Resenha: 12 Anos de Escravidão (Solomon Northup) + SORTEIO

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014



Título:12 anos de escravidão
Autor: Solomon Northup
Edição: 1
Editora: Seoman
ISBN: 9788598903682
Ano: 2014
Páginas: 232

Sinopse: Filme vencedor do 71º Globo de Ouro e indicado para o Oscar 2014 em 24 categorias, é adaptação de livro que será publicado este trimestre pela Seoman. 12 Anos de Escravidão é um livro de memórias angustiantes sobre um dos períodos mais sombrios da história norte-americana. Ele relata como Solomon Northup, nascido um homem livre em Nova York, foi atraído para Washington, D.C., em 1841, com a promessa de um emprego, e então drogado, espancado e vendido como escravo. Ele passou os doze anos seguintes de sua vida em cativeiro, trabalhando, na maior parte do tempo, em uma plantação de algodão em Louisiana.Após seu resgate, Northup escreveu este registro excepcionalmente vívido e detalhado da vida escrava. Tornou-se um sucesso imediato e, hoje, é reconhecido por sua visão incomum e eloquência, como um dos poucos retratos realmente fiéis da escravidão americana, redigido por alguémtão culto quanto Solomon Northup — uma pessoa que viveu sua vida sob a óptica de uma dupla perspectiva: ter sido tanto um homem livre como um escravo.Nas telinhas do Cinema, Solomon Northup será interpretado pelo ator Chiwetel Ejiofor e Brad Pitt interpretará o abolicionista canadense que ajudou Solomon a reconquistar sua liberdade, além de ser o produtor do filme.Um relato surpreendente de um importante período, que conta em detalhes históricos, os perigos, os horrores e humanidade da vida de um grande número de escravos.


            12 anos de escravidão é uma espécie de relato real escrito por Solomon Northup  em 1853 e publicado aqui no Brasil pelo selo Seoman da editora Pensamento esse ano. Vamos apenas dizer que esse livro foi adaptado para o cinema e além do filme ganhar o Globo de Ouro, está concorrendo ao Oscar.


            Solomon é um negro que nasceu livre e que vive em um dos estados do norte dos Estados Unidos, casado e pai de três filhos ele ganha a vida tocando violino em eventos e com trabalhos manuais. Ao viajar para Washington com dois homens que lhe prometeram emprego e um salário razoável, ele é vendido como escravo e levado para Nova Orleans onde conhece o destino de milhares de negros que eram escravos no sul. Forçado a trabalhar horas por dia, sem descanso, com pouco alimento e sendo submetido a castigos físicos e humilhações. Solomon, que no período de escravidão ficou conhecido como Platt, passou pela mão de senhores escravocratas “bonzinhos” como o Mr. Ford até carrascos sádicos como Mr. Tibeats e seu último senhor o Mr. Epps. Ele viu de tudo, desde a cobiça do homem branco em cima das negras ao ciúme doentio das senhoras das fazendas. Viu homens, mulheres e crianças serem tratados como bichos, um mundo onde negros não eram pessoas. Quando finalmente Solomon foi libertado, ele escreve esse relato surpreendentemente real sobre uma vida sub-humana a qual seus companheiros viviam.

            Primeiro eu preciso explicar uma coisa, por que nem todo mundo é obrigado a saber da história americana né? Só para que vocês entendam um pouco melhor: na época os Estados Unidos era dividido em relação a escravidão, os estados ao norte como Nova York, por exemplo, eram lugares onde havia certa “modernidade”  e os homens eram livres brancos ou negros, já os estados mais ao sul eram de subsistência agrícola, verdadeiros feudos onde a escravidão era o auge do sistema. No sul dos Estados Unidos até hoje ainda voga muito preconceito contra negros, infelizmente. Agora vamos comentar um pouco sobre o livro, bem, é chocante, não vou dizer que é mais chocante do que relatos de histórias que aconteceram aqui, por que não é. Na verdade comparado a alguns relatos sobre a época da escravidão aqui a história é leve, mas mesmo assim não deixa de ser tocante e chocante. Solomon é arrancado da família, vendido e vê famílias sendo separadas, mulheres sendo submetidas a castigos apenas por serem desejáveis, senhores de idade sendo espancados apenas por não conseguirem cumprir a meta na colheita. É realmente de mexer com a cabeça da gente, pensar que algo assim aconteceu recentemente, são menos de dois séculos e pior pensar que trabalho escravo ainda existe no mundo.

