Resenha: Drinques para três (Madeleine Wickham)

quarta-feira, 19 de novembro de 2014




Título original: Cocktails for three
ISBN: 9788501098160
Ano: 2014
Páginas: 352
Editora: Record
Preço: R$ 25,80 até R$ 31,33

Inteligentes e bem-sucedidas, todas trabalham para a mesma revista em Londres e, uma vez por mês, se encontram em um bar para colocar o papo em dia. Mas, apesar de saber que podem contar uma com a outra, preferem guardar certos segredos a sete chaves. A bela Roxanne há anos mantém um relacionamento com um homem casado; a competente Maggie de repente se vê prestes a assumir uma função para a qual não se julga preparada; e a doce Candice, da noite para o dia, resolve que precisa prestar contas com o passado. Só que o que Candice não imagina é que essa resolução vai dar início a uma série de acontecimentos que poderão abalar para sempre a amizade das três.


Drinques para três é o mais novo livro de Madeleine Wickam a.k.a Sophie Kinsella, publicado pelo Grupo Editorial Record. Primeiro de tudo, leitor, você precisa saber que eu SOU FÃ da autora. Sinceramente, Sophie é, em minha opinião, uma das melhores autoras do gênero chick lit. 

Neste livro temos as histórias de três moças, Candice, Roxanne e Maggie. Três mulheres bem sucedidas que trabalham numa importante revista em Londres. Elas são amigas e uma vez por mês encontram-se em um certo bar para tomar uns drinques e fofocar. 

Maggie está grávida e à medida que se aproxima o nascimento do bebê, mais nervosa e irritável ela fica. Ela não se acha pronta para ser mãe e isso foi uma das coisas que me irritou muito no começo deste livro. Eu não tenho pretensão de ser mãe tão cedo mas não gostei de como ela falava do bebê e da condição de estar grávida, como se fosse um fardo. 

Roxanne é bonita, descolada e sempre faz as melhores viagens. Ela mantém uma relação com um homem casado há muitos anos mas não há ninguém no mundo que a faça revelar a identidade deste homem. Candice e Maggie acham que pode ser alguém famoso. Será? Apesar de ser bonita, descolada e viajada, senti que no fundo ela nutre uma certa invejinha de Candice. 

Candice é a fofa das três. Ela é a perfeitinha, a doce, a encantadora e sempre prestativa. E a mais booooooring! Nossa, que personagem mais irritante. Simplesmente não consegui me conectar com ela. Traduzindo: Não fui com a cara dela. Candice esconde um segredo e resolve trazer à tona coisas de seu passado que poderá colocar em xeque a relação das três amigas.

No começo da resenha falei da Maggie e como ela reagia ao se aproximar do nascimento do bebê. Maggie foi a grande surpresa do livro pra mim. Foi a única personagem que de fato evoluiu e eu consegui notar e me sensibilizar com a personagem. No final ela percebeu que não há nada errado em não saber cuidar de uma criança e isso é coisa que acontece naturalmente quando você vira uma mãe. Que pedir ajuda não te faz uma mãe incapaz, e sim uma mãe melhor. Maggie se tornou uma ótima mãe e uma mulher melhor. 

Bem, eu leio tudo que Sophie/Madeleine escreve e sinceramente, não consigo entender como uma pessoa só escreve de formas tão diferentes. Enquanto os livros assinados por Sophie são deliciosamente engraçados, encantadores e redondinhos, os livros assinados por Madeleine são meio forçados e previsíveis. Definitivamente, até agora, este é o livro mais fraco dela. Mas se posso apontar um ponto positivo é que este livro, diferente da maioria dos chick lits atuais, não é centrado no relacionamento homem-mulher, nem tudo aqui gira em torno de homem. Claro que há romance, mas este não é o ponto alto da história. 

Apesar de previsível, Drinques para três é um livro gostoso de ler, pois a escrita da autora torna esta leitura dinâmica e agradável. A capa é bonita, segue o mesmo padrão dos outros livros da autora, porém, gosto mais da capa estrangeira. A diagramação é simples, sem muitos atrativos, mas bastante satisfatória. Poucos erros, a maioria de pontuação, faltando um ponto final aqui e um ali. Recomendo a leitura numa tarde de domingo, quando você não tiver muita coisa para fazer e não quer ter que raciocinar muito. Os fãs do gênero chick lit vão gostar. Recomendo da mesma autora, Louca para casar, também publicado pelo Grupo Editorial Record. 


3 Comentários:

Allan Ribeiro disse...

Olá Dana, parabéns pela resenha. Só pela descrição da personagem, a Candice deve der um porre hahahaha! Li um livro também em que as personagens são fortes, O Segredo do meu Marido, mas ao contrário deste, elas são excepcionais e crescem muito durante a trama =)


Grande beijo,


Allan - www.clubeletters.blogspot.com.br

solange almeida disse...

Gostei da resenha, mas não sei se lerei este livro, pois é drama demais para mim

aninha disse...

acredita que nunca li nada da Sophie/ Madeleine. amo um bom chick lit, e esse parece ser uma leitura bem despretensiosa, talvez pq ela tirou o foco do romance, o livro ñ funcionou muito bem não sei. as personagens tem suas personalidades próprias e seus medos, é o que mais me encanta num chick lit, a capacidade que a autora tem de mostrar os reais problemas de uma mulher =) a capa é legal, bacana. vou procurar ler algo dela com certeza.

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D