Resenha: Proposta Incoveniente (Patrícia Cabot)

quarta-feira, 18 de junho de 2014



Título: Proposta Inconveniente
Autor: Patricia Cabot
Edição: 1
Editora: Record
ISBN: 9788501095015
Ano: 2014
Páginas: 350
Tradutor: Eliane Fraga



Sinopse:Apaixonada pelo capitão Connor Drake, Payton sonha em ser capitã de seu próprio navio. Ela cresceu desejando essa profissão exclusivamente masculina, mas agora deve abdicar disso tudon para conseguir um bom marido. O problema é que Connor só percebe seus sentimentos por Payton na véspera de seu casamento com outra. Quando o barco dos noivos parte rumo às Bahamas, ele é atacado e resta a Payton se infiltrar num navio pirata para salvar a vida do seu amado. A coragem une os dois, e o resgate pode gerar mais frutos do que ela imaginou.



           Proposta Inconveniente é um lançamento da editora Record que foi escrito pela autora Meg Cabot, com o pseudônimo Patricia Cabot. Eu adoro essa autora e amo os romances históricos que ela faz com esse pseudônimo.


            Payton Dixon não é uma dama e isso ela já sabe, criada no meio de três irmãos que a tratam como um menino ela sempre se comportou como um. Até o dia em que o capitão Connor Drake marca seu casamento com uma moça que é tudo aquilo que ela nunca será e ela vê que nunca terá o homem que ama. O que ela não esperava é que o capitão Drake, na noite antes de seu casamento reparasse finalmente nela. Poderia ser tarde demais, se Payton não tivesse visto a noiva conspirando com o rival de sua família e o homem que odeia Drake poucas horas antes da cerimônia. Mesmo interrompendo a cerimônia, tudo dá errado quando Drake decide manter o noivado e partir imediatamente para as Bahamas com a noiva. Quando o navio dele é atacado por piratas, Payton parte para resgatá-lo e é aí que as coisas começam a ficar realmente interessantes.

            Uma palavra: PIRATAS!


           Como não amar um romance histórico que mistura amor, uma mocinha nada convencional, um homem do mar e uma aventura recheada de piratas?  Eu amei! A história é leve, cheia de momentos românticos, assim como de ação e principalmente momentos engraçados.

            A narrativa é toda mesclada em primeira e terceira pessoa, mas são os próprios personagens que se revezam contando sua história. Mesmo as partes em terceira pessoa, são Payton e  Connor que se referem a si mesmos em terceira pessoa. Achei uma sacada genial visto que essa alternância entre os personagens nos faz ter acesso aos dois lados da história.

            Eu amo mocinhas nada convencionais e a Payton é sensacional, ela é engraçada, atrapalhada, bruta e não tem absolutamente nada de uma dama. Ela pragueja, fala palavrão e adora chamar os irmão e Drake de imbecis. Comportamento inapropriado para uma garota que vive no século XIX. Já Connor é bipolar, não sei ainda como falar dele sem pensar nessa palavra. Ele oscila entre ficar bravo com Payton e arroubos de desejo incontroláveis de jogar a moça na parede e ter seu caminho de pecado com ela. O que nos proporciona cenas extremamente divertidas. Outras cenas divertidíssimas são protagonizadas pelos irmãos de Payton que se dividem em trata-la como menino e depois ao se lembrarem de que é uma moça exigirem dela comportamentos tais como “Não pragueje, maldição, Payton!” , são momentos engraçados e que me arrancaram muitas gargalhadas.

            A capa desse livro é magnifica, chego a dizer que é uma das mais lindas que eu tenho na estante, toda em tons de amarelo e rosa com uma moça vestindo um espartilho, que é muito significativo no livro. A diagramação também está satisfatória, não encontrei erros e nem nada que me incomodasse. Enfim, mais um romance imperdível para vocês lerem.