Resenha: A arte de produzir efeito sem causa (Lourenço Mutarelli)

segunda-feira, 19 de maio de 2014



A Arte de Produzir Efeito sem Causa

Edição: 1
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 9788535912623
Ano: 2011
Páginas: 206
Sinopse Depois de abandonar o emprego e o casamento por motivos que guardam uma infeliz coincidência, Júnior recebe abrigo do pai. Sem dinheiro nem perspectivas, divide os dias entre o velho sofá da sala, o bar onde bebe com desocupados e as conversas com a jovem inquilina da casa, Bruna, que o pai espia por um furo no armário.Em um cenário típico da baixa classe média, Júnior se entrega a reminiscências e a um cotidiano feito de objetivos pequenos e imediatos - a próxima refeição, a ida ao bar da esquina, o dinheiro do cigarro. A parmaceira é interrompida quando pacotes misteriosos começam a chegar pelo correio. Aos poucos, a realidade ganha contornos distorcidos, Júnior vai sendo arrastado para um mergulho na própria consciência - sempre pronta a revelar seus limites e abismos.

Em meio a uma desgraçada ressaca literária, onde terminar um livro pode ser considerado um milagre, encontrei "A arte de produzir efeito sem causa". Não me atrai por ele primeiramente e nem me atraio agora; nem pelo enredo ou capa. Enfim, o livro não seria (e ainda não é) minha escolha ideal para leitura. Mas não foi total desaproveitado.



Com uma escrita leve, quase poética, o livro tornou a leitura, monótona, menos maçante e me fez prestar atenção na estética do texto, coisa que poucos livros me fizeram perceber. Os trechos curtos, constantemente "pontados" personificam a mediocridade dos dias de Júnior, o protagonista, que volta a morar com o pai depois de sair de casa graças a circunstâncias um tanto quanto... incomuns. Júnior preocupa-se somente em acordar, tomar café, beber, dormir e fumar. Suas perspectivas de futuro incluem nada além do próximo copo de conhaque ou da próxima tragada na varanda.

Mesmo sabendo da história de Júnior, a vontade de balançar o livro para ver se a história toma um rumo acelerado mostraram-se vãs. Nem mesmo as "cartas misteriosas", citadas na sinopse e presentes no livro, dão o gás necessário para que isso aconteça. O ciclo diário de Júnior me afetou ao ponto de sentir em mim toda a preguiça e desânimo do personagem e visualizar o ambiente que tornou-se a casa dele. O livro é cheio de referências a coisas que nós, brasileiros, vemos no nosso dia-a-dia há gerações; quadros tradicionais, programas de entrevistas, refrigerantes típicos, marcas e produtos, etc.. Garanto que durante a leitura você irá se identificar com pelo menos uma dessas coisas.

O texto consegue ser carregado com tudo que se passa na cabeça de Júnior ao mesmo tempo em que descreve-se leve, claro. Óbvio que não tem como entender tudo, já que em certos momentos nem o próprio protagonista entende, mas o livro é feliz em fazer com que "não se entenda" nada. Brilhante nesse ponto.

A edição é linda, a propósito; a textura das páginas e o azul das folhas rabiscadas são o grande atrativo dele.

Boa leitura!

6 Comentários:

Tamiris Leitão disse...

Não sei o que mais me desanimou kkkk A sinopse, a capa ou a resenha. kkkk Eu já não tinha interesse algum em ler a obra, e depois de uma resenha otimista dessa, posso colocar em uma pequena lista negra, kkkkkk


Enfim, espero que sua ressaca passe logo.
Beijos

mirelle soares gomes disse...

Nossa si fosse para eu ler este livro pela capa nunca leria... esta capa é horrível (minha opinião) tbm não leria pela sinopse. Nem sabia da existência deste livro :P tbm não estava fazendo falta....

Nardonio Alves disse...

Complicado conseguir finalizar uma leitura com todos esse problemas apresentado.. Acho que, se o intuito do autor foi você aproximar-se ao máximo do estado de espírito do protagonista, ele acertou em cheio. kkkkkkkk
Depois dessa, nem sei mais o que pensar sobre ele.


@_Dom_Dom

Fábrica dos Convites disse...

Oi Luiza, está com uma ressaca literária e ainda pegar um livro assim, só poderia aumentar sua ressaca.
Bjs, Rose

Douglas Fernandes disse...

Essa foi a capa de um livro mais feia que ja vi.. O_o credo.. kkkkkkkkkkkkk
e eu confesso que sou atraido sim pela capa do livro... *-*
muitos ponto negativos o livro, acho que se eu me arriscar a ler vou acabar abandonando. =/

karolyne kazakeviche disse...

Uma pena =( Mas ele também não me desperta o interesse.
A escrita pode ser ótima... mas não fiquei animada para fazer a leitura. Não é o tipo de livro que leio... então =(

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D