Resenha: Rendição (Maya Banks) - Trilogia Surrender Livro #01

sexta-feira, 28 de novembro de 2014



Título: Rendição
Autor: Maya Banks
Edição: 1
Editora: LeYa (Quinta Essência)
ISBN: 9788544101254
Ano: 2014
Páginas: 336
Tradutor: Rosemarie Ziegelmaier



SinopseNESTA NOVA SÉRIE, MAYA BANKS ULTRAPASSA OS LIMITES DO DESEJO... Em sua sensacional trilogia erótica, Breathless, a autora best-seller do The New York Times Maya Banks, testou os limites do desejo. Nesta nova coleção, a trilogia Surrender, só há uma coisa a fazer: ultrapassá-los. E nunca as consequências da descoberta do prazer foram tão irresistivelmente convidativas, surpreendentemente íntimas e totalmente inesperadas... Josslyn encontrou perfeição uma vez, e ela sabe que não vai encontrá-la novamente. Viúva, ela procura a única coisa que seu amado marido, Carson, não pôde dar a ela: dominação. Solitária e em busca de uma saída para seu luto, Joss encontra um clube exclusivo, que recebe pessoas a fim de realizarem suas fantasias mais hedonistas. Ela nunca imaginou que encontraria lá o único homem que tem sido, por muito tempo, sua fonte de conforto e desejo secreto o melhor amigo de Carson. Dash viveu uma situação insustentável por anos, apaixonou-se pela esposa de seu melhor amigo, mas reprimiu essa atração. Tudo começa a mudar quando ele encontra Joss em um clube dedicado aos mais obscuros limites do desejo. Por que ela estaria num lugar como aquele? Ela faz alguma ideia de onde estaria se metendo? Mas Joss sabe exatamente aquilo que quer e precisa! Para Dash só resta uma alternativa: se ela quer dominação, ele é o único homem que vai guiá-la por este mundo. O único que vai tocá-la, apreciá-la, amá-la... E o único a quem ela vai se submeter para sempre!



            Rendição é o primeiro volume da trilogia Surrender, escrita pela Maya Banks e publicada aqui no Brasil pelo selo Quinta Essência da Editora Leya. Eu adoro Maya Banks e dessa vez ela colocou pra quebrar nessa trilogia, passei dois dias só pensando nesse livro, em meio a provas da faculdade, correria de fim de ano e tudo o mais eu só pensava em ler e ler um pouco mais dele.


            Joss é viúva de Carson um homem que ela considerava sua alma gêmea, após a morte dele, ela se fechou para o mundo em seu sofrimento contando apenas com a ajuda de suas duas melhores amigas e de Dash, o melhor amigo do falecido marido. Porém ela decidiu seguir em frente e para isso tomou a decisão de liberar um lado que suprimiu enquanto estava casada com Carson, seu lado submissa, sim Joss quer um homem que a domine dentro e fora da cama, ela então resolve ir até o clube BDSM The House o que ela não imaginava era encontrar Dash lá e ele lhe fazer revelações que irão mudar seu mundo. Dash é um dominador e sempre foi apaixonado por Joss, agora ela pode ter tudo que sempre sonhou.

            Eu amei esse livro, e vocês devem estar se perguntando se é apenas mais um livro BDSM no mercado, é sim, porém ele traz alguns diferenciais, não há o teor dramático dos outros, nenhum deles sofre nenhum tipo de trauma sexual ou nada do tipo, ambos sentem a necessidade de ceder e obter controle do outro. Joss é uma submissa nata ela sempre sentiu falta de alguém para controla-la e sabia que Carson não daria isso a ela, mesmo assim ela foi feliz em seu casamento. Já Dash sempre foi apaixonado por Joss, mesmo quando ela era casada com seu melhor amigo e quando fica sabendo que pode dar tudo que ela sempre quis, ele moverá céus e terra para proporcionar isso a ela.

            Outro aspecto que eu gostei bastante foi do modo como a autora trabalhou a questão do psicológico dos personagens, desde o estado de alfa em que Joss entra enquanto está sendo dominada até mesmo a culpa que ela sente por estar deixando o luto pelo marido morto e encontrando a felicidade ao lado de Dash. Já Dash passa de estados de alegria, euforia e excitação para raiva e mágoa contida que uma hora explode.

            Sim há muitas cenas de sexo no livro, sim o livro é para maiores de dezoito anos, porém o diferencial desse livro BDSM é que nenhum dos dois personagens tem problemas sexuais crônicos, eles não foram abusados, transtornados e nem nada do tipo ambos têm necessidade por ceder e obter controle e são felizes assim. Outro aspecto, a evolução desse romance não se dá através de brigas intensas que cansam o leitor, o mínimo drama que acontece ao final é construído durante toda a narrativa, atinge seu ápice e depois passa, ou seja eles não brigam e fazem sexo e brigam e continuam esse ciclo num loop infinito não.

            Essa capa colorida engana muita gente, para quem não conhece a autora e vê esse livro na prateleira pensa no mínimo se tratar de um livro de autoajuda, eu particularmente prefiro essas capas lúdicas a livros com modelos nus que eu já vi algumas editoras publicando. A diagramação está satisfatória, apesar de ter encontrado um ou outro errinho de revisão, como eu li em e-book não sei se há esses mesmos errinhos na versão impressa. Enfim, mais uma trilogia erótica e eu creio que para fãs do gênero é uma ótima dica de leitura.




2 Comentários:

aninha disse...

é disso que tô falando! um assunto clichê mas com um toque diferente! achei corajoso a personagem Joss saber o que quer, e ao encontro de um clube BDSM e ter que lutar com o luto. é um conflito! e Dash com a oportunidade que sempre quis. a autora mais uma vez soube dosar certo amor, amizade, culpa, desejo. ficou uma mistura daquelas! a capa é bonita, o título tem um nome forte e ao mesmo tempo vulnerável, combinou com a flor na capa. outro livro para 2015. ;)

Patricia Andrea Peña disse...

Oi,
Eu nao gostei da capa, achei rosinha demais para o gênero rsrrs.
Amei o livro e o casal, personagens muito bem construidos, que venha o livro dois!

Beijos,

Pati

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D