Resenha: Sedução ao Amanhecer (Lisa Kleypas) - Os Hathaways #02

quarta-feira, 2 de julho de 2014



Título: Sedução ao Amanhecer
Autor: Lisa Kleypas
Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580411652
Ano: 2013
Páginas: 256
Tradutor: Débora Isidoro

Sinopse: O cigano Kev Merripen é apaixonado pela bela e bem-educada Win Hathaway desde que a família dela o salvou da morte e o acolheu, quando era apenas um menino. Com o tempo, Kev se tornou um homem forte e atraente, mas ainda se recusa a assumir seus sentimentos por medo de que sua origem obscura e seus instintos selvagens prejudiquem a delicada Win. Ela tem a saúde fragilizada desde que contraiu escarlatina, num surto que varreu a cidade. Sua única chance de recuperação é ir à Franca, para um tratamento com o famoso e bem-sucedido Dr. Harrow. Enquanto Win está fora, Kev se dedica a coordenar os trabalhos de reconstrução da propriedade da família, em Hampshire, transformando-se num respeitável administrador, mas também num homem ainda mais contido e severo. Anos depois, Win retorna, restabelecida, mais bonita do que nunca... e acompanhada por seu médico, um cavalheiro sedutor que demonstra um óbvio interesse por ela e desperta o ciúme arrebatado de Kev. Será que Win conseguirá enxergar por baixo da couraça de Kev o homem que um dia conheceu e tanto admirou? E será que o teimoso cigano terá coragem de confrontar um perigoso segredo do passado para não perder a mulher da sua vida?



            Sedução ao Amanhecer é o segundo livro da série Os Hathaways, escrito pela Lisa Kleypas e publicado aqui no Brasil pela editora Arqueiro. Eu li o primeiro romance da série e me apaixonei, vamos apenas começar dizendo que esse segundo volume não me decepcionou.


            Win Hathaway é a mais frágil dos irmãos, depois de sofrer uma doença chamada escarlatina, ela ficou fragilizada segundo o médico ela teria o pulmão fraco o que impossibilitaria Win até de subir uma escada sem se cansar. Merripen é um cigano que foi criado com brutalidade e deixado para morrer por sua tribo. Depois de ser acolhido pelos Hathaway, ele passou a ser um membro da família. Porém, o que ele sente por Win não tem nada de fraternal, o sentimento é recíproco, mas Merripen não se acha digno do amor de ninguém. Após passar dois anos fora em tratamento na França, Win retorna a Londres com duas certezas: ela quer Merripen e ela quer viver sua vida intensamente, recuperando o tempo perdido.

            Essa minha fase de romances históricos tá muito amor né não?  Eu estou adorando essa série, os personagens são cativantes, a trama tem um “que” de mistério e os romances são de arrancar suspiros.

            A narrativa é em terceira pessoa, com enfoque em vários personagens durante a trama, mas principalmente em Win, Merripen e Cam Rohan, esse último que está intimamente ligado a história de Merripen. Para quem não lembra, na última resenha eu comentei que as histórias de Merripen e Rohan estavam interligadas? Então, nesse volume finalmente iremos descobrir qual o mistério ronda os dois.

            Sobre os personagens, Win segue a mesma linha de mocinha forte e decidida que sempre foi tratada como um cristal, mas que resolve se rebelar. Merripen é o personagem de romance histórico que tem mais problemas de todos que eu li até o momento, sério ele tem sérios problemas de auto depreciação.  Alguns novos personagens são inseridos na trama e dão um novo ar a série, como a Srta. Marks governanta e preceptora das irmãs Hathaway mais jovens e que possui alguns boatos sobre sua reputação que rolam na sociedade londrina.

            A capa desse livro é linda, a modelo com esse vestido vermelho dá um ar elegante a capa. A diagramação não tem muitos detalhes, mas está satisfatória. Enfim, mais um romance de época para a lista.