósito, quando todas as esperanças parecem perdidas. “De ritmo tenso e original, este é um romance envolvente sobre recuperação, resgate, novas oportunidades e amor perdido.” -- Booklist

Inicialmente quando solicitei esse livro, estava com dúvida se iria gostar ou não, pois não havia lido nada desse gênero até o momento. Quando recebi em mãos, levei um susto pelo número de páginas e achei que não daria conta pelo fato desse livro fugir do estilo que prefiro ler e vocês já devem ter percebido que prefiro romances mais apimentados.

Porém a curiosidade falou mais alto e comecei a ler as primeiras páginas, fiquei com medo de que todos os meus receios se tornassem realidade. Sério mesmo, o início do livro achei bem chatinho, principalmente por causa de uma das protagonistas, Grania Ryan.

Grania Ryan é uma jovem irlandesa, escultora em ascensão em NY, que sofre uma grande perda e abandona tudo – namorado, casa, profissão – e volta para sua cidade natal, a casa dos seus pais na tentativa de se recuperar de sua grande tristeza. Lá na beira do penhasco, ela conhece Aurora, uma garotinha de 8 anos, com seus cabelos vermelhos e cheios de cachos, encantadora e que desperta em Grania o instinto maternal que imaginava ter perdido após o aborto.

Ok, agora vocês podem me perguntar por que achei o início chato. Bom vou explicar: Na minha opinião (quero deixar bem claro) eu não conseguia entender qual o motivo da aversão de Grania a seu namorado Matt – um jovem psicólogo, de família tradicional de NY, porém desprendido de futilidades, carinhoso e apaixonado por ela.

Ela o evita de uma forma que você se pergunta: O que ele fez de tão grave? Mas isso a gente só descobre ao final do livro e não vou falar mais nada senão estrago tudo com spoiler.

Mas quando começamos a conhecer os antepassados das duas famílias, Ryan e Lisle, Grania e Aurora respectivamente – isso mesmo, as famílias são envolvidas entre si bem antes dos avós de Grania nascerem – como Mary, Anna, Jeremy, entre outros, nos encantamos ainda mais com a leitura.


Entre algumas passagens de tempo, Aurora entra na história, como se estivesse nos dias atuais, conversando com os leitores. A parti daí, podemos concluir que é ela quem está narrando os fatos, mas em terceira pessoa. Deixando dessa forma muito envolvente a leitura.

Bom, o que posso dizer hoje depois de ler praticamente 528 páginas: AMEI a história, é simplesmente linda, emocionante e o final é perfeito.

Não tinha lido nada até o momento da autora Lucinda Riley, mas o que percebi é que por mais que esse livro envolvesse vários personagens em diferentes situações ela não deixou nenhuma ponta solta e sua escrita é de fácil compreensão.

A capa é muito linda, a diagramação ficou perfeita. A leitura só não foi mais rápida, como é de costume, por causa dos meus receios na mudança do estilo de leitura, que a partir de hoje não existem mais graças a esse belíssimo livro: A Garota do Penhasco.

Depois de tudo que consegui expressar nessa resenha não fica a menor dúvida de que indico esse livro. Com toda a convicção de que vocês irão se apaixonar de uma forma bem diferente por essa belíssima história de amor.