Resenha: O Desafio de Ferro (Cassandra Clare e Holly Black) Magisterium #01

sexta-feira, 14 de novembro de 2014


Edição: 1
Editora: #Irado 
ISBN: 9788581635576
Ano: 2014
Páginas: 384

Tradutor: Amanda Orlando
Sinopse - O Desafio de Ferro - Magisterium - Livro 01 - Cassandra Clare, Holly Black
AMIGOS E INIMIGOS. PERIGO E MAGIA. MORTE E VIDA. A maioria dos garotos faria qualquer coisa para passar no Desafio de Ferro. Callum Hunt não é um deles. Ele quer falhar. Se for aprovado no Desafio de Ferro e admitido no Magisterium, ele tem certeza de que isso só irá lhe trazer coisas ruins. Assim, ele se esforça ao máximo para fazer o seu pior... mas falha em seu plano de falhar. Agora, o Magisterium espera por ele, um lugar ao mesmo tempo incrível e sinistro, com laços sombrios que unem o passado de Call e um caminho tortuoso até o seu futuro. Magisterium - O Desafio de Ferro nasceu da extraordinária imaginação das autoras best-seller Holly Black e Cassandra Clare. Um mergulho alucinante em um universo mágico e inexplorado.
O desafio de ferro é o primeiro livro da nova série escrita por Cassandra Clare e Holly Black, juntas! Neste primeiro livro conheceremos os personagens que provavelmente estarão conosco por mais 4 livros (inicialmente!). Temos a história de Callum Hunt, um garoto de doze anos que tem uma deficiência na perna e mesmo já tendo passado por várias cirurgias, nunca conseguiu ser curado. Call perdeu a mãe quando ainda era só um bebê e foi criado pelo pai, Alastair Hunt.

Algumas crianças tem algumas, digamos, habilidades mágicas, e quando chegam a uma certa idade (geralmente 12 anos) elas fazem uns testes para entrarem no Magisterium, que é uma escola especializada para ensinar a essas crianças a lidar e controlar a magia. A magia deste livro é suportada pelos 4 elementos da natureza: ar, água, terra e fogo, e mais um elemento: o caos, que é o vazio.

Eu sei que você deve estar se perguntando: Onde foi que eu já vi isso antes? Sim, eu sei que as comparações com Harry Potter e Percy Jackson vão acontecer, é inevitável, mas as autoras já disseram que SIM, se inspiraram nestas séries para compor MAGISTERIUM. Mas elas só se inspiraram, ok? A série é completamente diferente e muito surpreendente. 

O pai de Callum sempre o orientou a ficar longe de magos e nunca, nunca, jamais confiar em um mago e a não ir para o Magisterium. Quando chega a hora de Callum fazer os testes para entrar no Magisterium, seu pai o orienta a falhar de propósito, e Call falha em falhar. Mesmo com os piores resultados possíveis, Callum entra para a escola e vai ser aprendiz do Mestre Rufus. Uma vez na escola, Call conhece Aaron e Tamara, que também são aprendizes do seu Mestre. Eles tornam-se amigos e começam a praticar juntos.

Call não entende o porquê de seu pai não querer que ele entrasse na escola de magia, pois ele está gostando muito de lá e pela primeira vez na vida se sente parte de algo, sente que é importante. Call descobre que seu pai não lhe contou tudo sobre o Magisterium e que Alastair ainda esconde muitos segredos, o garoto só não sabe o motivo de todo esse mistério que envolve seu pai, o Magisterium e o Mestre Rufus.

Mas o Magisterium não é um mar de rosas. A escola fica localizada no subterrâneo e para chegar lá é muito complicado, assim como sair de lá sozinho, é impossível. Ao redor da escola existe uma floresta muito perigosa cheia de criaturas dominadas pelo caos, que são pessoas/animais/criaturas que não tem nenhum tipo de sentimento dentro de si, são vazias, e seus olhos parecem estar em chamas. Embora haja pessoas dominadas pelo caos que podem se passar por humanos comuns.

A partir dessa premissa o jovem Callum e seus amigos terão que aprender a controlar seus poderes, passar pelos desafios impostos por seu mestre e ainda lidar com uma terrível profecia lançada por um Devorado pelo Caos:

“— Eu vejo através das máscaras de pele o que vocês vestem — o Devorado continuou. — Vejo seu futuro. Um de vocês irá falhar. Um morrerá. E outro já está morto.”

Gente, isso é tudo o que posso dizer sem soltar spoilers!

Bem, a narrativa é em terceira pessoa, dando ao leitor acesso a diversos pontos de vista. Confesso que demorei um pouco a engatar a leitura, estava achando meio maçante no começo. Não acontecia nada e eu ficava me perguntando o tempo todo quando ficaria melhor. Da metade para o final o livro pega um ritmo alucinante e você não consegue mais parar de ler até que chegue ao final.

Como todo primeiro livro de uma série, este é muito explicativo e de fato não acontecem grandes coisas, mas o final é bem “wtf” e você fica louco para saber o que vai acontecer depois. Certas cenas são bem previsíveis e isso acaba tornando a leitura um pouco desinteressante, porém o final é totalmente imprevisível! Não só o final, mas várias coisas que, a tendência do leitor é pensar que vai acontecer com determinado personagem, aí Cassandra e Holly resolvem fazer totalmente o oposto. Elas fizeram o inusitado, desconstruíram os estereótipos e as nossas expectativas sobre o futuro da série e de seus personagens.

O desafio de ferro parece ser uma série que vai pegar tanto quanto Instrumentos Mortais ou Harry Potter, e espero que isto aconteça mesmo porque por trás de uma história de fantasia, as autoras exploram um leque imenso de temas como bullying com crianças deficientes, heroísmo, coragem e conceitos como bem e mal. 

Recomendo a leitura para os fãs do gênero e digo, vão sem muitas expectativas e tentem não comparar a todo momento com HP, PJ ou qualquer outra saga. Garanto que se você ler desprovido de qualquer pré-conceito será uma leitura muito agradável e surpreendente.


4 Comentários:

Fábrica dos Convites disse...

Oi Jordana, tenho interesse nesta leitura, mas não corro perigo de comparar com o bruxinho, pois não conheço a saga de HP, já JP me deu uma decepcionada com a série Bruxos.
Bjs, Rose.

Dana Silva disse...

Oi Rose, mas PJ não é James Patterson não viu, é Percy Jackson. Se vc não leu ainda, correeeee porque é muito bom!!! bjos

aninha disse...

eu gosto muito da escrita da Cassandra Clare. muito mesmo. e ela é fã declarada de HP, até escrevia fanfics sobre, acho que seria um tanto inevitável lembrar um pouco a outra tão famosa história. agora fiquei curiosa de ver como ficou o livro com a parceria da Holy Black, não conheço a escrita dela, vi comentários divergentes sobre rs. parece mesmo um livro legal, os personagens são espertos, e ele me pareceu mais sombrio. tirando o nome do selo da NC colorido e gigante na capa, eu achei ok. aparecendo oportunidade eu leio com certeza =)bj!

Fábrica dos Convites disse...

Ah Tá! Li a série sim, e adorei! Devorei os livros um atrás do outro!
Bjs, Rose.

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D