Resenha: As Sombras de Longbourn (Jo Baker)

segunda-feira, 21 de abril de 2014



Título: As Sombras de Longbourn
Autor: Jo Baker
Edição: 1
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 9788535923964
Ano: 2014
Páginas: 456
Tradutor: Donaldson M. Garschagen

Sinopse:Admiradora de Jane Austen, a romancista Jo Baker perguntava-se quem seriam aquelas presenças pontuais e quase inumanas que serviam à mesa ou entregavam um recado para os personagens de Orgulho e preconceito, um dos romances mais recontados em versões literárias desde a sua publicação, há duzentos anos. Por trás de cada descrição da toalete das irmãs Bennet havia certamente o trabalho de uma criada, e cada refeição servida implicava uma cozinheira, um mordomo para servi-la. Qual seria a história não contada desses personagens? “As Sombras de Longbourn” é o romance dessas figuras invisíveis. Sob o comando da governanta e cozinheira sra. Hill, trabalham Sarah e Polly, duas jovens trazidas de um orfanato quando ainda eram crianças para trabalhar na casa. O mordomo idoso, sr. Hill, serve à mesa e divide a administração da casa com a sra. Hill. Os quatro formam um pequeno exército de empregados que labuta dezoito horas por dia para que a família Bennet goze do máximo conforto possível. A chegada de James Smith, um jovem lacaio recém-contratado, irá movimentar o andar de baixo da casa, revelando antigas tensões entre empregados e patrões.


              As Sombras de Longbourn escrito pela Jo Baker é um dos lançamentos da Companhia das Letras e é um deleite para os fãs de Jane Austen.


            Em As Sombras de Longbourn vamos conhecer a história de Sarah e dos criados da propriedade dos Bennet. Essa história se passa nos bastidores da conceituada obra de Jane Austen, Orgulho e Preconceito, nos vemos por trás da história de Elizabeth e do Mr. Darcy vista como pano de fundo pelos olhos dos empregados. Segredos, futilidades e os infortúnios de se trabalhar servindo pessoas como o Sr. e a Sra. Bennet. Sarah é a primeira criada da casa e faz a parte do trabalho mais pesada, ela é jovem e sonhadora, por vezes inconformada com sua situação ela quer ser mais do que uma simples criada. A Sra. Hill é a governanta e cozinheira dos Bennet, ela é a empregada mais antiga da propriedade e é casada com o Sr. Hill um velho que no começo é um tanto misterioso e logo sabemos o por quê. Já Polly é a mais jovem dessa turma, apenas uma criança ingênua que é por vezes ingênua até demais. Quando James Smith passa a trabalhar como o lacaio na propriedade muita coisa muda para esses criados, o passado de alguns pode vir a tona e a liberdade tão sonhada de outros pode finalmente ser alcançada.

            Eu sou fã mais do que escancarada de Jane Austen, para mim ela é mestre no romance e ter a oportunidade de ler um livro que faz uma intertextualidade com Orgulho e Preconceito de maneira tão coesa e magistral só me faz sentir orgulho. Em As Sombras de Longbourn nós vamos conhecer os fantasmas que habitam a casa Bennet, eles tem uma vida sofrida, cheia de sonhos frustrados e o aparecimento de um possível romance entre a governanta e o Sr. Bennet que gerou um fruto proibido, foi um elemento que explicaria muito da apatia do pai ausente e submisso que vemos em OeP. O romance que acontece no livro não deixa em nada a desejar, pelo contrário, podemos fazer um paralelo ao romance de Elizabeth e Darcy de maneira bem simples e direta.A sagacidade de Sarah é muito parecida com a de Lizzie e a teimosia e certa indiferença de James é próxima a de Mr. Darcy.

            A narrativa é toda em terceira pessoa, o que me agrada bastante, pois o narrador nos mostra vários pontos da narrativa vista por vários ângulos. A obra é dividida em quatro livros, dois deles no tempo presente e dois no tempo passado, e um epílogo que mostra os personagens anos a frente.

            A capa é muito bonita em tons de verde e com a figura de uma criada, parece uma pintura. A diagramação apesar de simples, traz todo o pacote completo que nos ajuda na fluidez da leitura. Esse é um livro imperdível para os fãs de um bom romance, além de óbvio fãs de Jane Austen.

6 Comentários:

Lucas Goulart Duarte disse...

Nunca li nd da Jane Austen e espero que ninguem me julgue haha mas achei bastante interessante a ideia deste livro :) se algum dia ler Orgulho e preconceito, e gostar, pretendo ler este.

aninha disse...

olha fazer um livro nos bastidores de uma das obras mais respeitadas e amadas do mundo literário e ainda assim agradar os fãs não é pra qualquer um! Jo Baker soube fazer uma história cativante usando como pano de fundo outra história excelente. gostei de como ela da personalidade aos criados. a capa é excelente, tudo a ver com o livro. com certeza vai para minha lista de desejados =)

Fábrica dos Convites disse...

Oi Priscila, eu já não gostei muito da capa como você, mas me interessei pelo enredo do livro.
Bjs, Rose.

Pamela Liu disse...

Ainda não li nada da Jane Austen, então acho que precisaria ler primeiro Orgulho e Preconceito. Mas achei As Sombras de Longbourn interessante e a capa é linda.

Jack Moura disse...

eu nunca li nada da jane austen e estao falando tanto ultimamente sobre livros dela e sobre tudo dela, que estou me sentindo pressionada para conhecer logo essa autora tao comentada kk adorei a resenha e acho q vou ler esse depois q conhecer algum livro da jane

Tamiris Leitão disse...

Assim como você sou Fã em numero, gênero e grau da Jane Austen, e já tinha ouvido falar desse livro, porém nunca tinha visto uma resenha do mesmo. Adorei saber que se trata de um livro sobre "os bastidores" do livro que mais aprecio da autora, e que podemos ver um pouco mais de Elizabeth e Darcy. Além do mais, é interessante essa coisa de criar uma história contando os sonhos dos coadjuvantes da obra, lhe dando a devida atenção. Fiquei encantada.


Parabéns Pri.
Beijos.

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D