Resenha: A Garota Que Você Deixou Para Trás (Jojo Moyes)

sábado, 8 de março de 2014



Título: A Garota Que Você Deixou Para Trás
Autor: Jojo Moyes
Edição: 1
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580574715
Ano: 2014
Páginas: 384
Tradutor: Adalgisa Campos da Silva



Sinopse:Durante a Primeira Guerra Mundial, o jovem pintor francês Édouard Lefèvre é obrigado a se separar de sua esposa, Sophie, para lutar no front. Vivendo com os irmãos e os sobrinhos em sua pequena cidade natal, agora ocupada pelos soldados alemães, Sophie apega-se às lembranças do marido admirando um retrato seu pintado por Édouard. Quando o quadro chama a atenção do novo comandante alemão, Sophie arrisca tudo — a família, a reputação e a vida — na esperança de rever Édouard, agora prisioneiro de guerra. Quase um século depois, na Londres dos anos 2000, a jovem viúva Liv Halston mora sozinha numa moderna casa com paredes de vidro. Ocupando lugar de destaque, um retrato de uma bela jovem, presente do seu marido pouco antes de sua morte prematura, a mantém ligada ao passado. Quando Liv finalmente parece disposta a voltar à vida, um encontro inesperado vai revelar o verdadeiro valor daquela pintura e sua tumultuada trajetória. Ao mergulhar na história da garota do quadro, Liv vê, mais uma vez, sua própria vida virar de cabeça para baixo. Tecido com habilidade, A garota que você deixou para trás alterna momentos tristes e alegres, sem descuidar dos meandros das grandes histórias de amor e da delicadeza dos finais felizes.




            A Garota Que Você Deixou Para Trás foi escrito pela Jojo Moyes e foi publicado no Brasil pela editora Intrínseca. É o primeiro livro da autora que eu leio, embora tantas amigas tenham me indicado Como Eu Era Antes de Você eu decidi ler primeiro esse livro e não me arrependi.


            Sophie Lefèvre é uma francesa que vive em St. Péronne com seus irmãos depois que seu esposo foi lutar na Guerra, enfrentando a fome e a miséria que assolam o país durante esse período. Quando ela conhece o novo comandante da cidade as coisas tomam um novo rumo, visto que ela vê a chance de salvar seu precioso Édouard e trazê-lo de volta para casa, mesmo que o preço a pagar seja alto. Liv é uma viúva que mora em uma casa de vidro em Londres, 100 anos a frente de Sophie, elas partilham a mesma solidão de ter seus queridos esposos arrancados do seio de suas famílias, porém por motivos diferentes. O que Liv não poderia imaginar é que Sophie e ela estão mais ligadas do que ela supunha.

            A narrativa do livro é alternada em primeira, no caso da história de Sophie, e terceira pessoa, no caso de Liv. Eu, particularmente, gosto mais das narrativas em primeira pessoa, mas nesse caso em específico as partes da Liv não me desagradaram tanto. Na verdade eu creio que esse narrador em terceira pessoa só veio para agregar a narrativa.

            As duas personagens tem muito em comum, a meu ver, Sophie é uma lutadora que se agarra a foto de seu marido para enfrentar os horrores da Guerra e ela realmente faz de tudo para salvá-lo. Já Liv também se agarra as lembranças de seu marido falecido para continuar vivendo e quando Paul chega a sua vida e coloca tudo de cabeça para baixo por conta de um quadro intitulado A Garota Que Você Deixou Para Trás, que ela ganhou do marido na lua de mel. Acontece que Paul é um investigador de arte desaparecida durante a Guerra e foi contratado para achar exatamente esse quadro. Liv então vai a fundo investigar isso e é o que torna as coisas mais interessantes. Eu gosto muito da relação construída por Paul e Liv, apesar dos pesares. Acontece raramente de eu gostar de personagens femininas, mas tanto Liv quanto Sophie conseguiram ganhar espaço no meu “querer” durante a narrativa.

