Resenha: A Libélula do Âmbar (Diana Gabaldon) - Outlander Livro #02

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014



Título: A Libélula do Âmbar
Autor: Diana Gabaldon
Edição: 1
Editora: Saída de Emergência Brasil
ISBN: 9788567296272
Ano: 2014
Páginas: 944
Tradutor: Geni Hirata



Sinopse :Claire Randall guardou um segredo por vinte anos. Ao voltar para as majestosas Terras Altas da Escócia, envoltas em brumas e mistério, está disposta a revelar à sua filha Brianna a surpreendente história do seu nascimento. É chegada a hora de contar a verdade sobre um antigo círculo de pedras, sobre um amor que transcende as fronteiras do tempo... E sobre o guerreiro escocês que a levou da segurança do século XX para os perigos do século XVIII. O legado de sangue e desejo que envolve Brianna finalmente vem à tona quando Claire relembra a sua jornada em uma corte parisiense cheia de intrigas e conflitos, correndo contra o tempo para evitar o destino trágico da revolta dos escoceses. Com tudo o que conhece sobre o futuro, será que ela conseguirá salvar a vida de James Fraser e da criança que carrega no ventre?





                        Vamos a mais uma resenha da série Outlander, que foi escrita pela Diana Gabaldon e publicada no Brasil pelo selo da editora Arqueiro, Saída de Emergência. Confesso que eu estava em prantos para ler esse livro e como vocês podem ver me decepcionei bastante. Não me odeiem ainda eu tenho razões sólidas para que A Libélula do Âmbar tenha tido uma nota tão baixa.

                       Vinte anos se passaram desde que Claire deixou Jamie, vinte anos em que ela carregou dor, saudade e um segredo, agora ela está de volta a Escócia, ela tem uma filha chamada Brianna e seu marido Frank está morto. O que aconteceu? Como Claire foi obrigada a deixar Jamie, o que aconteceu com Jamie?  O que? Como? Onde? 

                        Vamos começar falando da narrativa que continua em terceira pessoa, oscilando entre Jamie e Claire e principalmente da péssima ideia de Diana de fazer uma parte do livro extremamente arrastada para contar a chegada de volta de Claire para a Escócia depois de vinte anos e sua busca, as lembranças. Enfim, acho que qualquer fã, assim como eu gostaria de saber o mais rápido possível o que diabos aconteceu com Jamie, afinal? Ao invés disso temos mais de duzentas páginas extremamente arrastadas com uma narrativa sobre um personagem que nem ao menos lembrávamos da existência.

                          Então começa a parte que finalmente interessa: JAMIE e CLAIRE JUNTOS! Sim voltamos ao ano de 17epouco quando Jamie e Claire ainda casados vão para a França numa tentativa de impedir que Charles Stuart leve um massacre as Terras Médias e que milhares morram, só que obviamente tudo dá errado. Jamie começa a sair com pessoas da nobreza e quase trai a Claire, chegando em casa de manhã com marcas de chupões de prostitutas no rosto, Claire trai o Jamie para salvar a vida dele, ela perde o bebê dele também ou seja SÓ DESGRAÇA! Até aí ok, por que eles continuam juntos, porém como toda desgraça é pouco dá tudo errado de novo e como já falamos no começo da resenha ela tem que retornar ao futuro e Jamie no final parece estar morto. Vocês entendem por que eu estou frustrada com esse livro, depois de tudo temos mais outra parte arrastada no futuro, onde Claire mais uma vez prova estar morrendo sem seu amor, até descobrir que nem tudo está perdido e aí mais sofrência para os próximos capítulos.

                    Não tenho nem palavras para descrever o tamanho da minha decepção, acho que se o livro fosse só sofrido eu até não estaria tão decepcionada, porém sofrido e arrastado para um livro com 935 páginas não dá né? Se o livro tivesse um pouco mais de ação, até mesmo na guerra se tivéssemos mais algumas cenas dinâmicas além das cenas esporádicas que temos aqui e ali talvez minha opinião tivesse sido diferente. Infelizmente Outlander caiu na velha maldição do segundo livro, o que é realmente uma pena. Pelos spoilers que eu recebi de amigas ainda não sei se pretendo continuar lendo essa série o que é mais penoso ainda e eu estou com o coração na mão por isso, por que eu me apeguei de verdade em Claire e Jamie.

                       A capa tem a mesma linha da primeira e o moço da capa é o Jamie, parece muito com o ator da série também. A diagramação está satisfatória. Enfim, nos vemos na próxima resenha de Outlander ou não.

5 Comentários:

mirian kelly disse...

Que livro grande!
Quero ler ele, e mergulhar nessa leitura e conhecer novos personagens.

Nathalia Simião disse...

Opa, fiquei com um pé atrás agora. Não li Outlander ainda mas é uma das minhas próximas leituras e saber que o segundo livro tem esse tamanho todo pra nada me desanima um pouco.

drielymeira disse...

Ainda não li o primeiro livro, mas quero muito conhecer a história. Cheguei a baixar os episódios da série, porém não comecei a ver ainda *-*

aninha disse...

quando li pela primeira vez A Libélula no Âmbar pela primeira vez fiquei em choque. passei um bom tempo esculhambando Diana Gabaldon kkkkkkkkk. mas depois reli e minha única ressalva continuou sendo essa parte arrastada, são tantos detalhes que cansam =/ quanto a sofrência... entendo completamente, não me conformava! mas uma coisa que aprendi com os livros da Diana é que ela faz a gente sofrer porém no fim vale a pena mesmo que a gente tenha vontade de matar a autora! tem muuuita coisa pra acontecer ainda, ñ desiste não Pri!!! <3

Fábrica dos Convites disse...

Oi Pri, concordo que tem alguns trechos arrastados no enredo, mas mesmo assim é um estória que me conquistou.
Bjs, Rose

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D