Resenha: Adeus à inocência (Drusilla Campbell)

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581632766
Ano: 2013
Páginas: 270
Madora tinha 17 anos quando Willis a “resgatou”. Distante da família e dos amigos, eles fugiram juntos e, por cinco anos, viveram sozinhos, em quase total isolamento, no meio do deserto da Califórnia. Até que ele sequestrou e aprisionou uma adolescente, não muito diferente do que Madora mesmo era, há alguns anos... Então, quando todas as crenças e esperanças de Madora pareciam sem sentido — e o pavor de estar vivendo ao lado de um maníaco começava a fazê-la acordar —, Django, um garoto solitário, que não tinha mais nada a perder depois da morte trágica de seus pais, entrou em sua vida para trazê-la de volta à realidade. Quem sabe, juntos, Django, Madora e seu cachorro Foo consigam vislumbrar alguma cor por trás do vasto deserto que ajudou a apagar suas vidas?



Em "Adeus a inocência", Madora é uma garota que se encontra na fase rebelde da adolescência e em uma saída com a amiga encontra - ou pelo menos acha que encontra - a sua salvação, o seu protetor, Willis. Depois de um tempo juntos, contra tudo e contra todos, eles fogem. Mudam de cidade o tempo inteiro mas Madora sente-se feliz apenas por estar com Willis. Um dia, quando já estavam bem alojados, ele traz uma garota grávida, Linda, para viver com eles. Justificando tal atitude como uma forma de manter a garota longe das drogas, Willis faz com que Madora cuide dela. E mesmo com ciúmes e desconfiança, Madora o faz obediente, sem questionar.

Linda tinha 16 anos, mais jovem do que Madora era quando Willis a salvou. Ela tinha 17 anos quando deixou Yuma com ele, e, se ele ás vezes era estranho, se havia partes dele tão firmemente trancadas como o trailer, ela aceitava essas coisas porque seus caprichos e excentricidades eram o preço a pagar por ser amada e ter certeza de que, ao final do dia, ele sempre voltaria para ela. 

A outra história, paralela a de Madora, é a de Django Jones, um garoto que perdeu os pais em um acidente de carro e luta para encontrar algo que preencha o vazio que tal acontecimento lhe causou. Em meio a burocracia que é o cumprimento do testamento dos pais mortos, ele acaba tendo de morar com a tia, de quem nunca tinha ouvido falar. Vai para outra cidade e sofre com a nova escola, mas acaba encontrando uma amiga em Madora, que mesmo morando isolada, acaba recebendo visitas do garoto. E essa amizade é crucial para a resolução de suas vidas, mesmo que eles não saibam disso.

 Nunca tinha lido nada parecido, pra falar a verdade, e nunca tinha lido nada da autora, mas que história! Madora é uma daquelas personagens que faz você querer entrar na história só para meter-lhe uns bons tapas diante de sua "estupidez". Seu amor por Willis chega a ser uma idolatria cega e isso é a sua ruína. Madora não consegue enxergar a verdadeira face do amado, que aprisiona uma garota e a enche de mentiras.

O livro me lembrou um pouco o Morte Súbita, com suas análises de personagens e relações paralelas, mas a semelhança termina aí. Adeus à inocência é bom principalmente para aqueles que se controlam diante de personagens burros (e sim Madora, essa foi pra você). Brincadeiras a parte, a leitura é mais que recomendada. É um ótimo livro para nos ajudar a entender como pessoas são sequestradas e passam anos em cativeiro sem saber e ás vezes desenvolvem até uma relação com o sequestrador, muitas vezes sem enxergar sua verdadeira realidade.

Boa leitura!


4 Comentários:

Patricia Andrea Peña disse...

Vou ler este livro com certeza! Gostei muito da sua resenha e me convenceu a comprar o quanto antes ;)

aninha disse...

é a primeira resenha das últimas três que li sobre esse livro postiva. rsrs ninguém gostou muito do livro. o ponto é que a personagem Madora pelo visto, toma decisões não muitas aceitas e que pra muitos pode parecer burrice, mas acredito que a autora encveredou por esse caminho para passar uma mensagem claro. vou procurar lê-lo com certeza =)

Tamiris Leitão disse...

Já venho lendo várias resenhas de Adeus à Inocência, e essa só comprova o que eu penso sobre a resenha. Daí você Luiza pergunta: O que você pensa sobre a resenha? "Bom, eu penso que eu tenho que ter esse livro o mais rápido possível!"


Adorei a sua resenha, ela só me fez ter mais curiosidade sobre o livro.
Parabéns.

sidnei luis fermino disse...

Oi adorei sua resenha!.. muito obrigado, me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços. www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D