Resenha: Chá de Sumiço (Marian Keyes) Irmãs Walsh Livro #05

terça-feira, 24 de dezembro de 2013



Edição: 1
Editora: Bertrand Brasil
ISBN: 9788528618389
Ano: 2013
Páginas: 644
Tradutor: Renato Motta
Sinopse - Chá de Sumiço - Família Walsh, livro 5 - Marian Keyes
Helen Walsh não vive um bom momento. O trabalho como detetive particular não vai bem, o apartamento foi tomado por falta de pagamento e um ex- namorado surge com uma proposta de trabalho: encontrar o desaparecido músico da Laddz, a boy band do momento. Precisando do dinheiro, ela se vê forçada a aceitar, o que causa uma confusão em sua cabeça ao conviver com o ex e precisar acalmar o atual namorado. Ao tentar seguir suas próprias regras, Helen será arrastada para o mundo complexo, perigoso e glamoroso do showbiz, percebendo que seu pior inimigo ainda está por surgir. Irresistível, comovente e muito engraçado, Chá de sumiço é diferente de todos os romances do gênero, e a protagonista – corajosa, vulnerável e dona de uma língua afiadíssima – é a heroína perfeita para os novos tempos.

Não é segredo para ninguém que eu sou absurdamente fã da Marian Keyes e que leria até a lista de supermercado dela. Marian Keyes definitivamente não é para todo mundo. Quem a ama, ama mesmo, mas bem... quem a odeia, é com intensidade. Eu faço parte do time que a ama. Já li todos os livros dela e só me faltava esse, o livro mais esperado de todos, a história da Helen, a caçula da adorável, e maluca, família Walsh.

Helen continua com seu mau humor negro, sua língua ferina e seu sarcasmo, mas dessa vez tem um agravante, Helen apresenta sintomas de depressão com tendências suicidas. Seu amado apartamento foi tomado por falta de pagamento e, ela não tem outra saída a não ser voltar para a casa dos pais, os Walsh. Era tudo o que Helen NÃO queria, mas é o único jeito. 


Sem trabalho, sem dinheiro e sem perspectivas, Helen está quase no fundo do poço. Então um ex namorado, o qual ela nunca mais queria ver na vida, Jay Parker reaparece com um caso para ela. A Laddz era uma boyband irlandesa que fez muito sucesso no passado e agora eles resolveram reunir a formação original da banda para alguns shows pelo país. Wayne Diffney, ex integrante da Laddz, desaparece misteriosamente. Diffney toma um chá de sumiço uns dias antes do tão esperado show. Estão todos desesperados à sua procura e ninguém tem a menor pista. Então, Jay Parker oferece uma grande quantia em dinheiro à Helen para que ela o encontre. Helen no início não quis aceitar mas como Jay ofereceu muito dinheiro (até mais do que o valor que o mercado está pagando para um detetive particular), e ela não está podendo esnobar grana, começa aos poucos a investigar a vida de Wayne e então se sente cada vez mais ligada a ele, mesmo sem conhecê-lo. 

É fato que o livro é hilário, como todos da Diva, mas também trata de um tema bem delicado, que é a depressão e os estragos que ela causa na vida de alguém e das outras pessoas que a cercam. Eu já falei em outras resenhas de livros da Marian que eu adoro a maneira como ela lida com assuntos tão melindrosos de forma tão doce. Apesar de escritos com o intuito de fazer as pessoas rirem, os livros de Marian Keyes sempre trazem alguma mensagem bastante importante e situações que com certeza você conhece alguém que já viveu algo parecido, senão você mesmo! 

