Resenha: A Conspiração (Clive Cussler)

segunda-feira, 18 de novembro de 2013



A Conspiração
Edição: 1 
Editora: Novo Conceito 
ISBN: 9788581631974 
Ano: 2013 
Páginas: 542
Tradutor: Henrique Amat Rego Monteiro
SINOPSE: Uma embarcação romana naufraga no século IV. Durante a Primeira Guerra Mundial, um navio inglês é destruído por uma bomba. Atualmente, no Oriente Médio, ícones da fé islâmica são bombardeados. E um misterioso pergaminho relacionado à vida particular de Jesus pode limitar o poder da Igreja Católica. Como eventos e fatos tão distantes podem ter alguma relação? O engenheiro naval Dirk Pitt (Diretor da NUMA – Agência Nacional Marítima e Subaquática) está acostumado a explorações subaquáticas — e a revelar mistérios indecifráveis — e parece ser a pessoa mais indicada para trazer a público o elo entre esses episódios tão incompatíveis. Mas a que custo? Uma aventura que mistura ¬ ficção e realidade em uma criação cheia de surpresas e mistério. Acompanhe o incansável herói Dirk Pitt em uma história em que arrepiantes artefatos religiosos, a CIA e o Mossad misturam-se às mais magníficas construções da arquitetura medieval.


Por passar-se em um cenário que inclui viagens ao Oriente, expedições ao fundo do mar e guerras esquecidas em um passado distante, A Conspiração já me conquistou. Só não imaginei que custaria tanto para isso acontecer.


Em suas, às vezes, infindáveis 542 páginas, entramos na história em formas alternadas, por meio dos pontos de vistas de três ou quatro personagens principais que, sem saber, estão conectados em meio a essa rede de fatos aparentemente isolados, ocorridos ao longo da História. Um naufrágio ocorrido logo após um ataque a outro navio, vitimando uma embarcação bárbara; uma explosão que destruiu um navio inglês; e uma sequência de bombardeios a várias mesquitas muçulmanas. Para os desavisados tais acontecimentos parecem independentes, mas no decorrer da história, ameaças e vinganças adormecidas vêm a tona. 

É a primeira vez que leio algo de Clive Cussler, que já tem uma série do personagem Dirk Pitt, um dos protagonistas deste livro, e, apesar de cenas de ação sensacionais, minha leitura manteve-se lenta. Como especialista nos termos náuticos, o autor explorou bastante os aparelhos usados nas investigações - submarinos, rebocadores, navios, iates, etc. - e, para os mais leigos (infelizmente o meu caso), as cenas de ação que se passavam no meio destes tornavam-se um pouco difíceis de serem visualizadas. Tal infortúnio foi compensado, porém, pelas informações belíssimas a respeito dos monumentos, das construções e dos objetos encontrados durante as investigações, marítimas e terrestres. 

Admitam, pensar que no mar existem milhares de coisas perdidas ao longo de anos e anos, embarcações, pertences, monumentos... Isso não é impressionante? Quando conhecemos alguém (mesmo que fictício) cuja paixão é desenterrar tais "tesouros perdidos", não há nada a fazer a não ser entregar-se ao conto. Historiadores que estudam anos a fio a vida de personalidades esquecidas, estes também merecem destaque. E quando ambos os profissionais - e outros mais também, você vai ver ao longo da leitura - encontram-se sem perceber que, por trás de certas catástrofes, existem mentes sedentas por vingança, que não pensam em nada a não ser na satisfação de seus egos? 

Apesar de a leitura poder ser um pouco lenta, o livro vale a pena pelo passeio pela História que é descoberta a cada capítulo. Recomendo aos fãs de romances históricos e aventuras a la Indiana Jones. 

11 Comentários:

Mariana Diaz disse...

Já li o primeiro livro dessa serie e apesar de ter gostado tive a mesma sensação q leitura não rendia... sei lá, parece q o livro não prende.
Não deu pra entender bem pq isso acontece, já q ele é bem escrito e os personagens são interessantes. Vai saber, né?! -_-

Erika Paiva disse...

Já o livro do autor e também tive essa sensação de leitura arrastada. Mais ainda sim gostei da leitura e é muito legal o passeio pela Historia que o autor nos proporciona.

Bjus

http://infinitoparticulardoslivros.blogspot.com.br/

Fábrica dos Convites disse...

Comecei a ler hoje e estou na expectaiva de mais uma boa leitura.
Bjs, Rose.

Thiago Felippe disse...

Nunca li nada sobre esse autor, contudo fiquei com vontade de ler, parece que ele é no estilo de Dan Brown é isso?

http://folhearerabiscar.blogspot.com.br

Gladys Sena disse...

Preciso ler os outros livros da série...

Bjo!

http://meuhobbyliterario.blogspot.com.br/

Andréia Renata disse...

O livro não faz meu estilo e não tenho vontade de lê-lo, principalmente depois de saber que é meio lento

Michelli Santos Prado disse...

Olá Luiza, tudo bem??
Ainda não li nenhum livro da série, mas sempre ouvi falar bem deles. Acho que nunca li livros sobre espiões, e isso me deixa ainda mais curiosa para ler algo do gênero. Só que eu adoro assistir filmes assim. Parabéns pela resenha!

BJus

aninha disse...

eu nunca li nada do Clive Cussler, mais porque toda resenha que leio, diz praticamente o que você disse na resenha. apesar das cenas de ação serem ótimas, a leitura é lenta, tem momentos de "agora vai" mas na maioria.... eu gosto das capas, esse estilo meio noir é bem legal, mas não é uma prioridade de leitura pra mim.

ELIZABETH MACHADO DE SALLES disse...

A Conspiração tem um tema muito rico e envolvente. Tem ação e mistérios na medida certa. E estou curiosa pra conhecer mais dessa série que está me encantando e deixando viciada. Beijos.

Aline_TKM disse...

Interessante saber que em A Conspiração o autor também abordou as embarcações, submarinos e etc, tal como em O Espião. Também sou leiga nesse assunto (e acho que a grande maioria dos leitores do livro também), mas em O Espião eu curti descobrir um pouco sobre o tema, e não achei a leitura lenta. Não li A Conspiração e acho que não lerei tão logo - fila de leitura imensa -, mas acho que iria curtir. As aventuras do Cussler que eu já li foram gostosas, mas longe de estar entre meus livros favoritos; mesmo assim, foram boa diversão.

Um beijo, Livro Lab

Nardonio Alves disse...

Nesse momento, estou lendo "O Espião", que é do mesmo autor, mas com um protagonista diferente. Percebi essas características que você citou aqui: Histórias que aparentemente não tem ligação alguma, no decorrer começam a se encaixar, termos técnicos relacionados ao universo marítimo, etc. Acho que além dessas características, acho que essa narrativa um pouco mais "travada" seja estilo dele mesmo. Enfim, mesmo com tudo isso, quero ler todos os livros que ele lançar.

@_Dom_Dom

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D