Resenha: Fênix: A Ilha (John Dixon)

segunda-feira, 4 de agosto de 2014



Título: Fênix: A Ilha
Autor: John Dixon
Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581633824
Ano: 2014
Páginas: 336
Tradutor: Camila Fernandes



SinopseSem telefone. Sem sms. Sem e-mail. Sem TV. Sem internet. Sem saída. Bem-vindo a Fênix: A Ilha. Na teoria, ela é um campo de treinamento para adolescentes problemáticos. Porém, os segredos da ilha e sua floresta são tão vastos quanto mortais. Carl Freeman sempre defendeu os excluídos e sempre enfrentou, com boa vontade, os valentões. Mas o que acontece quando você é o excluído e o poder está com aqueles que são perversos?



            Fênix: A Ilha foi escrito pelo John Dixon e foi publicado no Brasil pela editora Novo Conceito. Esse livro foi adaptado para a tv e virou uma série chamada Inteligence.


            Carl é um garoto de dezessete anos que tem uns problemas de controle de raiva e bullying quando ele vê alguém sofrendo bullying ele literalmente mete a porrada no valentão. O que ocasiona, obvio, que ele vá preso. Carl é órfão e já mudou de cidade várias vezes, quando a história se inicia, estamos com Carl no juizado de menores, onde ele está sendo sentenciado a ir para a Ilha Fênix, um lugar que segundo o juiz é um campo estilo militar de correção de jovens infratores (mirins,meliantes). Ao chegar na ilha, coisas estranhas começam a acontecer, Carl começa a ver que nada será fácil lá. Ele se torna amigo de Ross e Octavia e com o passar dos dias cada vez mais ele tem que se controlar para não bater em ninguém. Porém, ao encontrar um diário de um ex-interno as coisas podem mudar, pois ali na realidade não é um campo de correção e sim um campo de treinamento de sobrevivência do mais forte, a formação de uma equipe e quem não passar pelos testes pode acabar morto ou muito pior.

            A narrativa é toda em primeira pessoa e se alterna entre Octavia e Carl, vemos os dois lados dessa história e quando um deles não está perto do outro podemos ter acesso  ao outro lado da história.
            Eu gosto bastante da personalidade do Carl, ele é valente, esquentadinho, mas no fundo é um bom garoto. Durante muito tempo ele realmente tenta se controlar, mas é bastante difícil dado o seu histórico. Octavia apesar de ter uma história mais triste que a de Carl, tem quase as mesmas características dele, só que com o toque feminino.  

            A única coisa que realmente me incomodou nesse livro foi que por vezes ele é meio arrastado, a narrativa fica naquela de nada realmente acontecer por alguns capítulos, no fundo eu sei que essa calmaria seria importante para as partes de ação, mas esses capítulos me deixaram bem agoniada.

            Quanto a essa capa, eu achei bem anos 90, uma coisa meio desenho retrô e tal, me lembrou sei lá por que o filme do Street Fighter meio tosco eu sei. A diagramação está muito bem cuidada com desenhos de árvores em todas as folhas.

            Para quem ficou curioso com a série aqui vai o trailer, eu pessoalmente ainda não assisti, mas confesso que fiquei bastante curiosa.


2 Comentários:

aninha disse...

admito que quando vi o lançamento não fiquei interessada em lê-lo, mas não é a primeira resenha que leio, que vejo positivamente sobre ele. é interessante. Carl me pareceu um personagem incompreendido e que usa essa raiva, esse temperamento forte como uma proteção. é o mal de livros assim meio distópicos, essa enrolação nos capítulos, chega dá uma agonia mesmo. não gostei da capa. sei que a NC manteve a capa original (milagre) mas poderia ter dado uma caprichada. quando é pra mudar eles não mudam kkkkkkk. vai pra lista dos desejados, vou procurar lê-lo sim =)

Tamiris Leitão disse...

Nossa ! Imaginava que o livro era outra história, de outro tipo. Não imaginava que se tratava disso. tenho preguiça de ler sinopses.


Mas que pena que não o desejei antes, parece ser incrível. Mesmo com a enrolação, parece ser interessante. Acho que já me acostumei com esse ponto de enrolação, se tornou até normal, quando não há enrolação eu me assusto. kkkk
Mas fiquei interessada, vou procurar um exemplar pra mim ... kkkk


Beijos

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D