Resenha: Santuário (Meg Cabot) - Desaparecidos Livro #04

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014



Título: Desaparecidos
Autor: Meg Cabot
Edição: 1
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501088208
Ano: 2014
Páginas: 256
Tradutor: Ana Death Duarte


Sinopse: Jess Mastriani, conhecida como a Garota Relâmpago, é capaz de encontrar pessoas desaparecidas. Quando atos de vandalismo começam a ocorrer e seu vizinho é encontrado morto em circunstâncias muito violentas em um milharal, ela se vê no meio de um plano muito perigoso. Jess terá que engolir o orgulho e juntar forças com o FBI para entrar no santuário de arruaceiros capazes de cometer as maiores atrocidades em nome de seus preconceitos.

             Santuário é o quarto livro da série Desaparecidos, escrito pela Meg Cabot e publicado aqui no Brasil pela Galera Record. Claro que eu não sabia que era uma série, claro que eu nunca tinha lido os outros livros dessa série e claro que eu não precisava também (esse último eu só descobri depois).



            Jess Mastriani é uma garota de dezesseis anos que foi atingida por um raio e que depois disso passou a ter um estranho poder: ela sabia encontrar qualquer pessoa desaparecida do planeta ao olhar uma foto dela. Nesse livro, Jess terá a missão de encontrar um garotinho que foi raptado durante estranhos episódios de preconceito racial que estavam acontecendo na cidade. Tentando esconder do FBI que ainda tem seus poderes e tentando lidar com sua relação com o namorado Rob ela vai embarcar no meio de uma tremenda confusão.

            O livro é todo escrito em primeira pessoa e nossa narradora é a Jess, como falei não seria preciso ler os outros livros antes, pois a narradora nos conta um pouco do que aconteceu nos três volumes anteriores durante o livro, mesmo assim eu li né?

            Jess como narradora não é um total desastre, na verdade ela é bem engraçada, pois constantemente ela divaga sobre várias coisas, na maioria das vezes porém é sobre Rob e sua obsessão em fazer ele ceder, pois ela é menor e Rob já tem mais de dezoito anos.

            Eu gosto bastante do casal, Rob é esquentadinho e ela provoca ele de propósito para arrancar uma reação, na maioria das vezes não é a que Jess espera o que só deixa as coisas ainda mais engraçadas.  Eles juntos são uma graça, principalmente por que a relação deles não é exatamente um namoro, o que Jess tenta mudar a todo custo.

            A relação dela com os irmãos também é engraçada, sendo ela mais próxima de Douglas (que é o irmão problemático), o pai de Jess é ótimo, mas a mãe dela dá vontade de socar a cada duas páginas, o mesmo sentimento se aplica a Ruth, sua melhor amiga.

            Essa capa é meio sem graça né? Mas ela tem tudo a ver com a história. Eu amei a diagramação com folhas amarelas, fonte e margens bem cuidadas. Gostei também da tradução. Enfim, para os fãs de A Mediadora achei essa série com a mesma “pegada”.

4 Comentários:

aninha disse...

gostei do plot, a personagem Jess, parece ser uma figurinha apesar do seu poder, ela vive a vida de uma garota de 16 anos rs. Meg Cabot dificilmente escreve algo antipático, ela sabe dosar bem as situações, nesse ela toca em preconceito racial mas sem fazer a personagem se perder no mio disso tudo. tem a família, o namorado. vou procurar os outros livros e procurar ler =)

mirian kelly disse...

Milharais sempre foram centros de assassinatos de alguns filmes de terror.
Gostei do instinto de investigação que há neste livro.

Nathalia Simião disse...

Nunca li nenhum livro dessa série mas achei a premissa bem interessante e os poderes dela também. São bem úteis acima de tudo rs

drielymeira disse...

Só li o primeiro livro dessa série, isso quando o segundo ainda nem tinha data de lançamento *-* desanimei um pouco quando o vi em lançamento, mas agora estou doida para ler os outros.

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D