Resenha: Cidades de Papel (John Green)

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Edição: 1
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580573749
Ano: 2013
Páginas: 361
Tradutor: Juliana Romeiro
Sinopse - Cidades de Papel - John Green
Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma. Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte. Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia.

Bem, Cidades de Papel é mais uma trama que é resultado da receita infalível - quase sempre - de John Green (digo isto porque não gostei muito de "O Teorema Katherine": Um garoto prodígio que é apaixonado por uma garota bonita e problemática, e que por meio dessa paixão, acaba aprendendo muito sobre si, a vida e a transição para a vida adulta.



Quentin Jacobsen é um desses garotos. Ele é apaixonado por sua vizinha Margo Roth Spiegelman desde que se entende por gente. Margo é um furacão: ela é a mais popular da escola, linda, enigmática e adora se aventurar pela cidade e pelas cidades. Há algum tempo eles já não são mais tão amigos, desde que ela começou a andar com pessoas de fora da vizinhança, mas uma noite ela aparece na janela de Q. e o convida para uma "noite de vingança" contra algumas pessoas da escola.

Depois de passarem a noite juntos, Q. finalmente acha que os dois voltarão a ser muito amigos e ele poderá revelar que a ama, mas no dia seguinte Margo desaparece do mapa e deixa apenas algumas pistas que só Quentin poderia entender, então o garoto começa uma obsessiva jornada em busca de Margo.

O livro não é exatamente sobre Q., a gente nem sabe de tanta coisa assim sobre ele, é mesmo sobre a obsessão que ele tem por Margo e sua busca incansável por ela. A primeira parte do livro (ele é dividido em três) é bem divertida e super rápida de ler, bem como a parte três, mas a parte dois eu achei um pouco chatinha mas mesmo assim é melhor que o livro anterior de John Green.

Margo é uma garota egocêntrica e sem limites. Para ser sincera não decidi ainda se gosto dela ou não, mas uma coisa é certa: eu consigo compreendê-la e muitas vezes já quis ser como ela, em certas horas ainda quero.

O que eu gosto nos livros do John Green, mesmo nos livros dele que eu não gosto tanto, é que por meio de uma história divertida - ou não (mais uma vez eu citando O Teorema de K.) - mas sempre com uma linguagem fácil e atrativa para os jovens leitores, ele consegue transmitir uma imensidão de valores e lições. Você sempre se identifica com algum personagem dele, e ele é um dos poucos autores capazes de te fazer ficar pensando no livro muito depois de ter acabado e desejando - e imaginando - infinitas possibilidades de continuação para a história. 

Bem, esse livro não é tão bom quanto A Culpa é das Estrelas e nem tão parado (leia-se: chato) quanto O Teorema Katherine, digamos que ele fica com quatro estrelinhas, um meio termo. Recomendo para os fãs do autor e pessoas que querem uma leitura rápida, divertida, com tiradas e diálogos incríveis como só John Green é capaz de escrever, e o mais importante: que não seja série! 


10 Comentários:

Mariane Rodrigues disse...

Olá Jordana, eu gostei bastante desse livro, a prosa do John Green é relamente maravilhosa, ele consegue mesclar diálogos divertidos com reflexões fantásticas !! Eu adorei !!
Beijos


<a href="http://www.insaciavelmenteapaixonada.blogspot.com.br/" rel="nofollow>Apaixonada por Livros</a>

aninha disse...

eu ganhei esse livro em uma promo a pouco tempo, tô esperando chegar. os livros de Jonh
Green viraram febre e esse segue na qualidade, apesar de que o Teorema Katherine, como você falou, muita gente achou chato demais. o tema desse livro é interessante, amizades, aprendizados, viver intensamente. personagens que conquistam o leitor e uma história carismática, fica difícil não gostar. não era um
livro que eu quisesse ler de imediato, mas o ganhei e sua resenha só reforçou porque eu tenho que lê-lo =) bj!

Gabriela Costa disse...

Ainda não li nada do John Green, mas quero muito conhecer os livros dele, e não vou mentir, esse é o que mais me interessa.
Vou ler em breve, e espero realmente gostar!

Inês Gabriela A. disse...

Eu agora estou com um pé atrás em ler os livros do tio John, isso tudo porque li A Culpa é das estrelas e não gostei que nem a maioria. Isso me deixou com um pé atrás, porque apesar da escrita dele ser nerd e bacana eu fiquei com a sensação de que a história tinha poucos acontecimentos. Mas acho mega bacana o fato dos livros dele sempre terem uma lição, muito bacana isso.

Mariana Diaz disse...

Já ouvi falar bastante desse autor... ouvi maravilhas sobre o "a culpa é das estrelas" e coisas horríveis sobre o "teorema Katherine"! kkkkk
Diabo de autor inconstante! kkkk
Sempre fiquei meio na duvida de ler algo dele ou não. Acho q vou tentar a sorte e dar uma chance ao "culpinha", quem sabe me surpreendo.

Nardonio Alves disse...

Os livros do John Green são sempre mais do que recomendados. Seja com uma trama mais densa (ACEDE), seja um pouco mais divertido (O Teorema Katherine), ou misterioso como esse. É justamente essa pegada de mistério que me agradou nesse livro. Outra coisa interessante é quando ficamos em dúvida se gostamos ou não de uma personagem. E, o melhor de tudo, quando acabamos nos identificando com eles.

@_Dom_Dom

Cristiane de oliveira disse...

Eu só li um livro do John e não gostei muito sei lá acho que esperei muito da leitura já que todo mundo estava dizendo que era maravilhoso, bom eu quero ler por tem uma temática diferente de A Culpa é das Estrelas, pra tirar essa má impressão que tive do autor, ainda bem que esse é um livro divertido e rápido vou tentar ler.

karolyne kazakeviche disse...

Estou terminando A culpa é das estrelas e não estou achando tudo isso que falam, quero depois ler um melhor do autor para me surpreender, talvez este =)

calolou disse...

Eu achei esse livro muito chato! hahaha Gostei mais do Teorema. Não sei porque, mas a segunda parte me fez jogar o livro longe. Ai, que saco essa obsessão por uma garota que até então nem ligava para ele! Aff. beijos

Aline da Conceição Santos disse...

Eu achei esse livro muito chato, gostei mais do Teorema. A segunda parte é cansativa, parecia não ter fim...

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D