Resenha: A Lua de Mel (Sophie Kinsella)

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014



Edição: 1

Editora: Record
ISBN: 9788501101327
Ano: 2013
Páginas: 496
Tradutor: Regiane Winarski
Sinopse - A Lua de Mel - Sophie Kinsella
Ao se dar conta de que o namorado nunca vai pedir sua mão em casamento, Lottie toma uma decisão. Termina o compromisso com ele e diz o tão sonhado sim a Ben, uma antiga paixão, com quem ela havia prometido se casar se ambos ainda estivessem solteiros aos 30 anos. Os dois então resolvem pular o namoro e ir direto para uma cerimônia simples e seguir para a lua de mel em Ikonos, a ilha grega onde eles se conheceram. Mas Fliss, a irmã mais velha da noiva, acha que Lottie enlouqueceu. Já Lorcan, que trabalha na empresa de Ben, teme que o casamento destrua a carreira do amigo. Fliss e Lorcan então elaboram um plano para sabotar a noite de núpcias do casal e impedir que os noivos cometam o maior erro de suas vidas. 

Primeiro de tudo eu gostaria de parabenizar o Grupo Editorial Record pela rapidez na publicação deste livro. Ele foi publicado em abril de 2013 lá fora e no mesmo ano, apenas alguns poucos meses depois já estava sendo publicado aqui no Brasil. E com uma tradução digna! Tive oportunidade de ler a versão original, em inglês e logo depois a versão brasileira, que está muito boa.

Lottie é uma mulher bem sucedida, bonita, tem um namorado lindo que a ama e eles se dão superbem, o único problema é que Lottie já está na casa dos 30 e ainda não se casou! Ela já está pronta para se casar e ser mãe mas Richard, o namorado, ainda não fez o pedido! Lottie já está pirando com isso. Quando Richard marca um almoço em um restaurante chique e diz que tem uma importante pergunta para fazer a Lottie, isso a faz pensar que ele finalmente vai fazer o pedido! Lottie está muito excitada com a possibilidade e já se imagina casada com Richard. Mas o que a moça não sabia era que não era bem isso que Richard tinha em mente, então quando ele não faz o pedido, ela termina o namoro!

Então Ben ressurge das cinzas. Ben é uma antiga paixão de Lottie, eles se conheceram na ilha de Ikonos, na Grécia, quando eram jovens. Ben e Charlotte fizeram uma promessa um ao outro: se casariam quando tivessem 30 anos, se ambos ainda estivessem solteiros. Lottie então diz SIM a Ben e eles partem para Ikonos em Lua de Mel. Mas Fliss, irmã de Lottie promete não deixar a irmã cometer essa loucura, e Lorcan, melhor amigo de Ben também não acha que o amigo está pensando muito coerentemente. Os dois então se unem em um plano infalível para não deixar essa união ser consumada.

Nem é preciso dizer que só essa premissa já dá margem para muitas confusões não é? Sophie Kinsella está de volta com mais um chick lit sensacional que irá render aos leitores muitas horas de diversão e boas gargalhadas. Lottie é completamente impulsiva e quando menos percebe já fez as maiores trapalhadas. Apesar de a personagem principal ser Lottie, em minha opinião, foi a Fliss quem roubou a cena. 

Fliss está vivendo um momento delicado em sua vida, está atravessando um complicado divórcio com Daniel, pai de seu filho de sete anos, Noah, que é uma figura e nos proporciona vários momentos engraçados nesta história. Noah tem uma mania de inventar histórias mirabolantes sobre si mesmo e sua família, tudo para chamar atenção. Felicity, a Fliss, está tendo que lidar com mais uma Escolha Infeliz de Lottie, e para proteger a irmã, vai armar as maiores confusões para evitar que Charlotte se machuque, assim como aconteceu com ela. 

Do outro lado temos Lorcan, melhor amigo de Ben, que também é seu padrinho de casamento. Lorcan também passou por um divórcio e para superar, se afundou no trabalho, na empresa do pai de Ben, que faleceu recentemente. Lorcan também fez uma Escolha Infeliz e está precisando seguir em frente. 

Sophie sempre nos dá personagens interessantíssimos, bem como situações cotidianas que poderiam ser vividas por nós mesmos. Neste novo romance, Sophie nos passa uma importante lição: Até onde podemos ir para proteger àqueles que amamos? Até que ponto podemos interferir nas escolhas dos nossos entes queridos? É justo tomar decisões pelos outros mesmo que em nossa concepção, seja para o bem dessa pessoa? 

E são estas perguntas que eu deixo para vocês, leitores. Sinceramente, eu não acho justo se meter na vida de alguém e tomar decisões por essa pessoa só porque tenho medo que ela se machuque. Todas as vezes em que fizeram isso por mim, ao invés de me ajudar, só me atrapalhou. As minhas Escolhas Infelizes me machucaram? Sem dúvida. Mas também me ajudaram a ser uma pessoa melhor e a conhecer os meus limites e também o meu próprio coração. Acredito que Deus deu o livre arbítrio para o ser humano justamente para ele escolher seu próprio caminho e aprender com seus erros.

A história não gira apenas em torno de Lottie e Ben. São as outras histórias paralelas que tornam esse livro tão bom, pelo menos eu, ficava ansiosa para mais um capítulo da vida de Fliss, Lorcan e até o que iria acontecer com Noah. Os capítulos são intercalados principalmente por Fliss e Lottie, mas contém alguns pontos de vista diferentes, sempre em primeira pessoa. A revisão está impecável, a tradução está muito boa, como falei no início e eu até gostei dessa capa azul, embora prefira a capa americana, que é igual só que sendo branca e em tons de dourado. 

Super recomendo a leitura de A Lua de Mel para os fãs do estilo chick lit e para pessoas que procuram uma história leve e engraçada, com boas doses de romance e até uma pitada de pimenta! Apesar de o livro ser grande a leitura é super rápida e a narrativa de Sophie é uma delícia. Enjoy it!