            Essa capa é linda, segue os mesmos padrões gráficos de Como Eu Era Antes de Você e os dois devem ficar lindos na estante juntos. A diagramação também está fantástica e isso só vem a agregar para uma boa leitura. Enfim, espero ler mais livros dessa autora em breve.

12 Comentários:

Lais Lucena disse...

Ainda não li nenhum livro da Jojo Moyes, mas vontade não falta, sério. A maioria dos livros que ela escreveu são bem recebidos. Esse, em especial, me chamou muito a atenção. Primeiro porque todos os blogueiros que eu vi deram 5 estrelas. E também porque é ambientando na guerra. Isso é demaisss. A resenha ficou muito bem escrita, parabéns.

aninha disse...

pela resenha, esse livro me lembrou de "A Última Carta de Amor" tbm da Jojo. o que diabos essa mulher tem que escreve tão bem e que é inevitável sair algumas lágriminhas. O luto que a personagem enfrenta, a relação com o passado, acho muito bacana a ligação, como a história vai se relacionando. a capa é lindinha demais! falta esse na minha estante rsrs!

Jéssica Maria disse...

Já tinha ouvido falar desse livro, mas não me chamou muita atenção pq não faz meu tipo de leitura.

Blog Talento feminino disse...

Adoro o nome desse livro, só de cara já chama a atenção do leitor, a capa é linda mesmo, querendo muito ler.

http://talento-feminino.blogspot.com.br/

Fábrica dos Convites disse...

Oi, tem livros que tem o dom de encantar e emocioanar, neste quadro este livro com certeza está incluído, pelo menos é o que percebo das resenhas que leio.
Bjs, Rose

Lucas Goulart Duarte disse...

O nome, a capa, a sinopse. Tudo parece perfeito.
Não li o primeiro lançamento da Jojo ainda, mas achei esse muito mais interessante.
Pretendo ler os dois ainda neste ano. :)
Gostei tbm de o livro ter duas narrações. Acho que deixa a leitura ainda mais rápida.

Julia Moraes disse...

Nunca li nenhum livro dessa autora , mas já a conhecia , as pessoas estão sempre me indicando os livros dela!

E-mail: juliamariamoraes2013@gmail.com
Nome de seguidor: Julia Moraes

Tamiris Leitão disse...

Já vi muitas indicações sobre os livros da JoJo, muitos comentários positivos mesmo. Eu estou com muita vontade de ler, a capa é linda, a diagramação também... Acho que esse tema de guerra, deixa a coisa bem mais legal. Esse é um dos livros da minha lista para ler o mais rápido possível. *-*


Parabéns pela resenha, ficou muito boa mesmo. Me Deu mais vontade de ler. *-*

Larissa Santos disse...

Oie,
Todo mundo falando super bem desse livro ^^ achei a capa e sinopse muito fofa. Acho que o fato de alternar a narrativa deixa o livro mais dinâmico.
Beijocas ^^

Pamela Liu disse...

Ainda não li nada da autora, mas tenho muita vontade já que vejo diversas resenhas positivas sobre eles.
A narrativa dividida entre essas duas personagens parece funcionar bem, além de em uma ser em primeira pessoa e na outra em terceira.
Achei bem legal a busca do quadro! Já consigo me imaginar chorando muito rs

Desbravadores de Livros disse...

Gosto de resenhas com narrações alternativas. É uma forma de não deixar a leitura arrastada. Geralmente, leitura em primeira pessoa é essa a visão que tenho. Já em terceira é sempre boa. É uma forma de diversificar.
Adoro histórias envolvendo épocas, guerra mundial, enfim, sempre me cativa. Adorei tua resenha, Priscila. O livro parece excelente, realmente. E essa capa é show de bola, concordo com você.

M&N | Desbrava(dores) de livros

Nardonio Alves disse...

Essas tramas que interligam passado e presente são bem interessantes. Apesar de ser um drama, eu até que gostei bastante dessa história. Gosto também de narrativas divididas, mesmo que uma seja em primeira pessoa, e a outra em terceira.

@_Dom_Dom

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D