Resenha: Por Lugares Incríveis (Jennifer Niven)

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015



Título: Por Lugares Incríveis
Autor:Jennifer Niven
Edição: 1
Editora: Seguinte
ISBN: 8565765571
Ano: 2015
Páginas: 336

Sinopse: Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.
Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.


                     Por Lugares Incríveis foi escrito pela Jennifer Níven e vai ser publicado dia 14 de janeiro de 2015 pela Editora Seguinte. Esse foi o último livro que recebi ano passado e não estava com muitas expectativas para ele.

                     Violet Markey é uma garota popular que perdeu a irmã em um trágico acidente, volta para a escola, porém ela já não é mais a mesma. Theodore Finch é um rapaz problemático, chamado de aberração pelos colegas, tendo uma escuridão que o rodeia e vindo de um lar de violência. Um dia ela pensa em pular da torre da escola, ele sempre tem o mesmo pensamento e assim eles se encontram. Finch e Violet pareciam não tem nada em comum, mas parece que só ele consegue entendê-la e só ela consegue iluminar a escuridão que o cerca. Dois desastres que se completam e um assunto sério a ser tratado.

                    A narrativa de Por Lugares Incríveis é alternada em primeira pessoa entre Violet e Finch. Regado de passagens de Virgínia Wolf e de passagens de grandes autores, uma epígrafe de Hemingway e muitas reflexões o enredo é encantador e de partir o coração.

                    Fiquei algum tempo pensando em como escrever sobre um assunto tão sério quanto o que é abordado nesse livro, morte. A morte não só como algo que acontece acidentalmente ou de forma natural, mas a morte como uma escolha. Sim, falamos de suicídio. É um tema muito delicado, um tema sofrido, um tema atormentado, porém que é tratado em Por Lugares Incríveis de forma bonita, sofrida porém bonita.

                      Até agora, horas depois de ter terminado de ler o livro por completo ainda estou arrasada, principalmente após ler as notas de agradecimento da autora onde ela afirma que essa história é inspirada em uma vivida por ela e sim, dedicada a um amigo dela que a deixou em uma idade muito tenra.  Apesar disso, quando penso um pouco além do coração partido eu vejo uma história de amor, linda e triste, mas que não perde sua beleza diante do sofrimento. Não sei se nada poderia ter sido diferente nessa história, são muitos "se" que pairam após o fim, são muitos "por ques" sem resposta, muitos "talvez" sem sentido. 

                      Essa capa é linda, mas acho ela muito alegre diante do conteúdo do livro. Apesar de amar de paixão azul, acho que ela ficou errada aí. A diagramação, bem eu recebi a prova do livro, mas o que vi já me agradou bastante, tem umas gravuras bem significativas. Enfim, é uma leitura válida, triste, mas válida.    



6 Comentários:

Rafa Hübner disse...

Oi, td bom?

Gostei da história, não a conhecia. Eu sou apaixonada por livros tristes hehe

Bjs

Arrastando as Alpargatas

Mari Rocha disse...

Posso ter chorado dps de ler esse post!!!

aninha disse...

sem dúvida é um livro tocante. sua resenha tá tão linda que a gente sente como você ficou emocionada ao lê-lo. Finch e Violet são personagens tão sofridos mas a autora soube equilibrar um assunto tão dolorido com personagens a altura, sem mimimis, completando um ao outro, mesmo que o caminho escolhido, não seja compreensível. falar sobre morte, e principalmente suicídio não é fácil, não é bonito, e não tem como ser de outro jeito. como vc disse, são vários "se" "por ques"... resenha perfeita Pri.

Fábrica dos Convites disse...

Já fiquei com vontade de chorar...
Bjs, Rose

Gabriela Neves disse...

Gente, que capa linda! Que sinopse linda!

Não conhecia o livro e fiquei morrendo de vontade de ler por causa da sua resenha, parabéns. Pode parecer meio mórbido mas eu adoro ler livros com essa pegada mais triste, que tratam de assuntos mais sérios como o suicídio.

Sucesso!

Gabriela
www.maisumcapitulo.com

Carolina Durães disse...

Oi Priscila, tudo bem?
Eu tive a oportunidade de ler esse livro e chorei bastante perto do final. Acho o Finch um personagem pelo qual eu me apaixonei. É uma história brilhante e o depoimento da autora no final também é emocionante.
Parabéns pela resenha!
Bjkas

Postar um comentário

Ficarei muito feliz se você me der a honra de ter o seu comentário aqui no meu blog. O blog sobrevive dos seus comentários, seja legal, comente nos blogs que visita! :D