Resenha: As Sombras de Longbourn (Jo Baker)

segunda-feira, 21 de abril de 2014



Título: As Sombras de Longbourn
Autor: Jo Baker
Edição: 1
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 9788535923964
Ano: 2014
Páginas: 456
Tradutor: Donaldson M. Garschagen

Sinopse:Admiradora de Jane Austen, a romancista Jo Baker perguntava-se quem seriam aquelas presenças pontuais e quase inumanas que serviam à mesa ou entregavam um recado para os personagens de Orgulho e preconceito, um dos romances mais recontados em versões literárias desde a sua publicação, há duzentos anos. Por trás de cada descrição da toalete das irmãs Bennet havia certamente o trabalho de uma criada, e cada refeição servida implicava uma cozinheira, um mordomo para servi-la. Qual seria a história não contada desses personagens? “As Sombras de Longbourn” é o romance dessas figuras invisíveis. Sob o comando da governanta e cozinheira sra. Hill, trabalham Sarah e Polly, duas jovens trazidas de um orfanato quando ainda eram crianças para trabalhar na casa. O mordomo idoso, sr. Hill, serve à mesa e divide a administração da casa com a sra. Hill. Os quatro formam um pequeno exército de empregados que labuta dezoito horas por dia para que a família Bennet goze do máximo conforto possível. A chegada de James Smith, um jovem lacaio recém-contratado, irá movimentar o andar de baixo da casa, revelando antigas tensões entre empregados e patrões.


              As Sombras de Longbourn escrito pela Jo Baker é um dos lançamentos da Companhia das Letras e é um deleite para os fãs de Jane Austen.


            Em As Sombras de Longbourn vamos conhecer a história de Sarah e dos criados da propriedade dos Bennet. Essa história se passa nos bastidores da conceituada obra de Jane Austen, Orgulho e Preconceito, nos vemos por trás da história de Elizabeth e do Mr. Darcy vista como pano de fundo pelos olhos dos empregados. Segredos, futilidades e os infortúnios de se trabalhar servindo pessoas como o Sr. e a Sra. Bennet. Sarah é a primeira criada da casa e faz a parte do trabalho mais pesada, ela é jovem e sonhadora, por vezes inconformada com sua situação ela quer ser mais do que uma simples criada. A Sra. Hill é a governanta e cozinheira dos Bennet, ela é a empregada mais antiga da propriedade e é casada com o Sr. Hill um velho que no começo é um tanto misterioso e logo sabemos o por quê. Já Polly é a mais jovem dessa turma, apenas uma criança ingênua que é por vezes ingênua até demais. Quando James Smith passa a trabalhar como o lacaio na propriedade muita coisa muda para esses criados, o passado de alguns pode vir a tona e a liberdade tão sonhada de outros pode finalmente ser alcançada.

            Eu sou fã mais do que escancarada de Jane Austen, para mim ela é mestre no romance e ter a oportunidade de ler um livro que faz uma intertextualidade com Orgulho e Preconceito de maneira tão coesa e magistral só me faz sentir orgulho. Em As Sombras de Longbourn nós vamos conhecer os fantasmas que habitam a casa Bennet, eles tem uma vida sofrida, cheia de sonhos frustrados e o aparecimento de um possível romance entre a governanta e o Sr. Bennet que gerou um fruto proibido, foi um elemento que explicaria muito da apatia do pai ausente e submisso que vemos em OeP. O romance que acontece no livro não deixa em nada a desejar, pelo contrário, podemos fazer um paralelo ao romance de Elizabeth e Darcy de maneira bem simples e direta.A sagacidade de Sarah é muito parecida com a de Lizzie e a teimosia e certa indiferença de James é próxima a de Mr. Darcy.

            A narrativa é toda em terceira pessoa, o que me agrada bastante, pois o narrador nos mostra vários pontos da narrativa vista por vários ângulos. A obra é dividida em quatro livros, dois deles no tempo presente e dois no tempo passado, e um epílogo que mostra os personagens anos a frente.

            A capa é muito bonita em tons de verde e com a figura de uma criada, parece uma pintura. A diagramação apesar de simples, traz todo o pacote completo que nos ajuda na fluidez da leitura. Esse é um livro imperdível para os fãs de um bom romance, além de óbvio fãs de Jane Austen.