Resenha: Sol e Tormenta (Leigh Bardugo) Trilogia Grisha #02

segunda-feira, 6 de outubro de 2014



Edição: 1
Editora: Gutenberg
ISBN: 9788582351468
Ano: 2014
Páginas: 368
Tradutor: Eric Novello
Sinopse - Sol e Tormenta - Grisha - Livro 02 - Leigh Bardugo
Perseguida ao longo do Mar Real e aterrorizada pela memória dos que se foram, Alina Starkov tenta levar uma vida normal com Maly em uma terra desconhecida, enquanto mantém em segredo sua identidade como Conjuradora do Sol. Mas ela não pode ocultar seu passado e nem evitar seu destino por muito mais tempo. Ressurgido de dentro da Dobra das Sombras, o Darkling retorna com um aterrorizante e novo poder e um plano que irá testar todos os limites da natureza. Contando com a ajuda e com os ardis de um admirável e excêntrico corsário, Alina retorna ao país que abandonou, determinada a combater as forças que se reúnem contra Ravka. Mas enquanto seus poderes aumentam, ela se deixa envolver pelas artimanhas do Darkling e sua magia proibida, e se distancia cada vez mais de Maly. Ela será então obrigada a fazer a escolha mais difícil de sua vida: ter sua pátria, seu poder e o amor que ela sempre pensou ser seu porto-seguro ou arriscar perder tudo na tormenta que se aproxima.

Nota-se uma crescente  evolução na escrita e nas personagens (cativantes , envolventes e tentadoras.). Um livro recheado de emoção que traz em seu âmago os elementos necessários para prender a atenção do leitor do começo ao fim, deixando um sabor palpável de quero mais.

O interessante dessa trilogia fantástica é que a sua sequência, Sol e Tormenta, para exatamente onde o primeiro terminou. Um elo forte une os dois volumes já lançados trazendo à tona um melhor entendimento.

A corrente afirmação de que o segundo volume da trilogia não decepciona é totalmente respaldada por inúmeros leitores que confirmaram o sucesso de Sol e Tormenta. Questionamentos comuns de que a sequência seria tão boa quanto à ideia pioneira confirmam-se nesse brilhante segundo exemplar dessa viagem mágica e fascinante da jovem conjuradora de sol Maly. Medo, expectativa era tudo que passava em minha mente enquanto aguardava a chegada do segundo livro de Leigh Bardugo... 

Vejamos: O desenvolvimento do fluxo narrativos dos conflitos amadureceu e muito se compararmos com o primeiro, relações se estreitam e se perfilam, concedendo à rede narrativa uma densidade antitética, repleta de conflitos. A trama traz uma ideologia que se remete as célebre passagem de Versos Íntimos de Aluísio Azevedo “a mão que afaga é a mesma que apedreja...”

Uma complexidade marcante é notória na composição dos personagens... deixa-se um lado bobo para surgir um caráter mais trabalhado emocionalmente... cria-se sobreviventes tentando escapar das garra do sombrio e perigoso Darkling, o mesmo retorna mais forte e terrível, mostra todo a sua ganancia de uma forma aberta e sem freios.

Algo que me chamou deveras atenção foi a questão de que não há mal que não possa ser piorado...isso deixa um sensação de total imprevisibilidades dos fatos... perfeito...

Termino com um gosto de que venha imediatamente o próximo.



Júlio Eduardo Gomes