Helen sempre foi a minha irmã Walsh favorita e não perdeu seu posto, ao contrário, me identifiquei ainda mais com ela, talvez porque eu mesma já vivenciei algo parecido, e me senti completamente à vontade lendo esse livro. Toda a impaciência, falta de sono e apatia de Helen, foi como se eu estivesse me vendo naqueles sintomas. Helen te faz rir e chorar e quem ainda não a conhecia passa a amá-la e admirá-la a cada novo obstáculo vencido. Discordo de quem diz que Maria perdeu a mão, em minha opinião ela voltou em grande estilo, e claro que vou ler tudo que ela escrever, sempre! Estou à espera por "Salva pelos Bolos", que foi o que salvou a autora da depressão, os bolos.

Recomendo demais a leitura de Chá de Sumiço, é um livro que faz rir e chorar e proporciona ao leitor um misto inimaginável de emoções e sentimentos, como só um livro de Keyes é capaz de fazer. Adorei a capa, tem tudo a ver com a história. A fonte é grande e por isso o livro parece ser maior do que realmente é. Diagramação comum, sem grandes atrativos, e encontrei apenas dois ou três errinhos, que na verdade foram apenas algumas letras que foram engolidas. A única coisa que não gosto muito é porque as folhas são brancas mas se a Bertrand mudasse agora eu iria ficar brava porque todos os outros são folhas brancas. rs

Os outros livros da família Walsh são, em ordem:

1- Melancia2- Férias3- Los Angeles4- Tem alguém aí?

3 Comentários:

Cleber Noah Rafael disse...

Adorei a sua resenha! Maravilhosa!
Concordo com a parte de que quem ama Marian, ama. E quem odeia, odeia mesmo.
E sou do seu time, Dana! HAHA. Amo demais a Marian Keyes, apesar de ser homem. Não gosto em geral de chick lits porque são tramas fúteis, mas Marian passa longe, MUITO longe desse tipo de narrativa. Os livros dela são densos, sempre com mensagens maravilhosas e emocionantes e o último dela, "A Estrela Mais Brilhante do Céu" foi um que me causou um sentimento intenso e positivo.
Esse livro dela eu comprei na pré venda, mas acredite, só recebi do submarino hoje e depois de muita briga! Vou começar essa noite, mas já estou animado apena pela sua resenha tão boa!
Quando terminar, volto aqui pra te falar o que achei. E em tempo, seu blog é muito bom! Uma delícia de lugar esse aqui. HAHA
Um beijo!

aninha disse...

falar de Marian Keyes é me deixar com um sorriso na cara sem precisar de nada! eu AMO os livros dessa mulher exatamente pelo que vc disse na resenha " ...os livros sempre trazem alguma mensagem bastante importante e situações que com
certeza você conhece alguém que já viveu algo parecido, senão você
mesmo!" é isso! é muito fácil se identificar com as situações, com o dia a dia dos personagens. em Cheio de Charme, onde ela trata da violência contra a mulher, pensei que seria um livro mais sério, e é em certas partes, mas como não morrer de rir com a parte da "fuga" dos crossdressers dentro do carro! kkkkkkkk ela sabe muito bem equilibrar os momentos. a família Walsh é um caso a parte, são totalmente umas figuras! a irmã Walsh que mais gosto é Rachel, Férias! foi o primeiro livro dela que li <333 pra mim falta uns 3 livros pra completar a coleção. =) adoro essas capas e adoro ainda mais o fato de que a editora Bertrand, respeita os leitores e segue o mesmo padrão! mal vejo a hora de ler a história de Chá de Sumiço!

andressa disse...

Também adorei sua resenha eu tbm sou do time que ama Marian Keyes,ela não escreve apenas para mulheres,são livros para pessoas que amam ler,com historias cativantes,engraçadas e comoventes,acabei de ler o quarto livro da saga walsh tem alguem ai? e já encomendei chá de sumiço não vejo a hora de lê-lo logo,não tem como não entrar nessa historias a gente ri,a gente chora,torce a favor de alguns e contra outros é perfeito.Tbm li A estrela mais brilhante do ceu como chorei em alguns capítulos.Marian é uma autora completa eu ADORARIA mais livros das irmãs walsh..
UM GRANDE BEIJO

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D