Resenha: Trono de Vidro: Coroa da Meia-Noite (Sarah J. Maas) - Trono de Vidro - Livro #02

sexta-feira, 19 de setembro de 2014




Título: Trono de Vidro: Coroa da Meia-Noite
Autor: Sarah J. Maas
Edição: 1
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501401397
Ano: 2014
Páginas: 406


SinopseCelaena Sardothien, a melhor assassina de Adarlan, tornou-se a assassina real depois de vencer a competição do rei e se livrar da escravidão das Minas de Sal de Endovier. Mas sua lealdade nunca esteve com a coroa. Tudo o que deseja é ser livre — e fazer justiça. Nos arredores do castelo, surgem rumores a respeito de uma conspiração contra misteriosos planos do rei, mas antes de cuidar dos traidores, Celaena quer descobrir exatamente que planos são esses. O que ela não imaginava é que acabaria em meio a uma perigosa trama de segredos e traições tecida ao redor da coroa. Enquanto a amizade entre ela e o capitão Westfall cresce cada vez mais, o príncipe Dorian se afasta, imerso em seus próprios dilemas e descobertas. A princesa Nehemia acaba se tornando uma conselheira e confidente, mas sua atenção está mais voltada para outros assuntos. Em Adarlan, um segredo parece se esconder por trás de cada porta trancada, e Celaena está determinada a desvendar todos eles para proteger aqueles que aprendeu a amar. Mas o tempo é curto, e as ameaças ao redor castelo de vidro estão cada vez mais próximas. Quando menos se espera, uma trágica noite mudará a vida de todos no reino, e mais do que nunca Celaena quer descobrir a verdade para fazer justiça.



              Trono de Vidro: Coroa da Meia-Noite é o segundo livro de uma série de seis livros intitulada Trono de Vidro, escrita pela Sarah J. Maas e publicada no Brasil pela Galera Record.


            Celaena depois de se tornar a campeã de rei mora agora no palácio de vidro e recebe nomes de nobre e outros rebeldes de quem deve dar cabo. Depois de tudo que passou ela se mantém firme para conseguir a sua tão sonhada liberdade. Seu relacionamento com o príncipe Dorian esfriou por completo, pois ela não consegue esquecer de quem ele é filho e a coroa que ele carrega na cabeça. Por outro lado seu relacionamento com Chaol parece crescer a olhos vistos, eles estão mais juntos e os sentimentos de ambos começam a florescer. A  princesa Nehemia ainda é uma boa amiga para ela e as profecias do fantasma da rainha Elena ainda pairam no ar. Quando Celaena recebe o nome de um velho conhecido das mãos do rei e começa investigar, uma morte libera a fúria da assassina e destrói tudo que ela tinha construído até aqui. Porém não é apenas ela que esconde segredos, o príncipe Dorian descobre uma habilidade que não possuía antes e que pode leva-lo a morte.

            A narrativa é feita em terceira pessoa, com enfoques em Celaena, Dorian, Chaol Nehemia e até em uma estranha criatura. Esse jogo de narrativa em terceira pessoa com enfoques em certos personagens nos distancia apenas o necessário para que possamos ver a trama de uma modo mais completo, mas nos aproxima o suficiente para sentirmos as mesmas emoções dos personagens.

            Esse livro tem muito menos ação que o primeiro, mas isso é compensado com peças do quebra-cabeças que começam a se encaixar, pistas do mistério que ronda Celaena, suas origens e seu poder e o que ronda a assassina. A rainha Elena mais uma vez mais atrapalha que ajuda. Me frustrou bastante o fato de Celaena ter deixado o príncipe Dorian, por que eu achava eles muito bonitinhos, mas ela se apaixona mesmo pelo Chaol. Ainda que seja um relacionamento fadado a um desastre.

            A personalidade de Celaena continua badass. Sim, ela continua uma das melhores heroínas que eu li nos últimos tempos, forte, decidida e letal. Chaol não me inspira total confiança, ele tenta sempre fazer o melhor, mas no fundo seu coração ainda está dividido entre sua lealdade ao reino e seu amor por Celaena. Diferente de Dorian que sempre parece colocar Celaena em primeiro lugar, embora tivemos a dica que ele deve começar a se preocupar com as pessoas que sofrem e colocar esse sentimento um pouco de lado, até por que Celaena parece ter feito sua escolha e ela não é o príncipe.

            A capa desse livro é maravilhosa, toda em tons de vermelho traz a guerreira na frente escondida com as costas de uma mocinha na contra capa, o que é simplesmente uma grande sacada, pois Celaena é uma arma letal escondida pelo exterior de uma jovem dama. A diagramação está maravilhosa e o livro traz sim um mapa da região de Erilea, amo livros com mapas por que me ajudam a me situar melhor na história. Enfim recomendo demais esse livro, é uma fantasia com toques distópicos que vale muito a pena conferir.