Resenha: A Vingança Veste Prada (Lauren Weisberger)

quarta-feira, 12 de março de 2014

Edição: 1
Editora: Record
ISBN: 9788501403049
Ano: 2013
Páginas: 448
Tradutor: Fabiana Colasanti
Sinopse - A Vingança Veste Prada: O Demônio Está de Volta - O Diabo Veste Prada - Livro 2 - Lauren Weisberger
Depois abandonar o emprego na Runaway há quase dez anos e se livrar da insuportável Miranda Priestly, Andrea Sachs agora é a bem-sucedida editora de uma revista de luxo sobre casamentos, a Plunge. Ao lado de Emily, antiga colega de trabalho e sua atual melhor amiga, sua vida não poderia estará melhor: além do sucesso do novo empreendimento, ela está prestes a casar com um dos solteiros mais cobiçados de Nova York. Mas uma semana antes do casamento, um fantasma do passado, ou melhor, um diabo, volta a assombrá-la. 

Você deve estar se perguntando, caro leitor, por que cargas d'água eu demorei tanto a resenhar este livro. Sim, confesso, demorei muito, mas vou explicar-lhe o porquê. Primeiro de tudo, o livro é arrastado, demorei meses para concluir a leitura, e quando finalmente o fiz, percebi que não havia gostado e precisava escrever esta resenha de modo imparcial, pois sou/era fã de "O Diabo Veste Prada", e como este livro passa longe da delícia que é a história do primeiro, eu precisava encontrar as palavras certas para falar dele.


Tem quase dez anos que Andrea largou Miranda sozinha, sem assistente, em Paris. Mas mesmo depois de tanto tempo Andy ainda nutre um pânico de sua ex-chefe. Andrea hoje é bem sucedida, rica e dona de sua própria revista, a The Plunge, uma revista de luxo sobre casamentos. Lembram da Emily? Pois é, Emily e Andy são sócias na revista, e bem, digamos, agora são melhores amigas. Oi? Melhor amiga? Lily, oi? 

Andy está noiva e às vesperas de seu casamento, adivinhem quem volta para atormentá-la? A própria. Miranda Priestly. E quando você acha que o livro vai ficar tão bom que você vai ter vontade de beijá-lo e niná-lo depois de ler. Eis que vem a surpresa: fica tudo muito chato e monótono. 

Se você, leitor, espera uma vingança de tirar o fôlego, desista agora mesmo! Simplesmente porque NÃO HÁ VINGANÇA NENHUMA. Miranda mal aparece no livro! Andy está chata, reclamona, chorona e ao invés de amadurecer nesses dez anos, retrocedeu e agora é uma menina indecisa e fraca. O que claramente foi em total contradição com a personagem apresentada no primeiro livro. Cadê aquela Andy que enfrentou  Miranda, a abandonou em Paris e foi em busca de trilhar seu próprio caminho por não aguentar os abusos da diaba da chefe? Essa Andrea só sabe se fazer de coitada, reclamar, chorar e dizer o quanto é infeliz. Acho que Lauren teve amnésia ou não releu seu próprio livro para dar furos como esse. 

Este livro nem chega perto do chick lit engraçadíssimo que foi "O Diabo Veste Prada". Esta história é sobre como a The Plunge foi fundada, sobre os dramas do casamento de Andrea, a sua gravidez, etc. Fora que a autora descreve tanto certas cenas que dá sono. Sério. Sem contar que os capítulos são confusos, às vezes começam com uma cena totalmente nada a ver e aí você percebe que se perdeu e demora eras para voltar a se situar na narrativa. Isso me irritou profundamente. 

Bom, o final é surpreendente, sim mas para ser sincera não gostei. Eu acho que existem livros que não precisam de continuação, "O Diabo Veste Prada" é certamente um deles. Lauren deveria estar à beira da falência e resolveu escrever este livro para vender mais um pouquinho. É a única explicação. Lamentável. 

Na edição da Editora Record, achei alguns erros que acredito serem de digitação, mas nada que possa atrapalhar a leitura do livro. Eu não vou dizer para os leitores: NÃO LEIAM. Eu sempre digo, leiam para que tirem suas próprias conclusões, pois o que não foi bom para mim pode ser bom para vocês. 

E aí, quem já leu? Gostou? Comenta aqui! 

Até a próxima! ^^