            A diagramação da editora está maravilhosa, destaque para as notas de rodapé que esclarecem costumes da época, o que facilita e muito a leitura. A capa também, apesar de simplória atinge apenas por já mostrar a que veio. Esse é um livro para reflexão e aprendizagem. Vou deixar o trailer do filme aqui embaixo, eu já vi e garanto que está fiel ao livro, além de trazer no elenco Brad Pitt rsrs, estou torcendo para que 12 years a slave arrebate pelo menos algumas estatuetas douradas esse ano, incluindo melhor atriz.


E AGORA A MELHOR PARTE: SORTEIO!!!

Com o apoio da Editora Seoman, o Feed your Head irá sortear um exemplar do livro!!! Para participar, é mega fácil! Basta preencher o formulário abaixo incorporado, é autoexplicativo.


*O resultado será publicado no blog, facebook, twitter e Google+ no dia  17/03. O vencedor tem até 72h corridas para responder ao email de contato. O Premio será postado pela editora em no maximo 30 dias uteis após a divulgação do resultado.
*Perfis fake e exclusivos de promoção serão automaticamente desclassificados.
*Só vale em território nacional.
*Se o ganhador descumprir as entradas que marcou será desclassificado e um novo sorteio realizados.
*Caso o vencedor não responda ao contato no prazo estipulado, um novo sorteio será realizado.

Boa sorte!

15 Comentários:

Tamiris Leitão disse...

Achei a história hiper interessante, mesmo não gostando desse tipo de livro. Acho incrível fazer um relato sobre o que aquelas pessoas passavam, e é fato que não se passou muito tempo e ainda existe muito isso hoje em dia. A escravidão está impregnada de uma forma grotesca, e indireta ... para fugir da justiça, que se torna mais ridículo ainda.


Amei a sua resenha e o seu ponto de vista sobre o livro.
Beijos

Lais Lucena disse...

Uma palavra para definir o momento agora: necessito.
Todo mundo fala tão bem do livro/filme que minhas expectativas sobre eles só aumentam!
Espero lê-lo o mais breve possível [e só depois assistir o filme]

aninha disse...

preconceito é um murro no estômago. eu vi o filme a pouco, ainda tá bem vívido na minha mente, apesar do clichê, o filme marca mesmo com a gente. é tenso, a vontade de fazer alguma coisa por Solomon em especial, é gritante. que bom que o filme tem muito do livro, espero lê-lo algum dia. a capa como você disse, é simples mas simpliifca a luta pela liberdade. bj!

Nardonio Alves disse...

Assisti esse filme, e confesso que me senti muito mal. Como você disse, tanto o livro, como o filme, são fichinhas em relação ao que realmente acontecia na realidade. Pretendo ler muito em breve. E fiquei feliz em saber que o filme é bem fiel ao livro.

@_Dom_Dom

Dana Silva disse...

Aproveite o sorteio! ;)

Dana Silva disse...

Aproveite o sorteio! ;) Boa sorte!

Dana Silva disse...

Sorteio aninha!!! boa sorte

Dana Silva disse...

Aproveite o sorteio! ;))

Rossana Moraes disse...

Nossa, deve ser uma história incrível, imagina só, pensar que vai dar tudo certo em um novo emprego e acontece de ser vendido como escravo?! Isso me indigna e me faz querer conhecer os fatos.
Estou participando da promoção :D

Tamiris Leitão disse...

Obrigada Dana, flor.

Fábrica dos Convites disse...

Só tinha visto propagandas do livro, e estava bem curiosa para ler uma resenha. Fiquei com a certeza de querer ler e ver o filme.
Bjs, Rose.

nathay ferrer disse...

Olha, não posso nem criticar os EUA com relação ao que aconteceu com o Solomon porque infelizmente isso já aconteceu com vários brasileiros e o que me deixa mais triste e até revoltada é saber que a " escravidão " ainda é existente no nosso país. E quer saber, todas essas barbáries que ele vivenciou e presenciou podem ser vistas na formação histórica cultural e social brasileira. Que pelo visto, ainda vai ter que lutar bastante para erradicar das suas entranhas pré conceitos formados a mais de 300 anos atrás. :-(

Ycaro Santana disse...

Confesso que ao saber deste lançamento, não tive interesse pelo livro, mas após esta maravilhosa resenha fiquei super empolgado para iniciar a leitura :)

Débora Pirovic disse...

Vi muitos comentários sobre o filme, que até Oscar ganhou, agora quero ler o livro e depois comparar os dois .


Participando . . .


Seguidora GFC : Debby


e-mail : deborapirovic@gmail.com

adriana balreira disse...

Estou louca para ver o filme e ler o livro. Adoro esse tipo de livros. E é bom saber que a editora teve a delicadeza de colocar rodapés explicando tópicos da história dos EUA que não sabemos. A história deve ser bem triste. Tomara que eu ganhe!
Beijos
Adriana

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D