Resenha: Me Liga (Sarah Mlynowski)

sábado, 3 de maio de 2014



Edição: 1
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501083548
Ano: 2014
Páginas: 320
Tradutor: Fabiana Colasanti
Sinopse - Me Liga - Sarah Mlynowski
Aos 17 anos, a vida de Devi está de pernas pro ar. Depois de começar a namorar Bryan, negligenciou as amigas, os estudos e, depois que ele terminou com ela, está sem nada: sem perspectiva de uma boa faculdade, sem mais amigas, sem namorado. Se ela pudesse bater um papo com a Devi do passado... O que, após um incidente estranho com seu celular, é exatamente o que pode fazer! Agora que só consegue ligar para a Devi de 14 anos, parece que é finalmente a sua chance de consertar a própria vida. Ela tem o passado – ou melhor, o futuro – nas mãos. É só dar um telefonema. 

Começo a resenha com uma pergunta a lhes fazer, leitores: Que conselho você (de atualmente) daria a você mesmo (a) do passado? O que diria a você mesmo se pudesse interferir no seu passado para tentar consertar o futuro?



É exatamente disso que trata Me Liga, Sarah Mlynowski, Galera Record, 320 páginas. Devi tem 17 anos, prestes a entrar na faculdade, e está sem chão pois o namorado de três anos, Bryan terminou tudo por correio de voz. Devi ouve a mensagem inúmeras vezes e se sente desolada pois depois que começou a namorar Bryan, ela negligenciou a família, os amigos, perdeu seu tempo e agora não tem nem sequer um par para o baile de formatura.

Devi acidentalmente deixa seu celular cair numa fonte no shopping. É, aquele tipo de fonte mesmo, que a gente joga a moeda e faz um desejo. Devi tinha desejado poder conversar com ela mesma do passado para poder alertá-la (ou alertar-se) sobre seu futuro e suas más escolhas. E para sua surpresa, seu desejo se torna realidade. Seu celular só consegue ligar para ela mesma do passado, mais precisamente quando ela tinha 14 anos. 

A premissa desta história é genial, apesar de não ser exatamente original, pois eu já tinha lido um livro com uma temática bem semelhante. Mas o que torna a história de Mlynowski adorável é a maneira como ela contou e também como ela conseguiu fazer a personagem evoluir em apenas três anos. A Devi é uma menina meiga, compreensiva e super agradável. Me conectei na hora com a personagem. A história é narrada em primeira pessoa, por Devorah, mas alternando os pontos de vista de 14 e 17 anos. Apesar de serem a mesma pessoa, o leitor consegue distinguir facilmente as duas. 

Qualquer pessoa toma más decisões, principalmente aos 14 anos! Eu consigo compreender as atitudes e escolhas de Devi, apesar de que se fossem minhas, seriam diferentes. Quem tomou más decisões no passado quer voltar no tempo para consertar as coisas, eu creio. Pelo menos eu gostaria muito de poder voltar no tempo e mudar algumas coisas ou poder conversar comigo mesma aos 14 anos e tentar fazer com que tudo fosse diferente. Mas se isso realmente pudesse acontecer, seria melhor mesmo? Ou pioraria? Porque é claro que toda ação tem uma reação. 

Recomendo o livro para quem quer fugir de leituras densas ou que exijam grande poder de concentração ou atenção. Me liga é um livro divertidíssimo e de leitura rápida e fácil, do tipo que se lê em uma tarde.