Resenha: Manuscritos do Mar Morto (Adam Blake) Livro #01

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014


Título: Manuscritos do Mar Morto
Autor: Adam Blake
Editora: Novo Conceito
Páginas:480
Sinopse: A ambiciosa policial Heather Kennedy está em seu trabalho mais difícil: seus métodos de investigação são criticados e ela está sendo assediada por colegas rancorosos porque não lhes dá atenção. Até que lhe é atribuída o que parece ser uma investigação de rotina, sobre a morte acidental de um professor da Faculdade Prince Regent, mas a autópsia deste caso volta com algumas descobertas incomuns: o inquérito vincula a morte deste professor às de outros historiadores que trabalharam juntos em um obscuro projeto sobre um manuscrito do início da Era Cristã. Em seu escritório, Kennedy segue com sua investigação e logo se preocupa com o rumo para onde está sendo levada. Mas ela não está sozinha em sua apreensão. O ex-mercenário Leo Tillman — seu futuro parceiro — também tem angustiantes informações sobre estes crimes. E sobre a misteriosa organização mundial a que os crimes se relacionam… Escondido entre os pergaminhos do Mar Morto, um códice mortal pretende desvendar os segredos que envolvem a morte de Jesus Cristo. Entre um terrível acidente de avião no deserto americano, um brutal assassinato na Universidade de Londres e uma cidade-fantasma no México, Manuscritos do Mar Morto é o mais emocionante thriller desde O código Da Vinci.

Quando eu peguei o livro fiquei super empolgada, pois o nome reflete mistérios históricos e bíblicos à la Código da Vinci (impossível não comparar, já que Dan Brown me fez amar esse estilo). Mas não desmerecendo o autor, ele precisa "comer muito feijão" para chegar perto do meu DIVO.

Manuscritos do Mar Morto gira e torno de uma nova descoberta a respeito do Códice de Rum onde um historiador está pesquisando. Ele sofre um "acidente" e uma policial chamada Kennedy é designada para avaliar a situação. Descobre-se que o historiador foi assassinado e as outras pessoas envolvidas na tradução também partiram dessa para melhor.

Paralelo a isso temos outro personagem chamado Leo Tillman que há onze anos procura pela mulher e os filhos que sumiram misteriosamente. A investigação vai se afunilando e Kennedy e Tillman se encontram e descobrem um padrão para os desaparecimentos. Sempre mulheres e três filhos. Os dois passam a se ajudar na investigação, onde os assassinos parecem mais uns capangas estranhos, e que para matar usam uma faca com emblemas nunca visto antes. Coisa de Seita. 

Até aí tudo um sonho para o leitor que gosta desse tipo de narrativa (eu amooo). Mas o livro termina e o mistério dos Manuscritos não são explorados de forma merecida. O livro é longo, acho que poderia ser mais enxuto. Mas como se trata de uma série eu espero que o autor se redima no próximo. 

Apesar de tudo isso eu não vou abandonar a série espero o próximo ansiosa.

2 Comentários:

DreehLeal disse...

livros intrudutórios podem acabar com uma série antes mesmo dela começar.
Espero que a história melhores no segundo, porque essa ai não me animou nem um pouco!

Beeijos, Dreeh.
Blog Mais que Livros

aninha disse...

quando eu vi o lançamento de Manuscritos do Mar Morto, já fiquei bem interessada em lê-lo, amo livros assim com esse tipo de enredo achei legal a personagem principal ser uma mulher a detetive Kennedy. acho que faltou uma pitada de adrenalina pro livro engatar né. bom, achei a capa muito legal e espero lê-lo em breve =)

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D